quarta-feira, 15 de junho de 2011

Existe [uma] cruz que pára/ para tudo...



Na lembrança do Sermão do Monte (Mt.5:1-12) -- M. Gandhi havia dito: "Se aniquilassem todos os livros sacros do mundo e se preservassem somente o sermão do monte, não se perderiam nada!".
Quando você ler estas palavras de Cristo  do sermão do monte corroboradas com um coração cheio de fé, quais sentimentos lhe invadem o coração?
Decerto que não é de um romantismo encontrado nas páginas de um livro melancólico de Shirley MacLaine. Nem tampouco um sarcástico sofrimento em detrimento da lei do karma, um Dalet.
- Gente é difícil de entender de que a natureza humana é CAÍDA, e acabou a conversa fiada! Como eu poderia (eu até que posso, mas seria utópico)  ou mesmo o meu "eu" exigir um "mundo" perfeito se o Mundo JAZ no maligno? Se o Mundo me vê como um E.T. semelhante aos das películas de E. Spielberg, isto é, tão antiquado, caretão e fanático.
Então significa de fato que - "antes dele vos escolhi", a saber, do mundo. O Senhor do Mundo a mim me escolheu!
A minha alma não se cansa em dizer que precisa se expressar de qualquer forma, aliás, a natureza (mãe terra, criação, criatura) corrompeu-se, ou melhor, corrompida está por causa do pecado-vaidade-(ego) tismo dos homens.
Portanto a vontade que hoje tenho é de sair à procura de minha origem como homem-livre que paradoxalmente não sou, e que com o uso do livre-arbítrio (meu direito de escolha como atributo inerente ao homem) possa eu então obter uma existencialidade "vivenciada" sem os dissabores da dor, angústia, depressão, dúvida, incredulidade, mentira, impotencialidade, vulnerabilidade, metarmofose, transmutação, limitação, debilidade mental, fraquezas, fobias [...] Pensem no que quiserem?!.
Desejaria sem vulgaridade ímpia descobrir-me sem referências de estereótipos grego-pagãos e desprovidos de qualquer religiosidade que me iluda na aproximação de um mundo espiritual esotérico mesmo que precise viver um místico-misto- espiritual que seja empírico.
Você já pensou em algum dia fugir de sua obrigação de SER CRENTE?. Digo, dar testemunho de salvo, ser o ser espiritual almejado pelos legalistas, bonzinho, santo, e mais uma coisa estranha  apreciada em nosso rol cristão: Piedade como fonte de lucro sem contentamento...,
Você já se sentiu redimido (a) ao extremo a ponto de NÃO MAIS desejar ser o que você é, pecador (a)?!
Você já se viu na projeção do espelho de seu quarto estereotipando o seu narcisismo e alguns minutos depois se esqueceu de sua forma e imagem no espelho da vida real?
-- VIDAS..., as vidas estão e se encontram em todos os ditames da existência, encontraremos na morte vida, quando aceitarmos definitivamente levar a nossa cruz que nos confronta com a nossa natureza de morte "adâmica", negar tal verdade é semelhante dizer que Cristo desejou descer da maldita cruz vituperada por não poder reter a vida – E a minha Cruz, eu até que posso não ter forças suficiente para levá-la adiante, mas me acovardar não condiz com o caráter de um semideus/discípulo ou cordeiro/cristão (parecido com Cristo [pequeno-cristo]). Porém, isso tudo não quer dizer que verei/terei sempre as conseqüências da cruz.
Todavia as vivenciarei na construção de uma alma em rumo à aurora até chegar dia PERFEITO.
"Pegue a sua cruz e siga-me"! - Disse Jesus. Esta é a ordem de amor para a vida e que pára todas as especulações que surgem por não saber o que se esconde por detrás da sombra da Cruz do calvário existencial.
Crucificação é sinônimo de atrocidade, tortura e execução sumária. Diferente de se viver e experimentar um cristianismo surreal em que para muitos, a cruz seria tudo menos ignomínia e vituperação!
Sim, um convite para a morte enquanto paro nesta vida!
Ah! Como seria excelente vivermos um pedaçinho do Paraíso de Deus aqui neste mundo louco no afã de uma vida sem dores e sem espinhos na carne. Distante da dor da cruz que despedaça, fragmenta, dilacera a nossa carne desalmada, cuja cegueira da vida solúvel não pode nem ver e nem enxergar a magnitude eterna de uma vida indissolúvel na presença plena e sagrada do Amado que habita na Luz inacessível (Deus Poderoso).
-- É-sendo-estando exatamente na cruz ante a vergonha de minha própria nudez onde paro e posso entender que toda a nudez será  castigada ao menos que eu-o-homem se arrependa e confesse em seu confuso coração que és-sou um pobre-cego e miserável-nu pecador...,
E que-de-ti Deus desejo/procuro ser-me vestido, revestido e iluminado.
A Luz que ilumina o calvário das densas trevas invade a nossa alma adentro afim de afugentar com o seu brilho a escuridão maligna que entenebreceu o coração de toda a humanidade deixando turva a imagem do Criador na criatura.
-- Acordar triste e terminar o dia entristecido não nos deixa nem menos humano e nem tampouco nos descredencia da liberdade de estar em Cristo Jesus. Mesmo por que possuímos uma alma cheia de vontades e loucuras referente á queda, entretanto todos os dias deva  nos convencer em nossa alma inquieta de que para o mal de cada dia, Deus já fez o bem, e na verdade de que ela agradecerá ao Senhor sabendo que o Espírito sempre se alegra em Deus nosso Salvador!
Você pode estar triste ou viver algum tempo, e até morrer triste, todavia  exultai por que grande é o vosso galardão nos céus - Mesmo porque ninguém conhece de fato o que é felicidade. Muitas vezes estamos alegres, eufóricos, contentes, porém a verdadeira felicidade não é simplesmente um estado de graça, talvez, seja ser pertencente da Maravilhosa Graça do Evangelho de Cristo e que abrange a todos. Nisso há um mistério!
Ora, e mistério que é mistério não se revela!
Um beijo!
Mano Serafim .........escrito  2008.