sábado, 9 de outubro de 2010

O Homem é...

O homem, segundo Gênesis 2.7, compõe-se de duas substâncias – a substância material, o corpo, e a substância imaterial, a alma.
Ora, o primeiro Adão foi criado alma vivente, já o último Adão, espírito vivificante!
Contudo, o homem-criatura, de acordo com 1Ts.5.23 e He.4.12, compõe-se de três substâncias – espírito, alma e corpo.
Portanto, qual a "teoria bíblica" correta: A crença de que o homem possui duas partes (substâncias) ou a crença de que o homem é constituído de três partes (substâncias)?
Quando há uma compreensão neste caso, as duas teses estariam corretas.
O espírito e a alma representam os dois lados da substância não física do homem (imaterial); ou, em outras palavras, o espírito e a alma representam os dois lados da natureza espiritual. Embora distintos, o espírito a alma são inseparáveis, pois, permeiam e interpenetram um ao outro!
Penso que seria correto em dizer: eu sou um espírito (ser) possuo uma alma (psique- a base da individualidade do ser que é), e habito num corpo (invólucro), logo sou eu: Homem!
Estas duas substâncias hominais (alma + espírito) constituem a “alma” (vida) do homem. Posto que, a alma é depositária da vida; e a vida por sua vez, é o entrosamento do corpo com a alma...,
 A alma dá vida ao corpo; e, quando a alma se retira, o corpo morre [o que resta é apenas um grupo de partículas materiais em decomposição].
Todavia, a alma sobrevive à morte porque o espírito a dota de energia; no entanto, a alma e o espírito são indissociáveis, porque o espírito está entrelaçado no tecido da alma. Eles estão fundidos e unidos em uma substância, cuja dimensão não está ao nosso alcance.
Nem a psicologia moderna consegue discernir e delimitar o espírito e a alma (psique) de um homem, porém, a Palavra de Deus estabelece separação e precisão no seu limiar entre ambas às partes que constituem o ser do Homem, ou seja, Deus pode fazer a separação entre tais ethos — tais coisas-em-si: (He.4.12).
A gente tem consciência de que possuímos tais substâncias [ o ser é discernível, mas não é explicável em palavras], entretanto, não conseguimos distinguir a “voz” de quem está falando no momento.
- O espírito é aquilo que faz o homem diferente de todas as demais coisas criadas. Esse espírito é dotado de vida humana (e inteligência), que se distingue da vida dos seres irracionais. Os seres irracionais têm alma, mas não têm espírito...
Prova disso é que os seres irracionais não podem conhecer as coisas de Deus e não podem ter uma relação pessoal e responsável com Ele.
Ora, Paulo faz uma viagem fantástica e complexa para as geografias do dentro de si mesmo (homem interior) tentando desvendar tal mistério entre a psique (alma) e o espírito em si mesmo.
Veja a sua percepção:
Rm 11:3: "Senhor, mataram os teus profetas, e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e procuraram tirar-me a vida?"
Rm 16:4: "(...) os quais pela minha vida expuseram as suas cabeças; o que não só eu lhes agradeço, mas também todas as igrejas dos gentios".
I Co 15:45: "Assim também está escrito: O primeiro homem, Adão, tornou-se alma vivente; o último Adão, espírito vivificante".
II Co 1:23: "Ora, tomo a Deus por testemunha sobre a minha vida de que é para vos poupar que não fui mais a Corinto..."
Fp 2:30: "(...) porque pelo evangelho de Cristo (...) chegou até as portas da morte, arriscando a sua vida para suprir-me o que faltava do vosso serviço".
I Tess 2:8: "Assim nós, sendo-vos tão afeiçoados, de boa vontade desejávamos comunicar-vos não somente o evangelho de Deus, mas ainda as nossas próprias almas; porquanto vos tornastes muito amados de nós".
Além dos vers. citados acima , existem quatro (e muito mais na Bíblia) de usos psíquicos —ou seja, psicológicos—, três indicam desejo:
Ef 6:6: "(...) não servindo somente à vista, como para agradar aos homens, mas como servos de Cristo, fazendo de coração a vontade de Deus".
Fp 1:27: "(...) firmes num só espírito, combatendo juntamente com uma só alma pela fé do evangelho..."
Cl 3:23: "E tudo quanto fizerdes, fazei-o de coração, como ao Senhor, e não aos homens..."
Ainda designando o termo como algo psíquico, Paulo o usa a fim de também indicar emoção:
"E o próprio Deus de paz vos santifique completamente; e o vosso espírito, e alma e corpo sejam plenamente conservados irrepreensíveis para a vinda de nosso Senhor Jesus Cristo" (I Tess 5:23).
Paulo também discerniu o “men-almático(psíquico)” do “men-espirital(pneumático)” – Ora, o homem natural não compreende as coisas do Espírito de Deus, porque lhe parecem loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente” (1Co.2.14).
Todavia o que nos fascina e põe a nossa existência aos pés do Transcendente Criador.
É entender com o coração e mente escancarados, que aprouve a Deus pôs a eternidade nos homens, sendo assim, os faz transcender espiritualmente, e para designar o que há de mais superior na constituição humana entranhável, Paulo usa do grego o termo Pneuma (Espírito).
Desta forma, o Homem psíquico, expressa a natureza humana em si mesma.
Na segunda dimensão—a espiritual— expressa o nível de ser que transcende o imediato. É o transcendente no homem, e que é transcendente ao homem, sem deixar de ser o homem.
Sim, o Homem Penumático que expressa o ser consciente e subordinado ao Espírito Santo, pondo o próprio espírito humano como senhor de sua própia alma.
E isso só ocorre, porque Aquele que, na origem da criação do homem, soprou no corpo desse homem o fôlego da vida poderá soprar na alma dele uma nova vida espiritual – isto é, regenerá-lo(Jo3.8;20.22,Cl3.10).
Fico por aqui!
Mano Serafim