quinta-feira, 24 de junho de 2010

Amada flor rosa-Rosinha....

Um espinho, dois espinhos, três espinhos, diversos imensos espinhos de uma roseira...

Ele foi ferido e esmagado pelos espinhos de nossos pecados!

O meu, o seu e o vosso “espinho-na-carne” foi posto na Sua fronte, na Sua carne!

Ele diz: “Amada minha, eu sofreria de novo aquela dor, só pra ter de novo o teu amor”...

Ele (A)pagou os nossos pecados em nosso lugar, verteu o Seu sangue para nos livrar da condenação eterna!

Ele sarou as nossas feridas de alma...,

Ele refez o caminho do Paraíso em seus passos de amor e graça...,

Ele matou a morte com a Sua morte vicária na cruz, e isto se chama: PERDÃO...,

Ele faria TUDO novamente, sofreria de novo aquela dor, só para ter o coração das flores do Jardim de seu Pai...

Ele faria tudo novamente por uma única razão: o Amor!

O Amor é o motor da Criação, ele é o responsável pela vida, pela existência e pela Graça de Deus sobre toda a humanidade!

Ainda que faltassem os mandamentos e os princípios da fé no caminhar desta vereda paradoxalmente absurda aos meus olhos. O Amor de Deus refaz o coração, a alegria e a esperança de um dia eu ser perfeito!

Ah! Se a minha vontade fosse à prioridade dos fatos ocorridos diante a Soberania do Eterno?

O rogaria que acrescentasse mais 50 anos de qualidade de vida a flor rosa-Rosinha!

Ora, o que teria de ser feito, foi feito pela família e pelos parentes-amigos!

Todavia o Espírito que sonda a mente do Altíssimo já havia intercedido pela Flor-rosinha!

Sim nos ambientes do Amor e da Eternidade, onde somente as flores do Éden celestial estão PRÉ-plantadas pelo Agricultor/Jardineiro, a subjetividade de cada flor carece de cada manuseio particularizado pelo Agricultor/Jardineiro do pomar!

O Agricultor/Jardineiro é quem faz a PODA necessária para que haja CRESCIMENTO espiritual nos RAMOS das flores coloridas humanas, e assim, elas produzam mais flores perfumadas ainda - de uma a cem flores com o perfume de Cristo!

Sim, cujos ramos que foram enxertados nos entremeios dos espinhos da existencialidade e nos arredores da sobrevivência neste chão da vida, e esta flor Rosa-ângela semeou neste terreno onde pisou com amor, sensibilidade e paixão pelo próximo...,

Jesus disse que a semente da Palavra quando cai no chão do coração humano e não acha terra e espaço suficiente para germinar [morrer e gerar outras vidas] uma plantinha, ela morre muitas vezes por ser lançada em meio aos espinhos que a sufoca. Ele disse o que disse, porque sabia o que estava dizendo em relação a nossa vida. É preciso morrer para VIVER! (refletir)

Todavia, mais tarde no seu julgamento ante Pilatos, Jesus foi ‘coroado’ pelos soldados romanos com uma coroa de espinhos de uma roseira. E estes espinhos acenam para as flores que nasceram nos entremeios das dores e do sufoco da vida probatória, e não desistiram de seu chamado de amor diante do Senhor!

Como bem expressou o Apostolo Paulo: “Enquanto o meu homem exterior se deteriora, o meu homem interior cada vez mais se identifica com Cristo”.
Então o poeta reverbera: "Será que a fonte da Vida secou? Será que o Rio da Vida secou?... Veja uma Rosa que vem de Saron. Lirios que do vale chegou, Rocha, onde o Amor se firmou. É Quem pode mudar o destino e fazer do espinho uma flor...!"

E nesta nuance se encontra a nossa saudosa flor rosa Rosinha!

Como fora dito nos testemunhos das pessoas na igreja, ela jamais se deixou sufocar pelo câncer e pelas dores dos espinhos na sua carne... [...]... Talvez, cada um de nós tenha o seu conceito de vitórias, claro, tudo isso é relativo quanto à fé. Conquanto de uma coisa eu saiba: A flor Rosângela estará em nossa memória para sempre!

Poxa vida!

Que saudades...

Mano Serafim e família junho/2010.