segunda-feira, 4 de outubro de 2010

O espírito de Paulo está de volta...(1 Coríntios 9 )

Se caso Paulo estivesse vivo hoje, e fosse entrevistado pela mídia atual - como você imaginaria o seu comportamento sobre tais perguntas abaixo?

A) O senhor é considerado um Apóstolo para as nações do Mundo?

R- “Não sou eu apóstolo? Não sou livre? Não vi eu a Jesus Cristo Senhor nosso? Não sois vós a minha obra no Senhor?

Se eu não sou apóstolo para os outros, ao menos o sou para vós; porque vós sois o selo do meu apostolado no Senhor”.(parece que mais seria uma questão de vocação ministerial do que mesmo de um mero título pessoal)
B) O senhor possui alguma mega-estratégia visionária de pregar ás nações comprando um jatinho?
R- “Esta é minha defesa para com os que me condenam.
Não temos nós direito de comer e beber?
Não temos nós direito de levar conosco uma esposa crente, como também os demais apóstolos, e os irmãos do Senhor, e Cefas?
Ou só eu e Barnabé não temos direito de deixar de trabalhar?
Quem jamais milita à sua própria custa? Quem planta a vinha e não come do seu fruto? Ou quem apascenta o gado e não se alimenta do leite do gado?
Digo eu isto segundo os homens? Ou não diz a lei também o mesmo?
Porque na lei de Moisés está escrito: Não atarás a boca ao boi que trilha o grão. Porventura tem Deus cuidado dos bois?
Ou não o diz certamente por nós? Certamente que por nós está escrito; porque o que lavra deve lavrar com esperança e o que debulha deve debulhar com esperança de ser participante”.(parece que Paulo e os demais apóstolos de Cristo, e juntamente com as suas famílias,  não pensaram duas vezes em colocar os seus pés nas estradas empoeiradas e desérticas para anunciar o Evangelho)
C) Seria correto, como também se tornou comum no meio da cristandade, enriquecer-se através dos dízimos e das ofertas nas realizações de campanhas com propósitos feita pelos fiéis?
R- Se nós vos semeamos as coisas espirituais, será muito que de vós recolhamos as carnais?
Se outros participam deste poder sobre vós, por que não, e mais justamente, nós? Mas nós não usamos deste direito; antes suportamos tudo, para não pormos impedimento algum ao evangelho de Cristo.
Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que de contínuo estão junto ao altar, participam do altar?
Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho”. (o que parece estar claro: é que viver pelo evangelho não é o mesmo que enriquecer "através do evangelho" com o trabalho melado de suor dos fiéis)
D) Entendi. Mas quanto ao senhor, qual a sua posição quanto ao viver pelo evangelho?
R – “Mas eu de nenhuma destas coisas usei, e não escrevi isto para que assim se faça comigo; porque melhor me fora morrer, do que alguém fazer vã esta minha glória.
Porque, se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar, pois me é imposta essa obrigação; e ai de mim, se não anunciar o evangelho!
E por isso, se o faço de boa mente, terei prêmio; mas, se de má vontade, apenas uma dispensação me é confiada.
Logo, que prêmio tenho? Que, evangelizando, proponha de graça o evangelho de Cristo para não abusar do meu poder no evangelho.” (Na consciência de Paulo, ele entendia de que Já estava tudo CON$UMADO por Cristo - ora, e se já está tudo quitado com Deus, como de fato está, não nos resta nenhuma razão pela qual  se deva dar gorjetas aos sacerdotes-pastores-mediadores das bençãos em nome de Deus).
E) Como o senhor ver o seu apostolado diante da sociedade?
R- “Porque, sendo livre para com todos, fiz-me servo de todos para ganhar ainda mais.
E fiz-me como judeu para os judeus, para ganhar os judeus; para os que estão debaixo da lei, como se estivesse debaixo da lei, para ganhar os que estão debaixo da lei.
Para os que estão sem lei, como se estivesse sem lei (não estando sem lei para com Deus, mas debaixo da lei de Cristo), para ganhar os que estão sem lei.
Fiz-me como fraco para os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns.
E eu faço isto por causa do evangelho, para ser também participante dele.”(isso prova de que o Evangelho era existencial para ele, assim como deve ser para o apóstolo vocacionado por Cristo - isto é, possuindo no entanto, o servo, a mente de Cristo).
F) E para finalizar o nosso encontro: como o Apostolo ver a participação dos cristãos-evangélicos nestas eleições de 2010 para presidência da república?
R- “Não sabeis vós que os que correm no estádio, todos, na verdade, correm, mas um só leva o prêmio? Correi de tal maneira que o alcanceis.
E todo aquele que luta de tudo se abstém; eles o fazem para alcançar uma coroa corruptível; nós, porém, uma incorruptível.
Pois eu assim corro, não como a coisa incerta; assim combato, não como batendo no ar.
Antes subjugo o meu corpo, e o reduzo à servidão, para que, pregando aos outros, eu mesmo não venha de alguma maneira a ficar reprovado.”
(nada seja mais explícito do que tal resposta paulina: os evangélicos escolhem os seus partidos(como cidadãos livres)embora, não sejam livres para votar, pois, os seus lideres os amedrontam e indicam em quem votar, eles ensinam os fiéis a ideologizar a sua Fé[crente deve votar em crente não importando as suas intenções]...Nesta empreitada o cara se vende aos partidos políticos “demonizados”  para alcançar as “glórias deste mundo” e assim construir o seu próprio reino aqui na terra, ainda que reprovado esteja diante de Deus).
The End

Mano Serafim