domingo, 21 de novembro de 2010

O apocalipse do “eu”.

Eu sou daqueles que ver a revelação de Jesus Cristo como algo existencialmente dentro do tempo chamado HOJE, já, agora, é para a minha geração, no plano do imediato do agora..., Embora paradoxalmente também vejo de forma preterista quanto às “coisas dentre em breve” há de acontecer no tempo e no espaço da História corporificada num TODO.
A imanência divina me mostra tal face de revelações que precedem a convulsão cósmica tão anunciada pelos antigos profetas vetero-testamentários , nos Evangelhos , em Atos dos apostólos e nas cartas Paulinas...,
Na visão de João sobre o Apocalipse de Jesus Cristo – ele percebe que tudo se inicia no coletivo da criação e se planifica na absoluta inteireza do ser-criado. O que me leva a entender que a revelação de Jesus Cristo glorificado seja de particular inter pretação para cada um que a ver de forma diferente sem perder o espírito da mensagem, O qual Ele é a Fiel testemunha de tudo.
O 'apocalipse do eu' se dá ao passo que permitimos uma sondagem investigatória e reveladora de nossas entranhas..., A criação surge do “Caos” cósmico (pensamento dos antigos gregos)...,
Da Ciência aos seminários teo-religiosos se derivam pensamentos mutantes em relação a Creação (criação). Entretanto como imaginar o ato do Eterno em/de se Crear um espírito humano sem massa, sem a matéria, sem vacuidade – um emburacamento de entendimento me invade a mente, pois, desconheço tal engenhoca que é extremamente misteriosa...
Ora..., dos buracos negros Deus enxerga luz...,
De um espírito Deus enxerga a matéria que na nossa visão só se pode vê o visível, seja o in-visível possivelmente impossível...,
Da conectividade do antes e do depois Deus edifica uma ponte de existencialidade pondo os dinossauros “no meio” de um tempo e espaço onde o homem jamais pensou ser gente socialmente civilizado...,
Das profundezas dos oceanos Deus Creou as criaturas marinhas, inclusive o leviatã tão espiritualizado pelos Apolo-gistas do sincretismo religioso...,
O que percebo sensorialmente é um 'apocalipse existencial' e que ocorre segundo cada geração a mercê dos “t-sunamis” do próprio existir..., existir é em tese um problema [quem dera eu fosse um aborto, disse Jó, em trevas de perplexidade existencial]...
A verdade de todos nós é uma só: A Igreja resistirá aos 'Apocalipses existenciais', não me refiro somente as catástrofes que acontecem com as coisas creadas, mas veementemente, aponto ás Coisas que em detrimento do ocaso nos faz reviver sempre um Apocalipse efervescente, cujo fluxo gera em nossa consciência um lago ardente em ebulição...,
A química que rola através deste fluxo das revelações de âmbito do discernimento individual, nos dá uma consciência total dos pecados e nos possibilita a emancipação da culpa (LIBERDADE consciente DA CULPA).
É como presenciar ou ver a Igreja no período da grande tribulação que há de sobrevir ao planeta Terra...,
O Apocalipse individual tem a sua evolução em nosso universo interiorizado do eu, é olhar para o mundo interior, onde a dimensão estelar..., a dimensão espacial..., a profundidade abismal..., a profundidade psicológica..., e a compreensão espiritual está distante de desvendarem a atua-ação do Espírito Santo, e que por sua vez realiza a harmonia entre o “eu” humano e o “Eu” de Deus [Eu Sou quem Sou].
Quando o Cristo glorificado do Apocalipse diz a seu servo João que faz 'NOVA TODAS AS COISAS' implica ao entendimento do Evangelho que por sua vez nos arrebata para um lampejo de êxtase de Sua gloria: 'Todas AS COISAS', se refere as: Todas as entranhas da Igreja em todos os tempos da História...
A Igreja do Apocalipse de João que irá subir é a Igreja que em todo tempo, época e geração se manteve fiel ao Seu Senhor e Cristo!!!!
Como eu disse certa feita para uma mana: Previsível mesmo só a GRAÇA DE DEUS...,
O 'Apocalipse-revelação' pode acontecer HOJE em você..., e pense você sendo liberto (a) de todas as tiranias: do existir, dos pensamentos involuntários e pecaminosos, dos acessos a raiva, ao ódio, e a violência, das crises de identidades, das mazelas da vida ordinária, do sistema ditatorial que nos programou desde a infância para sermos “robôs” nesta existência sem a vida compartilhada em amor...
Sim, o APOCALIPSE virá e trará consigo a libertação de quem Nele se revelou como a sua amada Igreja na História de cada geração...
Sem essa fixação fóbica e apática da religião-MATRIX. (veja no filme).
O "eu" fetichizado entregará os pontos e os segredos dos corações dos homens serão des-cortinados á luz do Sol da justiça de Deus.
Nele, Que é a REVELAÇÃO que Deus notificou aos seus servos do que dentre em breve haverá de acontecer com os mundos daqueles que habitam o Mundo,
MANO Serafim  22/04/10