sábado, 4 de dezembro de 2010

"Eu nasci gay?!"


De :Anônimo
Para: alfredoserafimanjo@ig.com.br

08 Janeiro 2008
Estranha graça: Philip Yancey e o homossexualismo
Julio Severo
A Bíblia chama o pecado de pecado. Por exemplo, o homossexualismo é chamado de pecado e quem o pratica perde o direito de entrar no Reino de Deus.
“Não se deite com um homem como quem se deita com uma mulher; é repugnante”. (Levítico 18:22 NVI)
“Vocês não sabem que os perversos não herdarão o Reino de Deus? Não se deixem enganar:… nem homossexuais passivos ou ativos… herdarão o Reino de Deus”. (1 Coríntios 6:9,10 NVI)
No entanto, e quando uma igreja inteira crê diferente, minimizando as declarações da Bíblia ou então aceitando uma falsa realidade onde as condenações da Bíblia ao pecado não são o que são? Esse é o caso de igrejas cristãs gays, onde homossexuais praticantes que se consideram pastores interpretam a Bíblia não no temor de Deus, mas puramente na paixão de seus desejos sensuais.
E quando líderes evangélicos famosos, talvez tentando provar que são moderninhos, cheios de graça e amor, seguem o dogma politicamente correto da tolerância e diversidade e já não mostram disposição de condenar o pecado? Pior: e quando eles dão entrevistas para igrejas onde o pecado é celebrado como bênção em vez de maldição?
Não há dúvida de que uma igreja gay não tentaria entrevistar um cristão que crê e prega que Jesus liberta os homens do pecado homossexual. Tal entrevista poderia expor muitos à chance de conhecer a graça salvadora e libertadora do Evangelho. Mas quando uma igreja gay percebe que um evangélico famoso tem, de uma forma ou de outra, posicionamentos religiosos que se desviam do padrão bíblico, uma entrevista é uma possibilidade grande.
Uma entrevista reveladora
É o que aconteceu no caso de Philip Yancey. Ele deu uma surpreendente entrevista para Candace Chellew-Hodge, fundadora de Whosoever, uma revista eletrônica para gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros... cristãos. Essa não é uma revista para cristãos que lutam contra tendências homossexuais, mas para que gays possam se sentir confortáveis e tranqüilos com seu pecado e ao mesmo tempo professar uma fé pretensamente bíblica.
Aliás, Candace argumenta ao explicar sua missão: “A homossexualidade, como conhecemos hoje, não é condenada em nenhum lugar da Bíblia”. Candace é pastora de uma igreja que aceita gays assumidos e não-arrependidos não só entre o povo, mas também na liderança.
A conversa entre Candace e Yancey, intitulada “Impressionado com a Graça”, é bastante amigável e mostra dois lados de uma mesma moeda: de um lado, alguém que está satisfeita com sua condição homossexual, não quer se arrepender nem mudar de vida, mas não abre mão de sua identificação cristã; do outro lado, um famoso escritor evangélico que está tranqüilo quanto a essa postura. As declarações a seguir são do próprio Yancey, em sua entrevista à pastora lésbica:
“Tenho freqüentado igrejas gays e lésbicas e fico triste que a maioria das igrejas evangélicas não tenha espaço para os homossexuais. Encontrei cristãos maravilhosos e comprometidos nas igrejas ICM (Igreja Cristã Metropolitana, uma denominação que defende o estilo de vida homossexual). Eu queria que as outras igrejas se beneficiassem da fé desses cristãos gays”.
“Durante anos, Mel White foi um dos meus amigos mais íntimos antes que ele me revelasse sua orientação sexual. (A propósito, ele ainda é meu amigo.)… Quando as pessoas me perguntam como é que consigo manter amizade com um pecador como Mel, responde perguntando como Mel consegue manter amizade com um pecador como eu. Mesmo se eu concluir que toda conduta homossexual é errada, como querem muitos cristãos conservadores, sou compelido a responder em amor”.
“No que se refere a assuntos de doutrinas, como a ordenação de pastores gays e lésbicos, fico confuso… Francamente, não sei a resposta para essas questões”.
“Obviamente, se uma igreja está dizendo que você precisa abandonar a orientação sexual, essa igreja precisa receber educação”.
“Já estive em igrejas gays e lésbicas cujo fervor e compromisso deixariam a maioria das igrejas evangélicas mortas de vergonha”.
Em outra entrevista igualmente reveladora ao site Interference, de fãs da banda U2, Yancey respondeu que seu autor favorito é Frederick Buechner. Buechner é pastor e teólogo da PCUSA, denominação presbiteriana liberal dos Estados Unidos. Essa denominação “abençoa” uniões homossexuais, e tal postura tem custado a perda de congregações mais conservadoras, que se recusam a abandonar os ensinamentos da Bíblia sobre o homossexualismo.
Buechner está em perfeita sintonia com sua denominação. Ele declarou: “Dizer que moralmente, espiritualmente e humanamente a homossexualidade é sempre má parece tão absurdo quanto dizer que nos mesmos termos a heterossexualidade é sempre boa, ou vice-versa”.
A predileção de Yancey por Frederick Buechner indica também uma sintonia. Isso mostra que Yancey não está sozinho em sua “graça”. Buechner e sua denominação parecem estar bem perto ou junto dele em pensamentos e ideais.
Graça sem transformação?
Em entrevista à revista Enfoque Gospel, Yancey assegura que seu compromisso com a tolerância e a diversidade (conceitos sagradíssimos na sociedade neopagã moderna) tem como motivação a graça e o amor:
Procuro não fazer um julgamento rígido sobre [o homossexualismo], porque, a partir do momento em que julga, você perde metade das pessoas que devem ouvir o que tem a dizer. Falo do que tenho certeza, e tenho certeza da maneira como devemos tratar as pessoas que fazem as coisas de uma forma diferente da que a gente faz e até mesmo com as pessoas que fazem coisas que desaprovamos fortemente. É isso que significa graça. Se alguém é igual a mim, não preciso de graça. Eu preciso da graça para quem é diferente de mim. Então, o que aprendi com o meu amigo foi que ele teve de ter muita graça em relação a mim, também, porque eu trabalho para a revista Christianity Today, que é uma revista que faz afirmações contra o homossexualismo. Então, é tão difícil para o Mel White ser meu amigo quanto é para mim ser amigo dele. Ao contrário de algumas pessoas, não acho que o homossexualismo seja uma opção, que Mel White e outras pessoas simplesmente decidiram ser homossexuais. É algo que está profundo na identidade dele, assim como a minha heterossexualidade é profunda em minha identidade. Não acordei pensando: “Acho que eu vou ser heterossexual.” Eu sou! Penso que com o Mel é a mesma coisa.
Não, Yancey não está falando de mostrar graça e amor para homens e mulheres que têm desejos homossexuais e querem se libertar de seu pecado. Ele está falando de homens e mulheres que estão determinados a viver no pecado homossexual e a defender sua escolha errada com interpretações distorcidas e cruéis da Palavra de Deus.
Ele fala de indivíduos que buscaram igrejas homossexuais para poderem exercer livremente seus impulsos sexuais. Ele está falando de pessoas que, com uma interpretação pervertida da Palavra de Deus, conciliaram o Cristianismo e o homossexualismo em suas mentes. Ele está falando de gays que namoram e se “casam” crendo receber a bênção de Deus.
Yancey se esquiva de dar respostas diretas, objetivas e claras sobre o homossexualismo. Ele prefere, diante do público e da fama, manter-se ambíguo, como se fosse possível conviver com a verdadeira graça sem experimentar nenhum tipo de transformação.
Será que Yancey já leu a primeira epístola de João? Será que ele crê na Bíblia? O quanto em Yancey é ignorância? O quanto nele é estratégia deliberada?
Yancey se esconde atrás da ambigüidade, mas a Palavra de Deus é muito objetiva e clara sobre o pecado homossexual. Crer que “a homossexualidade, como conhecemos hoje, não é condenada em nenhum lugar da Bíblia”, tal como afirma a pastora lésbica que o entrevistou, equivale praticamente a assumir uma fé esotérica ao atribuir significados diferentes a passagens tão claras como Gênesis 1:27, Marcos 10:6, Levítico 18:22, 1 Coríntios 6:9 e Romanos 1:18-32. Os esotéricos são aqueles que seguem orgulhosamente sistemas de crenças que dependem de conhecimentos e estudos especiais, fora de alcance dos simples. Mas a fé bíblica é para os simples. Nunca perca isso de vista.
Amor sem necessidade de obediência?
Onde não há obediência ao que Deus manda, não há fé verdadeira na Pessoa de Jesus Cristo. Em Deus, amor e obediência se complementam. É o que enfatiza o mesmo apóstolo João:
“Assim sabemos que amamos os filhos de Deus: amando a Deus e obedecendo aos seus mandamentos. Porque nisto consiste o amor a Deus: em obedecer aos seus mandamentos. E os seus mandamentos não são pesados. O que é nascido de Deus vence o mundo; e esta é a vitória que vence o mundo: a nossa fé”. (1 João 5:2-5 NVI)
Em sua primeira epístola, João — que é conhecido como Apóstolo do amor — faz a diferença entre dois tipos de postura diante do pecado. Na primeira, o pecador reconhece que é pecador, arrepende-se e luta com lágrimas diante de Deus para se santificar. É a postura dos cristãos: quedas ocasionais caracterizam sua jornada, mas ele tem a garantia da vitória final em Cristo. A eles o apóstolo diz:
“Filhinhos meus, estas coisas vos escrevo, para que não pequeis. Se, todavia, alguém pecar, temos um Advogado para com o Pai, Jesus Cristo, o justo”. (1 João 2:1)
Na segunda postura, o pecador não reconhece que é pecador — pelo menos, não a ponto de desejar mudança. Continua insistindo nos mesmos pecados e jamais se arrepende. É a postura dos incrédulos que freqüentam igrejas. Precisam ser alertados e confrontados para que se convertam verdadeiramente. A eles João diz:
“Todo aquele que permanece nele não vive pecando; todo aquele que vive pecando não o viu, nem o conheceu”. (1 João 3:6)
É certo que devemos ter paciência com os freqüentadores da igreja que ainda não se converteram. O ensino e a pregação da Palavra são poderosos instrumentos de mudança na vida das pessoas. Em outras situações, se conhecemos cristãos em pecado, é necessário exortar, com carinho, para que deixem o pecado.
A verdadeira graça transforma
O fator essencial de mudança é a graça de Deus.
“Porque a graça de Deus se manifestou salvadora a todos os homens. Ela nos ensina a renunciar à impiedade e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente, enquanto aguardamos a bendita esperança: a gloriosa manifestação de nosso grande Deus e Salvador, Jesus Cristo”. (Tito 3:11-13 NVI)
A verdadeira graça de Deus não deixa ninguém atolado no pecado, nem é contrária aos mandamentos claros de Deus. A graça dele salva e nos ensina a renunciar ao pecado e às paixões mundanas e a viver de maneira sensata, justa e piedosa nesta era presente. Com relação às graças estranhas que são vividas e pregadas por celebridades evangélicas, há quase 2.000 o Apóstolo Paulo já alertava:
“Pois virá o tempo em que não suportarão a sã doutrina; ao contrário, sentindo coceira nos ouvidos, juntarão mestres para si mesmos, segundo os seus próprios desejos. Eles se recusarão a dar ouvidos à verdade, voltando-se para os mitos. (2 Timóteo 4:3-4 NVI)
“Alguns se infiltraram no meio de vocês sem serem percebidos… Eles usam a graça de Deus como desculpa para a liberdade sexual…” (Judas 1:4 GW)
Infelizmente, os ídolos que o público segue não são apenas artistas e cantores que são imitados e viram moda. São também personalidades evangélicas que fazem sucesso por dizerem o que está na moda, por pregarem um “evangelho” agradável, sem compromisso, sem cruz, sem sangue, sem dor e sem libertação.
“Filhinhos, guardai-vos dos ídolos”. (1 João 5:21)
Sucesso garantido pela ideologia
Yancey não é ídolo por acaso. Ele tem sido aclamado nos círculos cristãos esquerdistas do mundo inteiro. No Brasil, basta que se recite enfadonhamente o menu da esquerda para se virar ídolo. Qualquer evangélico que ouse contrariar essa ideologia atrai a ira das galinhas politicamente histéricas, que só se contentam com a Teologia da Libertação, que fatalmente liberta os homens da Verdade, roubando-lhes toda chance de salvação no Evangelho de Jesus Cristo. É por isso que Yancey não é alvo de crítica de evangélicos esquerdistas. Seu “evangelho” (ou seja lá o que ele chame sua pregação) traz uma graça colorida que não incomoda nem o diabo nem os esquerdistas nem o pecado.
E quando o pecado não incomoda, tudo se torna possível. O ultra-esquerdista Jim Wallis, presidente de Sojourners e amigo de Yancey, está participando de uma iniciativa de aproximação cristã aos muçulmanos. Não por acaso, o próprio Yancey tem essa maneira de pensar, conforme ele mesmo declarou na revista Christianity Today:
“Talvez nossa época precise de um novo tipo de movimento ecumênico: não de doutrina, nem mesmo de unidade religiosa, mas um movimento ecumênico que seja edificado no que judeus, cristãos e muçulmanos têm em comum… Aliás, judeus, cristãos e muçulmanos têm muito em comum”.
Em entrevista à revista ultra-esquerdista Sojourner, Yancey fez um comentário que revela que ele está consciente do que está fazendo. No comentário, ele próprio indica que as pessoas é que não estão conseguindo ver o que ele está fazendo! Ele diz:
Eu mesmo me surpreendo com o fato de que consigo escapar de críticas e rejeições pelas coisas que escrevo. Quando enviei meu manuscrito de “Maravilhosa Graça”, eu disse para minha esposa Janet: “Acho que provavelmente este é o último livro que o mercado evangélico vai tolerar de mim”. Meu livro tem um capítulo inteiro sobre Mel White, que é agora um ativista gay, e tem um capítulo inteiro sobre Bill CIinton, que não é o presidente mais favorecido dos evangélicos.
Mesmo se considerando evangélico, Bill Clinton é fã das obras do bruxo Paulo Coelho. Ele foi também o presidente mais pró-aborto e pró-homossexualismo que os EUA já tiveram. Apesar disso, num artigo em Christianity Today, Yancey elogiou Clinton como “um homem de fé num mundo que não tem consideração pela fé”. Elogiar o esquerdista Clinton e criticar o conservador Bush é atitude padrão para garantir a própria sobrevivência, sucesso e prestígio no meio da mídia esquerdista. Yancey tem feito as duas coisas.
No mundo secular, os esquerdistas são amigos de ativistas homossexuais. Por pura coincidência, Yancey tem a mesma inclinação. Mel White, amigo de Yancey, dirige o grupo homossexual radical Soulforce, que faz pressão para que instituições evangélicas conservadoras abandonem suas posições bíblicas e incorporem a agenda homossexual.
Não há dúvida de que ao defenderem e conciliarem o Cristianismo com comportamento homossexual, casamento gay, adoção de crianças por “casais” gays e ordenação de pastores gays, Mel White, Candace Chellew-Hodge e outros ativistas homossexuais encapuzados de cristãos estão pregando heresia. E a Palavra de Deus tem apenas um conselho para os cristãos genuínos lidarem com heresia:
“Ao homem herege, depois de uma e outra admoestação, evita-o”. (Tito 3:10 ACF)
O problema não é que White e outros ativistas homossexuais “cristãos” sejam pecadores. O problema é que eles se dizem cristãos e estão determinados a usar a Bíblia para continuar no pecado homossexual. Eles não querem nada com arrependimento! De novo, a Palavra de Deus reforça o conselho de afastamento:
“Estou lhes escrevendo que não devem associar-se com qualquer que, dizendo-se irmão, seja imoral, avarento, idólatra, caluniador, alcoólatra ou ladrão. Com tais pessoas vocês nem devem comer”. (1 Coríntios 5:11 NVI)
No entanto, Yancey insiste em não admoestar nem evitar. Ele defende que manter amizade com um ex-evangélico que hoje militantemente promove e impõe a agenda homossexual sobre as igrejas evangélicas é mostrar graça e amor. Ele não vê como amor a orientação da Palavra de Deus em Tito 3:10 e 1 Coríntios 5:11.
Acerca dessa questão, Andy Comiskey, que dirige um ministério de resgate para pessoas que desejam abandonar o homossexualismo, diz:
“Yancey, autor de vários livros, apresentou White em seu livro What’s So Amazing About Grace?, exibindo White e sua amizade com ele como exemplo forte da graça de Deus. Embora o autor não abrace todas as escolhas de White, Yancey dá destaque a um homem que se tornou o mais influente cristão gay de nossa época. Inadvertidamente, o autor cria uma ponte maligna entre um falso profeta (White) e milhares de leitores que estão buscando clareza na área da homossexualidade. Talvez o fato de que Yancey tenha incluído White em seu livro seja exemplo de alguém que “se introduziu com dissimulação” em nosso meio a fim de “transformar em libertinagem a graça de nosso Deus” (Judas 4).”
A graça de Yancey ensina a aceitar os pecadores não-arrependidos sem necessidade e abertura para salvação e libertação, e sem nenhuma necessidade de admoestar e evitar os que defendem o homossexualismo com argumentos bíblicos.
Entretanto, existe uma verdade biblicamente inegável, que supera todas as fantasias que cultivemos sobre a graça: Quem conhece de fato a graça de Deus muda de vida. Quando era homossexual, Andy Comiskey conheceu essa graça. Depois de experimentá-la, ele abandonou o homossexualismo e agora se esforça para transmitir aos seus amigos a graça que salva e liberta. Hoje ele faz o que pode para alertar contra o perigo da graça sem a verdade, onde ele destaca três expoentes desse tipo de graça: Brennan Manning, Lewis Smedes e o próprio Yancey.
O testemunho ambíguo e fácil de Yancey faz multidões de fãs e deixa os pecadores homossexuais confortáveis e tranqüilos em sua condição. E deixa o próprio Yancey confortável e tranqüilo na fama, no bolso e na vendagem de seus livros. O testemunho do ex-homossexual Comiskey simplesmente os desafia a experimentar a mesma transformação que ele próprio recebeu.
A graça que transforma é inconfundível e inigualável.
Fonte: http://www.juliosevero.com.br/; http://www.juliosevero.com/
 ------------------------------------------------------------------------------------------------

RESPOSTA de Mano Serafim: 

Iure gente boa,
 Graça e paz,

Li alguns livros de Yancey, pelo menos o que ele escreve[do que já li] tem certa coerência contemporânea quanto sentido religioso. E quando se expressa deixa claro o que pensa, embora não pretendo aqui fazer nenhuma apologia ao jornalista!
Quanto ao Júlio Severo, já visitei algumas vezes o seu site..., inclusive ele escreveu um livro sobre os homossexuais (ou sobre o homossexualismo, pelo qual não li) que para mim são temas variados.
O Júlio fala muito sobre os homossexuais, todavia, ele jamais reproduziu o que Jesus disse acerca dos homossexuais!
Ora, e o que Jesus falou a respeito dos homossexuais? Alguém pode responder? Eu sei que a religião fala, grita, opina e define muita coisa sobre tal tema...mas, Jesus...
Considero o homossexualismo um "campo" muito complexo de se explicar filosoficamente...E sei que o Senhor Jesus acerca deste tema se calou...E se Ele que é o senhor sobre todos os gêneros e sexos fez silêncio, quem sou eu para produzir algo de que nada sei, enquanto que para mim a atitude do Mestre representa um ato de/da Sua graça?!
Vá tentar entender o mistério que envolve a graça de Deus na vida do ser humano, que de cara vc pré-define que a justiça de Deus é uma injustiça!
Li também excelentes livros de um saudoso teologo Henri Nouwen (falecido em 1995 - ele era homossexual, mas se fez eunuco pelo Reino), inclusive ele era mentor de muito pastores famosos, tanto aqui no Brasil como fora do país; ele disse em entrevista a certo pastor, que recebeu de Deus uma condição psicologica..., onde o seu coração se tranquilizou e a sua mente mergulhou numa paz profunda a ponto dele desejar, mas não praticar o homossexualismo mesmo na condição de homossexual.
Todavia, ele disse que negar tal desejo na sua humanidade miserável seria uma baita de uma mentira, qual era a sua condição caída de ser humano!
Mano se vc ler Nouwen ficará impressionado com a tamanha graça e comunhão que ele nutria para com Deus....Seria bom lê-lo antes de se saber da sua condição como "gay"...E depois, até se poderia se fazer certas considerações no coletivo genérico....Ainda que eu me refira a uma só pessoa neste contexto dentre centenas que desejam deixar de ser gay e não conseguem!
Já recomendei para pastores (Bispo Manoel Pedro e ele gostou tanto que o citou em um de seus livretos) a leitura de Nouwen e eles mesmo sem saber de que ele foi um monge católico com inclinações homossexuais, eles, os pastores devoraram os seus escritos espirituais....
Portanto meu mano, é chato generalizar a galera em si....Assim como age o Júlio Severo (com certa ira evangélica) e que já se tornou homofobia severiniana...
Cada um é cada um e cada qual sabe onde fica o seu buraco....(rsrsrs)!
Ora, se o ápice do Evangelho da Graça, tendo a Palavra em si, sendo lida e discernida com auxilio do Espírito Santo, então, por que os crentes tem tanto medo e "ódio" dos gays, mesmo aqueles que desejam loucamente se transformarem em heteros-cristãos?
Cadê a eficácia do evangelho pregado pelos heteros pentecostais?
Não é o confronto com a verdade que se chega ao constrangimento-do-arrependimento, e que por sua vez tal constrangimento benéfico gera no crédulo transformações em relação ao Evangelho na alma?
É o evangelho que opera tal graça, e não o corpo de doutrinas que já começa com padrões pré-estabelecidos e adotados pelos homens...Claro, que foram os heteros[pelo menos é o que a sociedade julgava ser] que protagonizaram as bulas do cristianismo heterossexual[a minha crítica não apoia o movimento gay e nem tampouco a forma machista que muitas religiões enfatizam em suas doutinas morais, desprovidas do amor tolerante quanto metafisico de Deus].
Pecado é pecado, e nessa jogada ta todo mundo lenhado!
O problema é que a gente sempre procura um meio de atenuar a nossa pecaminosidade pessoal, e tão original quanto o nosso "pinto", e daí vasculha e acha um galho da figueira que tampa a nudez(vergonha) do vizinho,  desde então  acreditamos, é o nosso vizinho que carrega maior culpa no  cartório divino, por que na "Bíblia" está registrado o seu pecado!
Já o meu pecado implicito passa despercebido pelos olhos dos formadores de opinião pública e do regime ortodoxo sacro-mental, posto que já esteja sacramentado pelos pais da igreja petrificada!
Para mim isso se chama arrogância espiritual...Ta todo mundo no mesmo caldeirão de estrumo de boi!
E volta e meia um coloca a cabeça suja de merda para fora da panela para vê se acha um cisco no olho do irmão porque é gay e vai para o inferno (ai meu Deus eu tenho que salvá-lo desta perdição apocaliptica - é assim que a gente vive pensando acerca do outro que se sente diferente de nós, mesmo o outro não sendo diferente de nós em/sobre coisa alguma diante dos OLHOS DE DEUS)!
O gay-viado-lésbica-bissexual-transformista é tão réu do inferno quanto eu que sou um pecador..., um heterossexual de nascença e por opção sexual (rsrssrs)!
 Talvez, a minha diferença entre ele e ao que deseja saber, seja apenas um ponto de vista: Eu não procuro me justificar diante de Deus o que para mim se torna injustificável,  na sua Santa presença, pois, para mim isso é doença brava de crente que esconde alguma coisa...,...Ele, Jesus é quem me justifica. E acabou a conversa fiada!
Imagine vc ter um parente, um amigo mesmo, alguém a quem vc nutra grande estima e afeto, e essa pessoa ser uma vítima da violação sexual, "estupro", assédio e coisas que provoquem um trauma na sua alma...e pense, esta criatura ter que conviver com tamanha culpa de ser gay, não por opção, mas por indução errônea, fruto de uma tara de uma pessoa má, e neste dilema tal vítima deseja desesperadamente não se sentir/ser mais um gay , e mais, que ora veementemente para ser curado(a) de tal condição..
Sim, como vc agiria com esta pessoa?
Mano, conheci gente casada há mais de 20 anos com família constituída e que hoje saiu do armário e se diz ser feliz sexualmente cultivando uma relação homossexual.
Conheci gente que foi molestada quando garoto, que no começo tudo era estranho e bizarro, mas que depois foi aprendendo a gostar da fruta....conheci também pessoas que usavam os dois lados e acha isso tudo uma empreitada relaxante como normal, ou seja, provaram e gostaram e permaneceram no putero...,
Vc já pensou num estado de um cara que ao se olhar no espelho, se sente uma boneca que deseja ser tragada por um macho?
Aí ele vai ao psicológo, ao terapeuta, ele faz todos os exames que comprovem biologicamente (hormonal) a sua masculinidade e todos dão positivo, então pergunto: Se trata de uma "doença" [ se a ciência descobrir que existe um gen(e)  gay] psicológica, "disfun(a)ção" hormonal, ou de desejos impuros e ambíguos?
Para a psicologia existem ex-gays?
Mano, este mundo é caído!
Mas, de uma coisa eu sei, e graças a Graça de Deus, Deus nos ama, e verdadeiramente ama a  todos, eu disse: todos que se julgam politicamente correto quanto aos que biologicamente se sentem sadios em relação a Natureza...

Mano Leia o que respondi ao pr. Alann

-----------------------------------------------------------------------------
Olá  querido e amigo Alann,
A minha opinião acerca deste tema deriva do EVANGELHO...
Do ponto de vista do Evangelho TODOS necessitam de curas!
Quer seja de ordem psicossomática, quer seja de ordem espiritual.
Também penso de que o homossexualismo, lesbianismo e bissexualismo seja uma ANOMALIA.
Entretanto a ciência ainda não encontrou respostas convincentes acerca deste tema.
Daí o fato de também o Evangelho se silenciar acerca deste facto-factor.
Posto que se de fato for comprovado de que o homossexualismo seja uma “DOENÇA” dada a ANIMALIA INATA do ser humano. Creia se responderão as várias PERGUNTAS..., principalmente para os radicais religiosos da moralidade cristã!
A qual dentre inúmeras Teologia da terra, esta "Teologia Moral de causa e efeito" para o SANTO e o ETERNO não passam de uma tigela de estrume de vaca...
Ora, Jesus falou acerca de pessoas que já nasceram eunucas, outras se fazem eunucas em pró do Reino, e ainda outras não conseguem se adequar ao celibato.
 Pois, a sua ESTRUTURA biológica, química e da própria natureza hominal não suportaria tal condição - Portanto meu mano, eu penso de que existem HETEROSSEXUAIS que convivem com uma enorme pulsão SEXUAL, cuja inclinação seja para o HOMOSSEXUALISMO, entretanto JAMAIS praticaram o HOMOSSEXUALISMO. Já outros são de FATO HOMOSSEXUAIS, contudo não praticam o homossexualismo. A  exemplo disso, um dos mais renomados teólogos deste século: Henri Nouwen(pesquise na NET). Nouwen confessou em entrevista a um pastor de que ele só tinha desejo (libido) por homens, e se afirmasse o contrário estaria mentindo.
O que   Nouwen disse para tal pastor entrevistador foi: "Pela graça de Deus consigo uma pacificação mental e adentro num estado de calmaria que me permite a não praticar tal ato!". Meu mano Alann, no meu discernir, isso significa simplesmente o AMOR de renunciar o seu EGO-centrismo e dar acesso ao seu EU em processo de conversão gradativa de se saber descobrindo pelo Evangelho, a que ser seja e a quem de fato pertença..., e que em Deus se completa (rá), creio que seja uma jornada rumo à Nova Jerusalém das perfeições!
Também conheço alguns amigos que foram vitimas de adultos quando pequenos e aprenderam a "GOSTAR" da prática, outros se casaram com mulheres e depois de certo tempo disseram que agora que se "acharam", ou seja, são gays de fato e assumidos [saíram do armário]. Já OUTROS depois de adultos EXPERIMENTARAM da PRÁTICA, desgustaram e amaram-se sensualmente, E NUNCA MAIS TIVERAM FORÇAS PARA DEIXAR O ATO... A estes, diz a Bíblia, foram entregues aos seus desejos infames e torpes,  a ponto de desonrarem os seus corpos entre si, experimentaram toda a sorte de erotismo, sadismos, sadomasoquismo e tudo que lhe fariam contrário a natureza e a simplicidade da Graça, em suma: Deus permitiu a eles um estado mental reprovável...E por que?
Sabe lá o porquê disso!!!
Paulo vai dizer que era por que eles discerniram que Deus proibira tais desejos libidinosos e eles ignoraram a graça e permaneceram em tal estado de orgias e dissolvência de alma (é necessário dizer aqui que tais práticas exortadas por Paulo vão além do ato homossexual, mas faz  referência aquela geração perdida romana dos tempos de Paulo].
O que entendo como a Graça do Evangelho é a própia atitude de Jesus ante ao tema. E o que percebo é de que o Seu silêncio ante ao tema revele a tolerância proveniente do fluxo do amor perfeito e da infinitude das misericórdias divina, cujas manifestações ESPIRITUAIS de bondade evocam supremacia espiritual Daquele que julga com a equidade e com uma justeza transcendentes do ambiente de JUSTIÇA e DA MORAL DE SERES QUE NATURALMENTE E INDISTINTAMENTE SE JULGAM SUPERIORES EM RELAÇÃO AOS NÃO-HETEROS.
O que “julgo” ignorante-mente diante de Deus é simplesmente todos os dias agradecê-Lo no que tange a minha constituição hominal, tida como "NORMAL para a MAIORIA ou  pelo padrão adotado como santo e aceito moralmente".
Refiro-me a minha condição natural e "sadia", ou seja, a minha psique corresponde aos meus instintos sexuais, e a minha anatomia reage aos estímulos eróticos de um gênero humano do sexo masculino.  Sim, os meus hormônios agem em harmonia com a minha constituição psicológica e biológica, há reciprocidade quando o processo químico interno responde perfeitamente com a minha “mente sexual” de macho em ebulição.
Ora, a química que rola através do fluxo do balão sexual atende as demandas de um ser macho que se sente atraído pelo sexo oposto (fêmea). E nem por isso eu me sinto melhor, mais saudável do que os homossexuais..., o mais aceito pela sociedade, e mais amado por Deus ou até mesmo mais ESPIRITUALIZADO no processo de cura-transformação-conversão como um discípulo que de algum modo procura se parecer com o seu mestre...
Não vejo que haja orgulho nenhum em eu ser um homem-heterossexual, apenas o sou  e isso é obra de Deus na natureza biológica!
Você pode acreditar de que o Pai trabalha ainda hoje? Mano, somos totalmente ignorantes diante do infinito Universo e os seus Versos..., sobre as coisas criadas e as que ainda nã foram criadas por Deus..., o que sabemos é proveniente dos manuais da Ciência e de suas objeções em tese! Ora, e tudo isso demanda conhecimento. E o conhecimento demanda descobertas constantes, das quais se atribuem absolutamente a Deus.
 E esta viajem vai desde a apreciação da vida verificável e abrangente até aos seres invisíveis unicelulares. Como a vida de uma ameba (unicelular) a uma partícula subatômica!
Amaria como também gostaria que Deus me concedesse o PODER de fazer com que HOMOSSEXUAIS que desejam LOUCAMENTE se livrarem de tal desejo e compulsões sexuais, milagrosamente passassem a sentir o desejo latente de se relacionarem com parceiros do sexo oposto!
Todavia eu não sou Deus!
E creio que nem mesmo Ele olha para um homossexual com um olhar de morte e perdição.
A sua proposta é de vida e não de morte. Os seus pensamentos ao nosso respeito são bons e não ruins... O seu favor e pacto continuam de pé!
Por que é tão difícil hoje para um crente inteligente e bem informado conviver com os paradoxos e com as ambigüidades da fé salvífica e regeneradora em Deus?
Não! Este Deus embora seja o mesmo Deus Veterotestamentario que ordenou os hebreus destruir todos os GAYS Cananeus da face da Terra, é o Mesmo Deus Encarnado do N. T. e que transpira AMOR E MISERICÓRDIA por todos, inclusive aos Gays que se sentem eternamente culpados....
-- Fariseu atire a primeira pedra se não tiveres um pecado enrustido debaixo do tapete do peito!
Acerca deste tema e o que se esbarra nas ambigüidades da natureza humana em relação à QUEDA -, causa esta dada ao efeito devastador do pecado na experiência humana como um todo-e-em todos (ninguém se salva de nada)-, o Evangelho propõe o necessário: "No Céu não se casam, não se dão em casamentos"!
Toda essa "paixão animal e carnal irá passar"!
Ora, se neste plano natural e do imediato casam e se dão em casamento.
Significa de que até mesmo AQUILO que para os homens signifique: BIZARRO E ALIENÍGENA, justo por não compreenderem certas coisas, e  por serem contrárias à natureza humana e criada como um estereótipo humano padrão e inviolável, para Jesus a cura vem em recorrência de se tornar uma nova criatura Nele.
O que se manifesta como impossível para os homens, a ex: "Se as pedras não clamarem, Deus poderá fazer destas mesmas pedras filhos a Abraão!"(Jesus Cristo). Supõe-se:
Pergunto: 1º - Você já viu Deus alguma vez transformar pedras em homens ou suscitar filhos a Abraão?
2º-E porque Ele nunca operou tal prodígio, significa de que Ele não tenha PODER para isso?
Então gente boa de Deus. O Evangelho tem a cura para todas as manifestações de desamor desta existência, desta geração e do porvir...,
E isso está além de tudo que jamais IMAGINAMOS e ACREDITAMOS existir... A gente cogita e presume que o que  está aí  de fato o é, mas a gente se engana, e vive enganado para se enganar. E sempre!
Portanto, me referindo á pessoa de Jesus, o que acontece a Sua volta e da Sua parte só há silêncio acerca de várias co[i]usas desta existência probatória contingente... Eu apenas entendo como uma manifestação unilateral de pura bondade-e-misericórdia da Sua Graça nesta vida!!!!
Conquanto o que se materializa como alicerce e essência do Evangelho é o Amor cujo principio espiritual faz sucumbir qualquer protocolo.
Pois, Ele uniu (ligou) a Terra e o Céu.
O além ao aquém...
O temporal/visivel ao Atemporal/invisivel!
Creia, Ele fará novas todas às coisas, e até mesmo a nossa NATUREZA CAÍDA.
Afirmo isso, pois, de que haveremos de receber uma pedrinha branca e nela estará escrito o nome de quem a recebe...
Um beijo
Permaneça Nele,E não abra mão Dele,
E Nele,
Mano Serafim