sexta-feira, 24 de setembro de 2010

A des-Graça reinante...


"Os templos neopentecostais estão abarrotados de pastores que disseminam a nefasta teologia do medo. Infelizmente, O medo tem sido espargido pelos ministros da prosperidade que de forma desavergonhada anunciam o evangelho do pânico, cujo protagonista é satanás. Nele, o crente é ensinado de que o diabo pode afligi-lo, atormentá-lo, além obviamente de destruí-lo roubando-lhe a salvação eterna. Para tanto, os evangelistas à lá Zé do caixão, promovem entrevistas com demônios, ensinam sobre o poder do capeta, além de propagarem um cristianismo onde o dualismo e o maniqueísmo se fazem presentes.
Ora, vamos combinar uma coisa? Este tipo de doutrina é extremamente interessante para os adeptos da fé “hitchcochiana”, até porque, ao instalar a política do medo no coração dos incautos, se torna mais fácil, comercializar os apetrechos da fé, cujo poder é mágico, além de eficaz para afastar mal olhado, olho grande e todo tipo de feitiçaria.
Para piorar a situação, as doutrinas propaladas pelos terroristas neopentecostais, impõem sobre os cristãos a idéia de que não existe salvação sem a intervenção milagrosa de Jesus mediante as mãos de apóstolos, bispos e pastores especiais. Ao serem induzidos a pensar desta maneira, um número incontável de cristãos abandonam na esquina da vida doutrinas como o sacerdócio de todos os santos, salvação e outras mais. Além disso, por acreditarem na existência de líderes especiais, os membros destas igrejas tornaram-se reféns de uma política espiritual, onde desobedecer a determinação do pastor é pecado grave, podendo trazer maldições da parte de Deus sobre aqueles que tocam no “ungido” do Senhor.
Isto posto, afirmo que o Evangelho de Cristo se contrapõem em muito a teologia do medo. Em Jesus e por Jesus somos libertos da escravidão do pecado, e do domínio do diabo. Vale à pena ressaltar que a Bíblia também nos ensina que somos de Deus e que em virtude disto maligno não nos toca. Em outras palavras, isto significa dizer que não existe esta história de que o diabo pode aprontar o que quiser na vida do cristão.

Louvado seja o Senhor que nos VERDADEIRAMENTE nos libertou e que por intermédio de sua cruz nos tornou livres."
--------------------------------------------------
RESPOSTA:
Mano,
O big problema no meu ver, é que foi instalado tal evangelho da des-Graça no inconsciente do povaréu crente, e mais, idiotizados pelas bravatas de seus lideres macunaímicos!
Sim, o tal inconsciente coletivo criou um “holograma maximizado” mensurável em cada individuo vitimado inconscientemente pela imagem de um ídolo (líder), cujo paganismo dimensional abrange os neófitos da fé aos já viciados há tempos no “poder” absoluto e obscurantista de seu Líder-mentor-luciferiano...
Acho que seja muito difícil que se reverta tal quadro experimental do ente Igreja... Esta geração é virtual na sua devoção e adoração ao que é RETO, e real e latente nas suas compulsões contemplativas ao materialismo...
Eles [os mentores macunaímicos] de fato conseguiram ecumenizar o Evangelho dentre eles mesmos, sem convidar nenhum outro seguimento religioso de fora.
Ora, toda religião é sincrética em si, porém, permitir que o sincretismo religioso dite as ordens de Culto a Deus e ao Deus do Culto, significa surtar ante ao empobrecimento psíquico e espiritual de cada movimento que apresenta ser a solução para uma geração doente e ambígua (onde qualquer emulação representa UNÇÃO). É no candomblé que assim funciona!
De ambigüidades e ambivalências seja feito o próprio existir, todavia, deixar-se emacumbar pelo diagnóstico de que: saudável e espiritual é todo aquele que dá um sim para os fetiches neo-pentecostais, quando que a proposta do Evangelho jamais fosse essa – “Eu tenho um chamado (meu ministério) e possuo o Espírito Santo - batismo com fogo”, alguém já ouviu esta frase antes?
Ora, esta é uma frase pitoresca mais usada no meio neo-pentecostal!
O cara diz que tem um ministério particular por obra do Espírito Santo agindo na vida dele. Para mim isso significa apenas, uma SUBJETIVIDADE que precisa se auto afirmar quanto herói da fé apostólica dada a profetada dos 144.000 Apostolozinhos!
Ora, e todo aquele que tentou coletivizar a sua individuação narcisista se ferrou na História!
E os apostolozinhos modernos tentam a tudo custo com suas retóricas jactantes e bazóficas, relativizar a História, com mais uma bravata gospel: "Permaneça aqui neste  ministério e Deus mudará a sua história!"
A própria Bíblia faz um relato sobre dois "líderes do momento" chamados de Teudas e Judas (galileu), Teudas  - o qual arrebanhou um povo (400 pessoas) dizendo ser o “cara” e por fim se perdeu e juntamente com ele foram todos abismos abaixo, e da mesma forma aconteceu com Judas nos dias do alistamento!(Atos.5.36 e 37)
O Evangelho nunca ofereceu tal narcisismo a ninguém e nem tampouco arcabouços de prosperidades proféticas ao povo eleito.
Porque é tão dificultoso para essa gente [para o crente do superego] acreditar somente em JESUS?
Porque é tão fácil OBEDECER aos ritos da igreja e aos COMANDOS dos lideres demarcadores de territórios alheios, e por outro lado, não dá ouvidos para o que Jesus apenas PEDE que se faça? E isso em nome e para o bem dos homens sem acepções de classes sociais?
Quando leio nos evangelhos a atuação de Jesus entre o povo sofrido e desnorteado no chão desta vida doida fico perplexo com o Seu amor virulento , e que inclui a todos socialmente.
Ora, o amor apresentado por Jesus nos evangelhos não reivindica nada, não impele o homem a exigir nada a Deus (determinar) e nem a espoliar ao seu próximo, antes, ensina saudavelmente e deliberadamente a dar, dar e dar, sem trocas... Visa somente o OUTRO. E isso é simplesmente extraordinário!
Porque nisto consiste em amar ao próximo como a si mesmo!
Jesus nos ensina um amor puro-verdadeiro e divino-incondicional como forma de graça e aceito por Deus. Uma decisão unilateral daquele que ama no amor eterno!
Quando a prioridade for o OUTRO na vida do cristão, todos entenderão que é do amor ao próximo a chave de toda a felicidade e santidade que um crente possa ter nesta vida ambivalente. E aí meu irmão (â) você pode dizer que ganhou o mundo inteiro sem perder a sua alma... Você estará CURADO!
O amor é oferecido (sacrifício); de graça (não condicional); e não barganhado de maneira platônica (o amor Eros - conjugal), ainda que haja a presença do amor fraternal (recíproco), o amor ágape se estende hoje no tempo e no espaço corporal de cada ser - amante e exponencialmente se escancarar na eternidade sem os re-começos...
Lá na eternidade da vida em pleno amor perfeito, o ser recriado na imagem e semelhança de Deus, se descobrirá sem nenhuma vergonha que lhe faça ver a sua nudez de coração, pois, o seu verdadeiro eu estará iluminado por Deus eternamente - E ali não haverá mais noite, e não necessitarão de lâmpada nem de luz do sol, porque o Senhor Deus os ilumina; e reinarão para todo o sempre.” (Apoc.22.5).
É preciso lembrar que a Queda do homem resultou na perda e no desfiguramento da imagem divina. Isso não quer dizer que os poderes mentais e psíquicos (a alma) se extinguiram, mas que a inocência original e a integridade moral nas quais ele foi criado se perderam por causa da desobediência.
Portanto, o homem é absolutamente incapaz de salvar-se a si mesmo, e não há esperança de que lhe seja restaurada a imagem divina, a não ser se por um ato de (G)graça.
E é neste espírito que me faz repetir aqui neste artigo que: Estão realmente conseguindo fazer do Evangelho uma FÁBRICA DE TARADOS; NEURÓTICOS; PARANOICOS E MANÍACOS – sim, estamos vivendo a Era da SOCIOPATIA e suas projeções mais ambíguas possíveis!
E por uma única razão ambivalente:
A)     O homem caído delibera e extravasa energias cortantes a fim de dominar o seu semelhante – o que é considerado como loucura de morte pelo Evangelho. Posto que seja abominação para Deus ao sondar o coração do perverso, cujo desejo seu seja manipular o próximo (o qual ele jamais viu como o OUTRO). Isso é fazer o uso do poder para o mal, e como mal maior, satisfazer o seu egoísmo.
B)     O fruto do amor de Deus em nós produz o açucares da doçura no Espírito Santo. E todo homem nascido de Deus deve ao menos se brear com este melaço... Ele cresce na medida em que a graça de Deus é entendida e instalada na sua alma em forma existencial de pura gratidão [psique regenerada em absoluto espírito].... Daí um milagre a surgir em meio às ambigüidades pós Queda, - Um renascimento - o Espírito liquefaz o “corpo da carne” [que é inimizade contra o Deus do amor eterno] dado ao inconsciente coletivo gerado na inconsciência sem o discernimento do propósito do Evangelho na existência...
E o que daí nasce e toma corpo espiritual, é justamente uma nova consciência espiritualizada como filho do amor eterno – Deus.
Sinceramente eu não consigo entender como é que o crente dês - evolui tanto neste sentido em relação a Deus?
Cuidemos nós, aos que se arrogam estar ainda de pé, que não venhamos a negociar descaradamente a nossa salvífica alma pela solicitude do que se existencializa hoje como dês-Graça cristã.

Mano Serafim