segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Um breve comentario sobre a Ética Cristã



A ÉTICA NA IGREJA CONTEMPORÂNEA


O senso comum não distingue a ética da moral, os costumes dos usos, e a cultura do reverenciado âmbito de repetir atividades. Observando a evolução capitalista que vivenciamos desde a Revolução Industrial identificamos que a ética vem tomando conotações apreciadas pela sociedade. Originalmente do grego ethos que significa modo de ser, caráter, a ética tem como estudos filosóficos das leis morais que regem as nações humanas, um aparato de convicções empíricas sobre o que definimos de algo “politicamente correto”.


A Instituição Igreja tem comungado pensamentos éticos e formulado dizeres do que aparentemente seriam teorias de verdade. Mesmo que a igreja use de artifícios diversos para criar um novo conceito de ética com novos modelos de conduta, ela nunca passará despercebida pelo crivo moral da sociedade, estará em uma batalha que comungará eternamente entre opiniões e conceitos do pensamento social e eclesiástico.


Em alguns momentos as éticas sociais e eclesiásticas encontram concordância e promovem a defesa daquilo que nós aprovamos. Para que isso aconteça sempre deverá chegar ao extremo daquilo que defendemos como verdade ou atos que rejeitamos em nossos pensamentos culturais e cognitivos.


A igreja tem atravessado um momento que a discrepância entre o subjetivo desejo de um líder e o pensamento coerente da sociedade tem gerado um abismo entre o ético e o antiético, tudo isto em nome de vontades pessoais aonde a busca de realizações sobrepõem o estado de realidade que vivenciamos, e pior, tudo isto em nome de Deus.


Voltamos a cobrar indulgencias, retrocedemos o que foi abolido, vendem-se terrenos no céu, diluem a inteligência da parte passiva desta relação. A grande massa mantém os olhos fechados por que acreditam em um conceito de ética maior, a ética divina. Enquanto isso a igreja tem sido banalizada e aceita pela sociedade como um ambiente vil que agrega homens cleptomaníacos extremamente materialistas.


Hoje para ser uma igreja ética temos que fugir do que a maioria dita como normas, devemos nos tornar opositores à doutrina capitalista. Devemos adotar um sentimento fraternal de responsabilidade social e seguir os padrões legais que nos asseguram moralidade. Antes de tudo viver uma vida no acréscimo donativo de ser algo para alguém e levar Deus a um mundo desejável de homens honestos que ensinem a palavra da verdade.


Com isso tornaremos a ser respeitados como Igreja de Cristo, como instituição séria, que prega um evangelho do Reino e supre uma necessidade que todos têm de estar mais próximo de Deus. As pessoas olharão e reconhecerão que ainda existe esperança, esperança que está sendo dissipada pelo materialismo antiético de homens que se denominam semi deuses, poderosos ao ponto de tentar refazer a modificar o conceito de ética.


Escrito por Iuri Henrique Cerqueira.