sábado, 12 de dezembro de 2009

Eu não discuto por nada...


Eu não sou dado à discussão e é de minha natureza não debater acerca de um assunto, qual seja a controvérsia em tese: argumento, assertiva, tema... Não insisto em empurrar forçosamente a minha opinião na goela de ninguém.Ninguém é obrigado a pensar como eu penso.Já me rotularam de polêmico, mas simplesmente se enganam o que sou é apenas um indagador das coisas e nada mais.Não tenho saco para debates, inquirições, enquetes, a fim de provar a minha verdade a respeito de variados temas.Quem já me viu na sala da FATEF perguntando algo ou sugerindo algo. Seria apenas para despertar nos alunos a arte de indagar.Além de tudo do que penso e escrevo, é a imaginação ou criação de quem quer que seja. Posto que a minha pessoa não é assim, digo, dado a polêmica.Quem desejar ler, entender, concordar ou discordar com o que penso e escrevo. Acredite, eu jamais ficarei chateado ou furioso. Principalmente no que tange a fé e a religião...Ninguém é dono da absoluta verdade.Prova disso.Perguntaram para Buda. "O senhor é a luz?"- Ele respondeu: "Eu apenas a procuro!".Perguntaram para Gandhi. "O senhor é o caminho"- Ele respondeu: "Eu apenas procuro o caminho!"Perguntaram para João Baptista - "Você é o Messias?"- Ele apenas respondeu: "Não, não sou. Eu apenas presto testemunho da verdade!".Apenas perguntaram para Jesus Cristo - "Qual é o caminho?"- Ele respondeu: "Eu sou o caminho, a verdade e a vida"!
Portanto, quem ousaria a me perguntar mais alguma coisa acerca de espiritualidade?
Rsrssr!
Visto que sou apenas um apenas no Caminho e que dependo diariamente da graça e da misericórdia do Pai.
Só lembrando, eu não discuto apesar de ter herdado de meu pai uma natureza forte. Tipo aqueles café solúvel que vendem em supermercado: "extra-forte", porém sem ser um camarada colérico.Acredito que o Evangelho seja tudo de bom para a vida de quem a ele se escancara e se rende em Amor. E não há mais nada que se deva acrescentar na experiência de vida daquele que ao Evangelho se converte de fato, de direito, e de verdade.O resto são especulações, tanto minhas como de outros interessados por um bom papo...,Tenho como exemplo o Mestre da sabedoria. Ele não discutia, não debatia, não insultava quando injuriado, não se irritava quando mal interpretado, não impunha o Evangelho a ninguém e nem desejou jamais fazer do homem um prosélito.Apenas observo através dos evangelhos o Seu jeito simples e carinhoso de tratar o povo sofrido...
Ora, eu não tenho tempo para discussões


Mano A.Serafim