terça-feira, 31 de maio de 2011

Jesus e o Statu$ Quo...


                               Jesus e o $tatu$ Quo...
Liguei a tv pela manhã num destes sábados qualquer para bizoiar o que estava passando e me deparei em um canal com uma cena patética. Um pastor evangélico vendendo de tudo em seu programa, aliás, em um horário nobre da tv.
Parecia mais uma feira gospel de indulgências. O líder midiático negociava de Bíblia a lenços molhadinhos de suor com “unções”..., coisa tétrica de se ver, além da falta de higiene (rssrss).
A atual bravata agora é essa: “Transferências de unções!”
A que ponto se chegou os evangélicos, ou melhor, os “evangélidos”!
A coisa é tão séria e voltada pra o $tatu$ Quo, que ao mudar de canal, e no mesmo horário havia outros na disputa pelo mercado da fé!
Fiquei em silêncio tentando compreender como conseguiram fazer do puro e simples Evangelho de Jesus algo tão simplório e banal. Baratearam a Graça e o escândalo da Cruz. Os caras perderam o temor de Deus meus manos!
Enquanto que o evangelho reproduza saudavelmente o seguinte: “Então Jesus lhe ordenou: “Não conte isso a ninguém; mas vá mostrar-se ao sacerdote e ofereça pela sua purificação os sacrifícios que Moisés ordenou, para que sirva de testemunho”. Todavia, as notícias a respeito dele se espalhavam ainda mais, de forma que multidões vinham para ouvi-lo e para serem curadas de suas doenças. Mas Jesus retirava-se para lugares solitários, e orava (Lucas 5:14-16)”.
Jesus ordenou o leproso já curado a fazer três coisas: calar-se sobre o milagre, mostrar-se ao sacerdote e fazer o sacrifício prescrito na lei de Moisés. Várias vezes Jesus preferiu que a notícia dos milagres que realizou fosse ocultada (Lc 4:35, 41; 8:56; Mt 9:30; Mc 5:43).
Diferente de muitos "tele-milagreiros" de hoje, Jesus não estava nem um pouco interessado em aumentar seu ibope e nem a sua conta bancária, e o que não lhe faltou foi o incentivo de sua família, veja: Disseram-lhe, pois, seus irmãos: Sai daqui, e vai para a Judéia, para que também os teus discípulos vejam as obras que fazes. Porque não há ninguém que procure ser conhecido que faça coisa alguma em oculto. Se fazes estas coisas, manifesta-te ao mundo” (Jo.7:3-4).
De uma certeza eu tenho se Ele tivesse a chance de estrear seu próprio canal de televisão, sabemos qual seria a resposta de Jesus - jamais!
Jesus queria ajudar as pessoas, não impressioná-las. Seu objetivo não era ganhar audiência, e sim salvar almas. Ao ordenar ao leproso para se apresentar ao sacerdote e fazer a oferta prescrita na lei, Jesus mostra mais uma vez sua submissão à Palavra de Deus. Ao obedecer o que Jesus ordenou, no final do processo que o sacerdote iria realizar, o leproso seria declarado purificado e finalmente restaurado a seu lugar na comunhão com seu povo. Com isso Jesus revela sua preocupação para que a honra e glória sejam atribuídas a Deus [e não aos apóstolos filhos do Patriarca].
Apesar de ser Deus e filho de Deus, Jesus se submete às Escrituras, liberta seu povo e restaura a comunhão e em tudo traz glória e honra a Deus. Estes objetivos não rendem muita “audiência” aqui na terra, mas diante do Pai, nos colocam nas alturas.
Quando você serve ou ajuda alguém, qual seu verdadeiro objetivo?
Qual é a sua íntima motivação?
Para quem vcê está acenando para que seja louvado (a)?
Acredito que já seja tempo de voltarmos às veredas antigas e praticarmos o choro do arrependimento na expectativa que se colham bons frutos na Seara do Senhor!
Desde já me ponho de joelhos diante de Deus para que este câncer maligno não me corroa e nem te afete a integridade que um dia foi forjada pelo puro e simples Evangelho em nossa alma!
Em Cristo e sem barganhas a fazer,
Mano Serafim