sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Estereótipo Divino. Deus tem um estereótipo?

Alfa e Ômega...

No Começo dos começos não havia nada e se algo havia. Havia um vácuo começo...
Toda história tem um fim, e o fim tem seu começo.
O fim por sua vez, é único, exclusivo. E se distingue dos começos pelos meios, ou “entremeios”-E o que seria estes “entremeios”?
Se a “história” ainda não acabou se não chegamos ao fim, o re-começo a re-tomada, a re-viravolta, a estratégia nova e até mesmo a melancolia poderá ser um começo... Eis aí os “entremeios”.
O começo do fim se dá quando há o conhecimento de que O FIM DEPENDE DO COMEÇO.
Por outro lado, toda história que já possui um fim, ou tem “tal” fim por objetivo, não deveria ter outro começo senão: “O fim começa assim”.
Assim começa o fim do começo: “E Deus disse...”.
Ora, em Deus não há fim nem começo, apesar de Jesus ter dito: “eu sou o Alfa e Ô mega”. A eternidade sempre foi eternidade antes de tudo fosse criado dentro do tempo e do espaço, e Deus é o ETERNO Ser que É sem começos... i.e., Deus é Deus de eternidade em eternidade!
O que há já era sem inicio e o que é sempre foi sem o começo.
Não existe teoria/doutrina/logia que determine um estereótipo para a essência divina que sempre foi e será um mistério para a mente humana...
O que pensa o homem não deriva do pensamento de Deus, antes, o que pensa e reflete o homem são provenientes de suas elucubrações mentais e limitadas ao vasto conhecimento vertical da estereotipação divina. Não há suposições para o côncavo e nem para o convexo. A projeção cri (a) da é que a imagem e a semelhança de Deus estejam ‘suplantada’ no homem e não o inverso...,
“Nem mesmo a Teleogia poderá predizer por intermédio das causas finais o mistério que envolve a ‘estereotipação” do divino de Ser. Entretanto no campo da Teologia com suas “logias” sistematiza-se a ação de Deus na criação e seus atributos quanto Pessoa..., Daí nasce às famigeradas doutrinas com estereotipações virtuais de o divino Ser.
Não é possível colocar a prova à essência de Deus..., Posto que nenhum homem visse o Deus etério [em Sua forma de ser e na Sua plenitude que é!] que se coloca acima dos deuses estereotipados a imagem e semelhança mental pagã...!
Não é recomendável creditar ao Espírito a volição do pensar humano e filosófico quanto ao que Deus seja em matéria de vida no tempo e no espaço [é Deus existindo nas entrelinhas da existência dos começos]...,
Todavia do que se valha saber pode ser dito: A distinção entre o que é revelado e o que é pensamento humano é um mistério. Se considerarmos como fruto do pensamento humano, temos que compreender esse fogo, uma faísca, uma centelha para a qual não encontramos explicação. Eu acredito numa intuição humana genial, sob inspiração divina.
Seria difícil imaginar que em Deus os pontos vetoriais: Alfa e Ômega se traduzam em: O fim do começo e o começo do fim da EXISTÊNCIA?
Não é saudável rotular a vontade de Deus a certas roupagens de doutrinas, cuja veleidade (capricho) satisfaz apenas uma volição humana e linear (culturas, usos e costumes).
Há um Deus no Universo criado, existem deuses para todo estereótipo humano e um a-deus para todos que se inebriam com o seu EGO-DIVINO (narcisista)!
O que realmente importa e nos interessa é se existe Deus sem os estereótipos criados pelos “caçadores” de deuses?
Se Deus existe, e como de fato Deus existe! Os demais deuses são produtos da imaginação caída do homem. Portanto fica discernido como Palavra de Deus para o homem: Tudo que exista um começo espera que tenha um fim. E o fim vem como se nunca houvesse um começo, pois, está escrito: “Faço novas todas as coisas” – Inclusive, o Começo que não chegou ainda no final de tudo, embora esteja no meio de tudo que se caracterize como o juízo final de Deus sobre o homem!
Que venha logo o dia do acerto de contas...,
Maranata!
Nele-Jesus Cósmico, Onde o Fim e o Começo não são antônimos e desigualdade, porém se liquefaz debaixo da Graça.
Mano Serafim