quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Dingo Bel ou Jingle Bell?

O Natal se aproxima e junto vem à estrela de Belém que anuncia a chegada do Messias envolto pelo feno de uma manjedoura.
O que mais parecia é que a noite de sua chegada estava fria, e sua madre sem condições de esquentá-lo num cobertor de lã apelou para um estábulo, cuja estada foi-lhe negada para pousar a sua abençoada conceição...,
Por favor, eu faço um apelo a todos os homens da terra:
Esqueçamos as nossas diferenças e as  nossas divergências religiosas...,
Esqueçamos por um instante os conceitos de datas que já carregam em si as natalidades que refutam o nascimento do menino Jesus para o fim de uma marcação, de um tempo, só isso...,
Esqueçamos das nossas verdades que carregamos em pró da "religião verdadeira", cujas idéias defendemos a sangue quente e suor frio...,
Esqueçamos de nos lembrar que o Natal não se comemora a entrada do Deus Emanuel que permanece conosco para sempre...,
Esqueçamos de todos os males que nos fizeram, e que porventura foram feito em nome de Deus, mas que de Deus jamais procedeu...,
Esqueçamos das obras que realizamos com a mão direita para favorecer outros, porém, somente para demasiar ainda mais o ego recebendo ovações com a mão esquerda...,
Ora, se fossemos esquecer tudo que nos deixou triste neste ano que finda precisaríamos de um chip implantado no cérebro para deletar todas as ações não aprovadas que nos causou desistências e nos fez chorar com o coração...
Todavia, não parece ser tão difícil de se lembrar que Ele faz novas todas as coisas, inclusive os nossos relacionamentos!
Celebraremos a vida abundante hoje, porque saltamos da morte em trevas para a vida em luz, pois, a estrela de Belém também trouxe na sua cauda o mesmo discernimento que fora dado aos reis astrológos do Oriente: A chegada de um FIRMAMENTO HISTÓRICO PARA HUMANIDADE...,
A Luz já veio e é Ele, e com a Sua presença refaz o ambiente que apenas existia, Ele transforma em graça, gera vida em toda existência e converge para Si através do amor toda a Criação...
Na verdade, todos cantam , celebram e festejam a Sua chegada no Mundo.
E cada um O vê como pode e imagina... Seja numa simples manjedoura em Belém da Judéia ou na sala de sua residência...,
Alguém possa dizer que Ele já não seja mais um menino, porém, o seu convite para nós é que sejamos sempre meninos!
Ora, um menino possui uma fértil imaginação, e porque não falar que a minha meninice se aflora no Natal?
É a época que me faz rever meus conceitos que regem a minha vida quanto cristão, e ao passo que me deixo ser re-descoberto pelas fantasias do Natal em família, mais me sinto preso, não ás desilusões da vida adulta, mas aos laços em família que me fizeram ser um bom pai de família...,
O Natal é bastante significativo para mim... Eu não abro mão disso, nem tampouco dos presentes, e mais, na mesa um delicioso chester para ser degustado com  um vinho envelhecido!
Eu nem imagino como você [leitor] se sentirá neste Natal, embora lhe deseje o de melhor...,
A minha casa está aberta para o espírito do Natal em Paz-Shalom...,
E é neste espírito do Evangelho que comemoro o Natal em família!
Se reunindo em Cristo com os entes queridos e muitas vezes ao som de dingo bel ou jingle Bell...(risos).

Feliz Natal!

Alfredo e família  15/12/2010.