domingo, 2 de janeiro de 2011

Sacerdote(s) pela Graça...


Por um simples gesto miraculoso num átomo de segundo que inclinamos o rosto para luz da Palavra de Deus. O impossível acontece na possibilidade da Graça estar presente na vida dos homens...
Ainda que todos os vetores e forças conspirem contra as leis de Causa e de Efeito!
O poder que de Deus emana detém soberanamente todas as forças e as energias de que o Universo foi feito... Como também opera silenciosamente nos ambientes do coração e da mente humana!
Ora, se o impossível o é possível pela Graça de Deus, ou, o que aos homens não se pode explicar com palavras e nem por equações, mas que para Deus possível se torna sempre, posto que não exista nada demasiadamente difícil para o Deus da graça...
Todavia me faculta subjetivamente um entendimento que me faz ir além da razão que neste exato momento de minha existência me põe subjugado pela falta que há em mim...
Dito isso, me vejo “preso” em tal entendimento (mesmo sem nada entender), o qual me condiciona a tal estado que aqui me encontro (como um mero discípulo em processo de aprendizagem sempre)...,
É necessário deixar claro que aqui não me refiro à salvação da alma, porém, me dirijo contras às invenções humanas falaciosas e falidas...,
Algumas pessoas pensam que sua salvação é alcançada através da obediência a certos mandamentos (comandos de sacerdotes-evangélicos judaizantes-, que não são todos) ou proibições. Outros vêem o entendimento correto de determinadas doutrinas como a chave para a vida eterna.
Ambos destes pensamentos dão no mesmo beco sem saída – legalismo. Ninguém consegue obedecer tudo ou entender tudo perfeitamente. Devemos tentar, dentro das nossas condições, sempre entender e obedecer tudo que Deus espera de nós. Mas, ninguém consegue. Alguns têm mais força de vontade. Outros têm mais inteligência, enquanto outros têm uma maior proporção de fé ou de humildade.
Alguém consegue acertar em tudo? Não. Por isso ninguém será salvo baseado na sua performance[FIGURA TIPOLÓGICA- por isso que o própio sumo sacerdote oferecia sacrificios também pelos seus pecados]. Somos salvos não por aquilo que nós fazemos, mas, por aquilo que Jesus fez por nós.
Quando o jovem rico perguntou “Quais” mandamentos ele precisava obedecer ele revelou o desfiladeiro do legalismo – ninguém consegue acertar em tudo. Ninguém consegue obedecer tudo ou entender tudo perfeitamente. Sempre haverá uma margem de erro.
Daí começamos a fazer distinção entre alguns mandamentos e outros, algumas doutrinas e outras. Na verdade, a única coisa que falta em muitas pessoas é entregar tudo a Jesus e confiar na perfeição e no entendimento dEle. E isso também é chamada de: Graça!
Deus já disse que o que Jesus fez foi o suficiente: “Então disse: Eis aqui venho, para fazer, ó Deus, a tua vontade. Tira o primeiro, para estabelecer o segundo” He.10.9 -, deste modo ninguém necessita mais barganhar com os tais sacerdotes dos passos largos [semelhantes aos da parábola de Bom Samaritano].
Estes são aqueles indivíduos “medianeiros” [sacerdotes e os levitas das clausuras institucionais que cultuam seus próprios ritos e sacramentos], oriundo de um evangelho multifacetado e que cobram gorjetas paras as pessoas que procuram receber uma benção de Deus!
E mais, eles não sabem ser objetivo como o evangelho manda, eles vivem nas suas subjetividades doentias e buscam coletivizar os seus preceitos a certos grupos de seguidores incautos-, a esta doença moderna, eles intitulam de “MEU MINISTÉRIO!”, e quanto mais o “ministério” se personifica pela ideologia de seu senhor, mais narcisista se revela...
Enquanto que o entendimento sobre a divina graça nos aproxima da simplicidade do Evangelho menos teologizado, e que no mesmo instante nos deixa plenos ante o vazio do mundo!
Basta a nós agora confiar naquilo que Jesus fez e seguir adiante sem medo algum. O resto é com Jesus, mesmo porque quando a coisa pega, e quando a hora é de dar louvores a Deus [quando em nós nada há]..., e se na angustia formos fieis a Ele, o que dizer ou quem irá dizer o que fazer, senão Ele mesmo?
Aí a fidelidade em confiar e esperar pelo seu favor imerecido certamente restaurará e renovará a força e o desejo nosso de viver.
Portanto, o autêntico sacerdote mediante o mistério da Graça, é o cristão que a si se converte pela vereda do perfeito amor [sacrificial] de Deus que mesmo na minha [nossa] angustia, me [nos] instrui no que fazer...
Daí a idéia de sermos sacerdotes de nós mesmos e lideres de nós próprios!
Posto que fosse este pensamento de Pedro em relação a todos nós “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz. [1 Pedro 2:9].
E o apóstolo do amor, João discerniu bem como: “E vós tendes a unção do Santo, e sabeis tudo. [1Jo.2.20].
E para quem ainda possui dúvidas leia: “E a unção que vós recebestes dele, fica em vós, e não tendes necessidade de que alguém vos ensine; mas, como a sua unção vos ensina todas as coisas, e é verdadeira, e não é mentira, como ela vos ensinou, assim nele permanecereis” [1Jo.2.27].

Uma pergunta que não quer calar: Por que estes apóstolos modernos estão sempre em processo de regresso a Lei e suas Obrigações de ritos/cerimoniais, as “Quais” foram ABOLIDAS pelo Sumo Sacerdote Eterno quando pisou neste planeta Terra [He.7.24-25]?
De onde vem este desejo mórbido de retornar aos rudimentos da fé primitiva?
Seriam a ambivalência e a ambiguidade de uma geração caída da Graça? [He.6].
Ora, ainda há tempo e oportunidade para decidirmos entre a religião evangélica amorfa e a graça do Evangelho que já nos adotou como filhos de Deus e sacerdotes mordomos das suas benevolências eternais!

Pense nisso!
Mano Serafim