sábado, 2 de janeiro de 2010

Paulo, êita cara arrogante! (Marcelo Marini)





"Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema.



Assim, como já vo-lo dissemos, agora de novo também vo-lo digo. Se alguém vos anunciar outro evangelho além do que já recebestes, seja anátema. "


(Apóstolo Paulo, em Carta à Igreja da Galácia, 1:8-9)




.................................................................................................................





Esse texto é muito curioso, apesar de toda a coerência com toda a carta aos Gálatas. Nesta, Paulo escreve para uma comunidade de cristãos que começaram rapidamente a relativizar, na prática, a suficiência da Cruz, e toda a absoluta incompatibilidade do Evangelho com uma vida mergulhada no legalismo escravizante a que estas pessoas já tinham voltado.


Na carta, Paulo é radical. Diz um monte de coisa, de forma bastante incisiva e algumas vezes até agressiva. Chama os Gálatas de ‘insensatos’ (já vi tradução que fala em ‘imbecis’), e diz que a lei não foi nada mais do que o aio para nos conduzir a Cristo, sendo necessário uma escolha: ou viver por barganha ou por graça. Ele não admite o meio termo, que no fundo é o que mais lhe irrita, e lembra (e implora!) que os Gálatas entendam que é pela consciência mergulhada em Cristo, ou seja, pela liberdade Nele exercida, que o crescimento vem, que isso é individual, e não controlado, e nem estimulado pela repetição de “princípios”, por mais bíblicos que sejam e por mais boa intenção que haja no ensino.


Mas enfim, muito mais pode-se falar desta carta e do seu autor. Mas agora, aqui, me chama a atenção dos versos acima, escritos logo no começo...pra não deixar dúvidas de nada, e nem pedra sobre pedra com improváveis panos quentes.


Paulo, êita cara arrogante, diriam tantos religiosos hoje!


Só não dizem porque preferem passar rápido neste texto, e ainda mais porque “é Bíblia, né...e se é Bíblia, não pode criticar...”


Logo no começo, imaginando a pregação do “evangelho denorex” ele já relativiza o autor, seja lá quem fosse. Relativiza anjos, ou até mesmo ele próprio, mostrando que a palavra só é Palavra quando coerente com a Palavra Encarnada. Uma vez, conversando com um presbítero, e após questionar com ele de que algumas coisas que tinham recentemente sido pregadas por um pastor, ele disse: “mas, Marcelo, você conhece a vida deste homem? Sabe o que ele já passou na vida??”.


Não importa, diz Paulo. Seja anátema. E anátema é palavra maldita...ou seja, palavra que, em sendo dita, faz mal pra quem ouvir. Assim, se for pra ouvir o meio termo entre evangelho e lei, melhor não ouvir...porque se ouvir, vai voltar pra casa pior do que quando de lá saiu pra ouvir.


E o que é interessante é que ele fala e repete que o perigo é o acréscimo: “...que vá além do que vos temos pregado...”.


“Que vá além...”


Esse é maior risco.


Outro dia encontrei com uma pessoa de uma comunidade neopentecostal. Conversa vai, conversa vem, eu disse que eu não concordava no toma-lá-dá-cá que eles propunham...de que na cruz tudo já foi pago (meeesmo), e tentei também dizer que a proposta agora é que vivamos em paz (meeesmo, meeeeemo) pois a reconciliação com o Pai já foi eternamente feita, não tem volta, e de que em reverência a isso, o sirvamos com espírito de amor grato.


Ela não gostou nem um pouco, ria de forma meio cínica e julgadora, e me interrompeu, dizendo: “...é, Jesus fez o sacrifício dele, mas e o nosso sacrifício, heim, heim??” E saiu...toda incomodada e nervosa em realizar suas tarefas referente ao “pós-pagamento” do saldo que ainda restou...


Paulo, êita cara arrogante, diriam hoje...ainda mais os que pregam que “o que importa são os frutos” (leia-se nisso se o cara se converteu ou não, e especialmente se deixou de fumar, beber e dançar). Como diz o Pr. Caio Fábio, todos estes manequins de loja de roupa que tem por aí também não bebem, não fumam e nem dançam...


Paulo, êita cara arrogante, totalmente dono da verdade...diriam hoje, ainda mais os que pregam que a unidade da igreja tem a ver com cegueira e desinteresse pelo que aos poucos o veneno dominical da religião faz nas pessoas por aí. “Ah, deixa pra lá...se tá fazendo bem para as pessoas, então é porque é de Deus”.


Não está fazendo bem!


O fruto do Evangelho é Vida e Paz!


Palavra maldita faz mal, especialmente o meio termo, mais comum ainda nos bem intencionados, porém erroneamente conciliadores diante da radicalidade do Evangelho de Jesus!


Tudo ou Nada!


Paulo, êita cara arrogante, diriam...mas diriam, é claro, não diretamente, mas pseudo-piedosamente pelas costas, ou então em recados indiretos nos púlpitos.


...................


Cara chato esse Paulo, né?


Implicante!






...................






Marcelo Marini