quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Renunciar-se? Para muitos isso soaria como um absurdo!


Sim, Nietzsche disse o que disse com toda certeza e verdade reveladora que ele poderia conferir aos seus pares e semelhantes.
E uma dessas verdades foi que os homens assassinaram a Deus.
Dos 23 anos pra cá (45), tenho matado todos os deuses dentro de mim...
Seja ele fabricado pela designação da religião, seja ele oriundo do inconsciente coletivo humano.
Ser ou não-ser muitas vezes tenha sido o questão para mim.
Mas deixou de ser por eu entender que...
No caminho para eternidade, muitas vezes as pedras são as mestras no nosso ensino existencial.
Poucos são aqueles que sabiamente as ajuntam e delas constroem do seu alicerce ao cume da sua torre existencial laboriosa...
E aqui eu entro naquela questão individual do se "negar a si mesmo".
Pela qual muitos mal discernem o que seja tal proposta do Evangelho.
Jesus não está exigindo que ninguém negue a si ao ponto de anular-se, e passe a viver uma persona, uma identidade que não seja a sua personalidade única e real.
O Ser só poderá ser, sendo.
Não se deve perder-se de si e nem tampouco deixar-se de ser.
Não, pelo contrário de tal idiossincrasia, quem sabe o preço de pertencer a si mesmo jamais abrirá mão de si mesmo, para loucamente tentar viver o que pareça ser, tentando trilhar no caminho de uma eternidade do "eu" do qual nunca se chegará!
A vida cristã consiste em renuncias próprias. Correto.
O convite confere aos corajosos na existência de mortes, ou seja, somos desafiados pelo Mestre a renunciamos o egoísmo, o desamor, o preconceito, as indiferenças, rejeitar a nossa rejeição em relação aquelas pessoas que são diferentes de nós .
Simples assim quanto mui eficaz para quem abraça tal empreitada (o Evangelho) na existência.
M S

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

O sol voltará amanhã



Mas é claro que o sol vai voltar amanhã...
Ainda hoje pela manhã me vi flagrado fazendo coisas que meu velho fazia, inté nos trejeitos.
Meu papai tudo bem, me vi como uma meia-cópia dele; a genética e os laços de família explicam, e nós podemos compreende.
Mas quanto a outros, eu digo, quantas vezes você (eu também) já não flagrou-se desejando ser outra pessoa menos a você em seu próprio lombo? 
Desejou ser um amigo; desejou ser seu inimigo (ainda que você o odeie); desejou ser o seu professor; ser o seu mentor; ser o Trump (risos); ser o Brad Pit....
Há saúde na admiração sensata e limitada sobre tais virtudes do próximo.
Sim, não há nada de errado nisso!
Porém, as compilações, os plágios existenciais, é impossível a alma "durar" saudavelmente.
Ora, e necessariamente eu não preciso traçar aquele mesmo caminho que foi o de meu pai, avô e bisavô!
Quem escolhe o seu caminho é você mesmo (a) e não os plágios da persona....
Você encontrar-se-á com seu "eu" real e tão verdadeiro.
Você ao passo que se ASSUMA como você é e a mais ninguém, obterá uma enorme chance de resgatar-se consigo mesmo.
Fuja do desejo indesejado, porém, latente de representar a vida e viver a vida representando sobre um palco, e diante de um público que não sejam os seus.
Fuja da tentação de ter-que-ser feliz a todo preço, posto que isso é muitas vezes nos imposto como um inferno para alma!
Desça do pedestal e se abraçará com você mesmo(a) no chão da realidade com amor ao próximo, mas antes de tudo, ame-se!
M S

sábado, 22 de outubro de 2016

Bem simples assim?



A Ciência descobriu que o Universo ora se dilata, ora se contrai. Semelhantemente seguindo na mesma toada do coração humano num processo indeterminado de diástole e sístole, embora isso também seja ciências. E isso é simplesmente magnifico.
Nesse mar cósmico negro viaja uma luz em direção ao infinito, gerando duvidas e mais duvidas nas mentes finitas dos cientistas...
Vibrações, energias, gravidades e extremos.
Vivemos num universo que nos atrai e que ao mesmo tempo estamos interligados a ele por força, por energias e por emoções.
Quantas dimensões envolvem o Universo em que habitamos?
Os extremos se tocam, se repelem, ou, se conectam?
Em qual ponto ou polo estamos agora?
Interagimos com outros universos paralelos ao nosso?
Por qual razão existimos?
Qual é a lógica de tal Sistema Solar?
Num tempo espaço onde as leis da física tradicional não fossem fixas, a quebra de qualquer protocolo nos traria um caos...
Aliás, de caos em caos, o Universo vem sendo formado.
Imagina se um "dia" o Sol resolvesse não dá as caras?
Do que seria de nós?
Dos seres vivos deste Planeta água?
Lembrei-me do maluco beleza, Raul Seixas - "No dia em que a Terra parou". Mas foi um sonho.
Você já observou abaixo da plataforma continental?
Onde os raios solares não alcançam?
Negritude total. E oxigênio zero (força de expressão).
As criaturas que habitam essas regiões abissais nada nos agradam a retina...elas são esteticamente abomináveis em relação a beleza das criaturas 'produzidas ao Sol'...
Deus dadivou ao homem o dom da apreciação artística, o da contemplação filosófica e do raciocínio cientifico...e não lhe negou a fé.
Embora, a nossa vida aqui na Terra seja de uma ameça imensa, nas profundezas dos mares a vida segue de gênesis a gênesis...
Deus não parou no tempo; ele não findou a sua criação, ele apenas deu uma pausa e continuou a criar...e por conta disso nos exige fé.
E é o que é mais importante e o que nos faz viver.
Sem fé é impossível agradar a Deus e a Ciência.
De onde vem o alento para continuarmos lutando e vencendo as adversidades do próprio existir?
Eu sei, muitos de nós não pomos a cara na janela e nem os pés da porta para fora de casa antes de consultar-se o horóscopo na net...
Viver é um perigo.
Mas é ótimo!
Já que a vida é comprovadamente curta em relação a existência do Paneta Terra, seria bastante salutar observarmos um modo simples, saudável e suave de se viver a vida sem muitos nós, embaraços e novelos...
Levar a vida com um pouco de desvelo, descompromisso e despretensiosa alegria, faz bem para a alma e a nossa mente agradece.
Eu sei, existem muitas responsabilidades sobre o nosso lombo, mas isso não significa que devemos buscar fardos e jugos maiores que nós e que os nossos...cada um deve saber e conhecer as tralhas que têm...,
Veja a vida que leva uma cabra montanhesa; a vida de desfadiga que um golfinho leva...e também atente que um balão só consegue alçar voo e manter equilibrado nos ares quando o mesmo consegue desvencilhar-se de alguns sobre pesos.
Deixa, permita que o sol pela manhã bem cedinho beije o seu rosto e te dê mais uma chance de trabalhar, produzir e construir enquanto é dia.
Agradeça mais a vida.
Se der para fazer tudo que tenha programado ou previsto, amém. Mas se não deu tempo, deixa para amanhã, mas não desista - isso é importante.
Apenas seja consciente, paciente e viva um dia de cada vez. O futuro te presenteará com saúde e sem ansiedades.
Protelar, talvez, seja um dos pecados capitas de todos nós.
Permita ser refeito, deixa a correnteza levar o que ficou de escombros em ti. Tsunami, furações e vendavais acontecem com todo mundo e no Mundo.
Fuja da ditadura social de ser feliz sempre..., como que para ser feliz consigo mesmo e com a vida exista um método para todos.
Uma hora dessas, um "apocalipse" emocional nos pegará de surpresa, e aí?
Sobreviverá quem estiver firme no "conhece-te a ti mesmo"!.
A gente começa a ser feliz ou se dá conta que é feliz, sendo.
Simplicidade no viver e amor são "fórmulas" exatas.
M Serafim

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

No caminho


Onde eu encontro o Caminho?
Por onde ando pelo caminho?
Existencializando o caminho...
Conforme disse o Senhor, e quem tem ouvidos, ouça: “Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela.” Mateus 7:13
Jesus fala de uma "porta" e um "caminho".
A porta-que-dá acesso a nossa "casa-coração" é como a nossa conversão, abre-se de dentro para fora.
É um momento transitório.
É algo pelo qual passamos.
É o cômodo de nossa casa que mais visitamos, porém, pouco o conhecemos.

Depois de tomar aquela decisão existencial, ainda há um longo caminho pela frente.
É como falamos aqui no Nordeste - É muito chão para pisar, meu fí.

O caminho amplo e espaçoso nos chama.
Nesse caminho há muita liberdade.
Dá para descansar, relaxar, se divertir.

Por outro lado, alguns dizem que há várias maneiras de seguir a Jesus e agradar a nós mesmos.
É comum hoje em dia declarar que todas as religiões são válidas.
“Deus é um só”, é o que muitos proclamam.

Mas, por "aquele" caminho não chegaremos à vida.
Jesus não se chama “um dos caminhos”. Jesus é “O Caminho”, discirna em seu coração. (João 14:6).

E este caminho tem que ser existencial, é o único que leva à vida.
É um caminho de abnegação e obediência.
Chamado pelo Apóstolo Paulo de o "deposito" da fé.
Andando no Caminho a gente aprende que a disciplina se culmina em liberdade.
Há perdas e privações. É por isso que ele é descrito como "estreito" conforme com o tempo andando Nele preenchemos todos os "espaços".
Mas, não há só isso. É neste (C)caminho que andamos com e em Jesus que a decisão de trilhá-Lo já está decididamente interiorizada, onde começamos a enxergar cada vez mais o Pai nos esperando adiante.
E olhando nós para Ele descobrimos que ter compaixão é ser forte.
É caminhando neste (C)caminho que descobrimos uma nova vontade nascendo em nós, impulsionada pela Graça e presença do Espírito Santo.
Foi por este caminho que nosso Senhor andou e frutificou vida.
Para quem realmente conhece a Jesus, não há outro caminho.
Pois, Ele é o próprio Caminho!

Portanto, Nele continue caminhando.
Não desista.
Há dias cada vez melhores lhe esperando pela frente.
E não tem companheiro melhor do que Jesus ao seu lado no caminho da vida para a Vida.

Sem o Senhor não há o Caminho, mas somente os pseudo-caminhos, na verdade, aqueles atalhos que muitas vezes o tomamos soterrados numa vidinha medíocre!
M Serafim

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Segundo os evangelhos ou segundo os evangélicos?


Sim, Deus tem sido a "alma do negócio".

É inegociável o não ensinamento de não barganhar com Deus.
É inadmissível interpretar a divindade amorfa, assexuada ou transgênera (ela é cisgênera).
É abominação não discernir a Deus como um Ser Supremo e inexoravelmente sistemático quanto punidor moral.
É loucura humana peitar a Deus em busca de respostas em detrimento da dor; da perplexidade e das aflições humanas.
É impensado atribuir a Deus enfermidades, o sofrimentos e a tão renegada pobreza.
É sinônimo de pureza o engendramento doutrinário de anos a fio sob a tutela do deus-igreja institucional manipulador e viciador de almas.
É tida como saúde mental quando o indivíduo anula-se ao máximo de si mesmo e adere a uma discípulo-imagem maximizada de seu líder, guru ou sacerdote espiritual. 
É manifesto como poder absolutamente de Deus nestes ambientes - a figura do pastor ungido - onde se é proibido pensar, questionar e discordar da proposta do Ministério tal.
São aceitas todas as formas de negociatas com o dinheiro melado de suor do próximo quando a causa tem raiz no chamado profético de fulano (dá,dá, dá e dá o tudo de si e o que no bolso tiver para si, sem ao menos pensar em si).
É salutar para os que creem em estado letárgico da razão que quanto mais acéfalo for, mais Deus usa com poder espiritual.
É ensinado em tais convívios emaranhado de gente que iníquo é todo aquele que não aderiu a religião cristã como discípulo do Sistema Religioso.
É assombroso o estado emocional e psíquico que muitos destes indivíduos são jogados e abandonados nos manicômios do Brasil (pesquise).
Será que não existe nenhum ambiente em comunidade que se salve saudavelmente?
Claro que há, em tudo existem exceções, embora, contados a dedo...
Mas na maioria esmagadora, Deus tem sido a moeda de comércio tanto para a vida como para a morte de muitos em tais instituições que levam o nome de igrejas. 
Por favor, pare um pouco com essa paranoia e reflita sobre você mesmo (a) dando uma chance a si.
Descubra lendo e discernindo nos evangelhos o que de verdade Jesus exige de você.
E se exige, exige que se amem uns aos outros, sem exceção.
O que ele deixa claro é que você o ame amando e respeitando o ser humano.
É aí que estão postos: a Lei, os profetas e o evangelho.

M Serafim