domingo, 7 de novembro de 2010

As riquezas do Pai-Apóstolo entesouradas para os Filhinhos-penses

Do corredor da morte romano, ecoa a voz do Espírito num invólucro chamado de Paulo, o pequeno homem... Ressoando do labirinto infernal, cujas cadeias e grilhões os prendiam, pés e mãos. Neste caso: PAULO E TIMÓTEO.
O Apóstolo da Graça soletrava letra por letra de sua epístola ao escrivão que o interpretava com avidez de espírito...
De todas as sangrias de alma que se possam experimentar, num martírio que o colocara em libação de morte, surge a inspiração ante ao flagelo de um homem que experimentou na carne o significado de levar sobre si as marcas de Cristo.

Puramente antológico se refaz os intelectuais sacrifícios dos tolos do Areópago na presença dos deuses da vã Zeus-lógia mitológica.

Eles são insensíveis ao suplicio de uma alma que agoniza nas galerias fétidas e gélidas, cujo 'inferno' se concentrava na espessa imagem do Inferno e na forma mais desumana do que se imaginaria no virtual pagão... Apesar de... -"E quero irmãos, que saibais que as coisas que me aconteceram contribuíram para maior proveito do evangelho; De maneira que as minhas prisões em Cristo foram manifestas por toda a guarda pretoriana, e por todos os demais lugares; E muitos dos irmãos no Senhor, tomando ânimo com as minhas prisões, ousam falar a palavra mais confiadamente, sem temor."(Fp. 1.12-14).
Entretanto o que se destacava na vida de Paulo era o seu espírito aguerrido e amante de Cristo até as pontas mais profundas de suas vísceras.
O espírito de vitória que repousara sobre ele, o fazia se sentir forte e consolado dentro da masmorra das impotencialidades humanas..."A minha graça te basta!".
A sua satisfação de servir a cristo deliberadamente o alavancava ao mais sublime sacrifício vivo, a ponto de reverberar: "Sedes meus imitadores, assim como eu sou de Cristo!"... E mais, "De sorte que haja em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, Que, sendo em forma de Deus, não teve por usurpação ser igual a Deus, Mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, fazendo-se semelhante aos homens; E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até a morte, e morte de cruz".
É salutar compreender que esta é uma carta de amor espiritual à igreja, cheia de entranhável carinho e gratidão. Escrita em circunstâncias difíceis enquanto Paulo estava prisioneiro. A carta ressalta a vitória e o gozo.
Gozo na oração, 1:4; no evangelho, 1:18; na comunhão cristã, 2:1-2; nos sacrifícios pela causa, 2:17-18; no Senhor, 3:1; no cuidado entranhável pela igreja, 4:10.
Todavia, no cap.4.5-11 Ao exibir único espírito e exemplo perfeitos, e em total equibrio da mente e do corpo,i.e., quanto mais era esmagado pela aflição e desespero, sua esperança e seu desejo de que, qualquer que seja o resultado de seu encarceramento, Cristo seria exaltado pela sua vida ou pela sua morte, Fp.1. 20.
Portanto, a sua mensagem para a IGREJA em Filipos era o "orgasmo espiritual", a alegria de pertencer a Cristo.
Conquanto, Paulo diz:
1.18 - Mas que importa? Contanto que Cristo seja anunciado de toda a maneira, ou com fingimento ou em verdade, nisto me regozijo, e me regozijarei ainda.
2.18 - E vós também regozijai-vos e alegrai-vos comigo por isto mesmo.
3.1 - Resta, irmãos meus, que vos regozijeis no Senhor. Não me aborreço de escrever-vos as mesmas coisas, e é segurança para vós.
4.4 - Regozijai-vos sempre no Senhor; outra vez digo, regozijai-vos.
A sua esperança em relação aos filipenses se culminava em tal frase: Ser cidadãos do céu, e esperar uma grande transformação na vinda do Senhor, Fp. 3. 20-21.
As preocupações do apóstolo estavam baseadas em suas advertências contra os judaizantes, 5.1-3.
Obviamente, não havia outro exemplo melhor do que ele mesmo, um judeu privilegiado e fervoroso, que tinha considerado todos os valores da justiça da lei como esterco, a fim de aceitar a justiça pela fé em Cristo, Fp.3. 4-9.
Paulo tinha uma ambição diferente da maioria dos apóstolos atuais.
Ora, a sua ambição suprema era a de conhecer a Cristo, participar de sua ressurreição, e alcançar o alvo final de um caráter semelhante ao de Cristo, Fp.3.10-14.
Além de tudo que se possa "dissecar" deste gênero textual (epístola)... No mais, e no que diz respeito à total sensibilidade espiritual do Apóstolo...,
Sua honestidade e sua sinceridade, peculiar do "velho" Paulo ,revelava apenas mais uma declaração pessoal do apóstolo em relação a sua vida interior e de sua atitude perante a Igreja do Senhor.
Certamente aprendo nesta carta uma louvável lição, ou seja, vejo que a maior riqueza que nós pais(espirituais) podemos deixar para os nossos filhos(espirituais)..., seja de fato, o entranhável amor de Deus!
Nele, quem jamais foi um discípulo de Paulo e nem de Timóteo.
A.Serafim - 11/06/09- Dia em que a minha 2ª filha-pense, Ester completa 10 aninhos.