sábado, 12 de dezembro de 2009

Imanência & Transcendência

Tudo que for mencionado e escrito neste artigo ainda se considera aquém da compreensão humana no que tange a INFINITUDE do Criador, pois, assim como definimos a Sua glória (Doxa) como algo tangível e ao mesmo tempo intangível, posto que se derive de um "pressuposto" onde há a Soberania de Deus sobre tudo (Universo e os seus Versos) e sobre o todo, tendo o domínio de tudo (criação já vista) e atuando simultaneamente em todos (ação imanente divina [direta e indireta] na vida de cada criatura), e o Reino de total perplexidade espiritual pertencem a Ele. Por Ele e para Ele são TODAS as coisas!Paulo disse que a largura – altura e o comprimento - profundidade do amor de Deus, perpassam as fronteiras da imaginação animada e rompem com as cortinas de poeira da Teologia.Daí o fato de se pensar cautelosamente sobre o tema: Imanência & Transcendência divina.Pergunto: Onde Deus estava antes? - “Antes que os montes nascessem, ou que tu formasses a terra e o mundo, mesmo de eternidade a eternidade, tu és Deus.” (Sm.90.2). Moisés simplesmente afirma de que Deus imanentemente transcende a existência, o ser; os universos paralelos a este que vivemos; as formas de vidas; a eternidade de dias; o tempo e o espaço – a História!Deus é atemporal e incriável. Haveria um tempo e um espaço específicos (era, espacial, geográfico) para se habitar um Espírito?Seria tal ambiente mensurável? Embora se revele como o Supremo Criador e na história como Encarnado!Poderia Aquele que está compreendido na essência do TODO ser fracionado em doutrinas e analises como um ser a ser estudado e compartilhado? Acredite: doutrina não é Deus, e Deus jamais será uma doutrina!Deveria Deus permitir a física quântica uma percepção maior do que a meta física, a fim de nos revelar que a sua glória está imanente em toda a criação visível e invisível, mesmo atuando na partícula subatômica, em um mensurável quark ao ser unicelular como uma ameba?A visão interpretativa aqui não se define como panteísmo. Todavia de maneira aderente, perdurável, indivisível, e ao mesmo tempo dividido da criação-criatura ,cuja única forma/maneira de se compreender a imanência e transcendência de Deus seja através da fé.Algo que também transcendem a nossa imaginação humanóide é a santidade e a bondade divina, elas vão além de nosso rude Auto-conhecimento+entendimento em relação do que de fato seja bom-do-bem para nós e o que de fato seja mal-do-mau para nós – Visto que mais do que nos parece ser, é que não comemos de fato da árvore do bem e do mal, apenas ficamos no cobiçoso desejo [herdamos o reflexo adâmico].Posto que os seus frutos aparentem nos dá conhecimento! Porém não nos deu. Rsrsr! Psiu!, Deus está ACIMA do bem e do mal, Ele é SUMO.Portanto, todo o nosso conhecimento acerca do bem e o do mal é restrito e limitado!Em outras palavras: nada sabemos acerca de Deus, do bem, do mal, da vida, da morte, do diabo, dos demônios, dos anjos, do inferno, do céu, do sofrimento, da felicidade, de ser quem já nasceu sendo, da sã doutrina, das inquirições, das guerras espirituais, dos encontros, dos desencontros, dos dons, dos talentos, dos sinais do fim, do Paraíso, dos transcender, do adorar, do prestar culto no espírito e em espírito e em verdade (única “forma” aceita por Deus)... TUDO o que cognitivamente conhecemos é em parte... E o conhecimento empírico se dá no foro íntimo de cada pessoa que nutre comunhão com o Espírito.Ora, a imanência de Deus não foge de nenhuma citação feita por mim acima. A sua totalidade nas cousas se perduram no infinito, está alem dos cosmos, e são sempiternas. Conquanto a revelação de Deus para a humanidade vai além do ditames da religião, conceitos de espiritualidade, definições idiossincráticas, doutrinas morais, dogmas e filosofia de vida. Onde até mesmo em outras formas de existências e vidas verificáveis se pode ser vista a imanência do Deus transcendental.A mensagem de Deus pode alcançar pessoas que jamais ouviram o Evangelho qual entende como evangelização. Ele pode atingir com o Seu poder as camadas de pessoas mais inatingíveis do mundo, basta Ele desejar!Nisto se afirma de que a SALVAÇÃO não depende do próprio homem.A salvação é obra divina na vida do homem!A Bíblia revela não a existência de Deus, mais quem a ler compreende que em suas linhas há uma Auto-existência de um Deus sábio e transcendente. As Escrituras não foram escritas para sábios-incrédulos, ainda que contenha o desfecho de seus destinos, ela fora legitimada para os crédulos-sensatos, para os que crêem num Ser Supremo Transcendental e Imanente, no que disse Pedro - “... Pela palavra de Deus já desde a antiguidade existiram os céus, e a terra, que foi tirada da água e no meio da água subsiste. “Pelas quais coisas pereceram o mundo de então, coberto com as águas do dilúvio, Mas os céus e a terra que agora existem pela mesma palavra se reservam como tesouro, e se guardam para o fogo, até o dia do juízo, e da perdição dos homens ímpios.” (2Pe.3.5-7).Seguindo o conselho do teólogo e filosófo Leonardo Boff; “É tempo de transcendência”...É tempo de olharmos para cima e vislumbrar com a eternidade que se aproxima sem ao menos percebermos....O que vejo é que o nosso olhar [cosmovisão] poderá mudar o mundo ou destruí-lo, basta querermos de que o Evangelho da transcendência esteja imanente e nos entrelaçando em seu novelo de linhas certas na direção da vida em amor incondicional. Visto que amando com este amor transcendental, a imanência divina estará impregnada na ação-do-servir a Deus em bondade e amor cristificado, como também na vida daquele que é apenas um recebedor desta graça.Certo de que existe um Deus de amor acima-planotranscendental e não obstante abaixo-planonatural, cuja trans-imanência se corporifica de maneira inter-relacional e ao mesmo instante místico-hominal.Enquanto eu fico aqui queimando os meus neurônios para tentar discernir a imanente-transcendência do Pai, ou do que penso acerca do Mesmo – Deus fica dando risadas , e tirando melecas do nariz e fazendo bolinhas com os dedos!
Posto que tal discernimento não se completa numa pílula de conhecimento.
Tentar compreender tal doutrina é o mesmo que tentar compreender a doutrina da trindade divina!
Alfredo Serafim S. Ferreira Teologia Sistemática 27/05/09