quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Caim, Abel e a Teologia da prosperidade...


De um relato factual do A.T. ao "espírito-potestade" que se encorporou na História da humanidade pós Queda.
E aconteceu ao cabo de dias que Caim trouxe do fruto da terra uma oferta ao SENHOR.
E Abel também trouxe dos primogênitos das suas ovelhas, e da sua gordura; e atentou o SENHOR para Abel e para a sua oferta.
Mas para Caim e para a sua oferta não atentou. E irou-se Caim fortemente, e descaiu-lhe o semblante.
E o SENHOR disse a Caim: Por que te iraste? E por que descaiu o teu semblante?
Se bem fizeres, não é certo que serás aceito? E se não fizeres bem, o pecado jaz à porta, e sobre ti será o seu desejo, mas sobre ele deves dominar ".(Gên.4.3-7)
Ao lermos a história vemos que o Senhor aceita a oferta de Abel, apesar de rejeitar Caim. Muitos acreditam que a razão pela qual Deus respondeu da maneira que Ele fez foi por uma presença de sangue, enquanto o outro não. Se o objetivo deste sacrifício era para expiar o pecado, então essa interpretação é verdadeira.
A Bíblia diz que - "sem derramamento de sangue não há perdão dos pecados. "(Hb 9:22).
No entanto, a palavra usada nesta passagem para a (oferta) nem sempre significa um sacrifício em oferenda pelo pecado.
Além das ofertas pelo pecado, os judeus (hebreus) estavam a fazer..., eles também foram para oferecer outros tipos de ofertas simplesmente com o propósito de adoração. Entre essas ofertas foram muitas ofertas de cereal. Se isso for verdade, então não pode ter sido outra razão além da falta de sangue que fez com que o Senhor rejeitasse a oferta de Caim?!
Somos informados pelo texto supracitado, de que Abel ofereceu as melhores partes dos primogênitos do seu rebanho. Caim, no entanto, simplesmente trouxe um pouco de comida do chão (cultivo).
E daí?..., de qualquer forma não seriam oferendas espontâneas ao Criador da Terra e ao proprietário de tudo que há nela?
E todos-e-tudo como um Todo não sejam pertencentes unicamente a Deus?
Talvez, o grande “vazio” na oferta de Caim fosse o seu próprio oco coração devotado em si mesmo...
A saber -"Vocês são hipócritas! Isaías estava certo quando disse a seu respeito: "Essas pessoas mostram honra-me com palavras, mas seu coração está longe de mim. Sua adoração de mim é inútil "(Mt 15:7-9).
Ora, a oferta de/em adoração ao Senhor sem pôr o coração n’alma é inútil... É  adoração e sacrifício de tolo!
Deus não se inclina para quem canta simplesmente por cantar a canção ante ao diapasão frenético sem o tom espiritual e total-mente dest(r)onado das Vibrações da Graça..., Sendo o desejo de agradá-Lo vazio ou des-provido do serviço voluntário e devoção...
O que Ele “deseja” é que os homens e as mulheres que o amam-e-o-adoram ou louvem, aspirjam para fora o seu amor -, logo, estarão eles dispostos a dar-Lhe do seu melhor, sim, a sua melhor oferta queimada no altar do próprio coração quebrantado em gratidão e em consciência amadurecida sempre...
Senhor porque te agradaste da oferta de Abel e desprezaste a oferta de Caim?
Todos os homens na projeção de teu olhar de luz, ainda que estejam cingidos de folhas de figueira, porventura não estão todos eles despidos e patentes aos teus olhos examinadores?
Certamente, a oferta de Abel não foi melhor em essência que a oferta de Caim!
Senhor qual foi à melhor oferta entre os filhos de Adão?
Aliás, qual foi o coração benévolo e descortinado que precedeu santificado pela justificação do Cordeiro [imolado antes da fundação do mundo]?
Senhor o coração malévolo de Caim fez com que desprezastes a sua oferenda?
"O diferencial está na confiança do ofertante, e não na oferta!"
Abel alcançou testemunho de que agradara a Deus, ou que ofereceu melhor sacrifício pela fé, e não por meio do sacrifício.
Deus não aceita as pessoas por causa de suas ofertas e sacrifícios, e sim, pela confiança que depositam em Deus por Deus.
Caim foi até Deus confiando em sua oferta, e, por isso, ele não foi aceito e nem a sua oferta.
Abel foi até Deus convicto que seria aceito e galardoado. Ele foi aceito e a sua oferta também. Abel confiou em Deus, que é galardoador, e Caim confiou na sua oferta, continuando reprovável diante de Deus.
Abel recebeu a recompensa, pois Deus atentou para Ele e para a sua oferta. Observe que Deus atenta em primeiro lugar para o homem (altar do coração) que n'Ele confia, e depois para a oferta posta nos altares de todas as justificações da Religião.
O testemunho de Deus quanto à oferta de Abel decorre do fato de ele ter sido aceito por Deus pela fé [sendo justificado através da fé em Deus, conquanto aceito como “cheiro suave” as narinas do justo Criador].
Observe que, pela fé Abel ofereceu melhor sacrifício que Caim, tanto que, até depois de morto a sua oferta lhe deu testemunho da justiça alcançada.
Mas a Teologia da prosperidade vocifera por outro caminho estranho da graça de Deus....Nela, todos os sacrificios, dízimos e ofertas são aceitos - Não precisa-se conhecer a origem e de quem provém...todas ás safadezas são consagradas em nome de MAMON!
Em nossos dias vemos muitos lideres evangélicos [da prosperidade material] concitando os seus liderados a fazerem votos e contribuições megalomaníacas. Para isso, apresenta a oferta ou o sacrifício como elemento para fazer o homem alcançar a 'bênção' de Deus.
É o arquétipo histórico de Caim o "filho-da-perdição" tomando corpo e vida(estrututa socio-cultural) nos entremeios da cristandade que paga pelas “relíquias” dos papa$ prote$tante$[a fábrica doutrinária das quebras de maldições pecuniárias]...A barganha anda solta e os conluios com os "politicos-da-fé" consolidados["quem quer dinheiro"] -, ora, é muita grana que rola nos bastidores das igrejas dada as campanhas em nome dos "MINISTÉRIOS PESSOAIS DE MEU REINO AQUI NA 'NEO-TERRA'"(qualquer semelhança neste nome, considere apenas mera coincidência neopentecostalizada)...,
Esses lideres argumentam que, quando maior a oferta, maior é a fé do ofertante[esses caras são os maiores saltimbancos do povo sofrido de Deus]. Invertem os valores que a Bíblia apresenta[são estelionatários da fé], omitem a verdade que o homem só é aceito por Deus por meio da fé, e, depois a oferta é recebida por Deus.
Saibam de uma coisa:
Abel não foi até Deus por causa de uma 'bênção', mas pela alcançou um bom testemunho "Foi por ela que os antigos alcançaram bom testemunho" ( Hb 11:2 ). Os antigos e não os "Príncipes" modernos do rapa-rapa!
Desta forma compreendemos o exposto pelo escritor aos Hebreus: "Pela fé Abel ofereceu a Deus mais excelente sacrifício do que Caim..." ( Hb 4:4 ).
Por ter se aproximado de Deus pela fé, de Deus Abel recebeu testemunho de que era justo [ou seja, ele foi justificado por crer que é Deus quem justifica o homem e não meritoriamente o homem seja justificado pelo que oferta]. Observe que a oferta jamais poderia justificar Abel, pois o escritor aos Hebreus já havia demonstrado que o sangue de animais jamais poderiam tirar pecados ( Hb 10:4 ).
O que é impossível a sangue de touros que se oferece em holocaustos [não poder gerar uma consciência regenerada pelo favor divino] é possível pela , pois, pela Abel alcançou de Deus testemunho de que era justo [metanóia no Espírito da Graça] "... pelo qual alcançou a veracidade espiritual de que justo-justificado estava Nele..." ( Hb 11:4 ).
Ora, nesta mesma toada e como fenômeno histórico..., é revelado Deus dando testemunho de Abel como aquele que discerne que a misericórdia e a graça de Deus prevalecem sempre e para sempre na vida de quem CREU e recebeu o Evangelho.
E para mim, tal decisão unilateral do Eterno, põe fim a toda oferta de barganha que se tentam realizar entre o Deus-Santo e os homens que se auto-santificam meritoriamente!
E Deus amou a Caim?
Claro! Da mesma intensidade que amou a Abel.
Isso está tão evidente no Culto..., então Deus chama Caim num canto e fala[da mesma maneira que fala com você em seu quarto quando ora]: “Porque está com o teu semblante apático?” – Ponha as suas vísceras emocionais no lugar certo que devam estar, e depois circunde o seu coração na vereda da justiça e na simplicidade  da verdade por amor ao meu Nome. Agindo assim, SERÁS também aceito como também todas as suas ofertas em adoração a mim...,
 O convite do Pai era para que Caim desistisse de seu plano maligno de assassinar o seu irmão, Abel [a quem ele projetou toda a sua ira e ódio quando rejeitado no "altar-da-devoção" por Deus].
Ora, Deus não deseja o seu dinheiro meu mano!
Quem cobiça o seu dinheiro melado de suor é a estrutura religiosa que monta um “altar  particular das aparências” com a intenção de tocar o céu de seus  própios fetiches carnais..., Deus quer, anela, e espera reciproca-mente apenas, a sua disposição em amá-lo de todo o seu coração e alma!!!!!!!!
Pergunto: qual relação existe entre a oferta do justo Abel com as estratégias de ofertas da Teologia da prosperidade?
Agora, pense nisso: Existe alguma diferença nas barganhas feitas entre Caim e os discipulos da Teologia da prosperidade?
Tente imaginar se Deus colocasse uma Árvore repleta de dinheiro no Jardim do Éden (observe a gravura deste artigo)?
Alguém pode responder o que poderia acontecer?
Portanto, examine-se o homem a si mesmo e logo em seguida oferte-se a Deus em amor visceral!
Mano Serafim