quarta-feira, 8 de junho de 2011

Uma rejeição a Hedionda Teologia da Prosperidade Mercantilista


                       (1 Pe.1:1-25)
Depois de sua apresentação como apóstolo de Cristo, e que nada o poderia ser do contrário ao seu chamado para tanto, Pedro revela em sua primeira carta:
"Eleitos segundo a presciência de Deus Pai, em santificação do Espírito, para a obediência e aspersão do sangue de Jesus Cristo: Graça e paz vos sejam multiplicadas."
Pedro afirma que os estrangeiros convertidos ao Evangelho da Graça foram eleitos pela vontade atemporal de Deus em favor de toda a  humanidade pós queda...., O ANO ACEITÁVEL DO SENHOR vigente!
Designados então a serem santificados pelo DOM do Espirito Santo em cada interior do salvo em Cristo Jesus. Posto que o próprio Pedro havia pregado esta mensagem em sua primeria pregação pública (leia em Atos.2.1-38).
"Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos gerou de novo para uma viva esperança, pela ressurreição de Jesus Cristo dentre os mortos,"
Aqui Pedro ensina a Sã doutrina, aliás, uma sensata fé no Evangelho e na sua propsta de vida e graça, sem fórmulas e as manobras espiritualizadas de hoje.
Todavia, ele fala de uma “nova gestação” em Cristo e em Deus, nos fazendo filhos provavelmente livres do imediato  desta atual vida, e deste corpo permeado de morte .
"Para uma herança incorruptível, incontaminável, e que não se pode murchar, guardada nos céus para vós,"
Este sim será naquele grande dia o tão esperado galardão entregue ao salvo!
Longe de se discernir ao certo o que seja o galardão do salvo fiel, no livro do Apocalipse de João, ele, o presente/galardão é apenas mostrado como uma pedrinha branca e misteriosa..., somente aquele quem a recebe, exceto o que a distribui aos santos, é quem sabe a real significância desta pedrinha e porque a recebe!
"Que mediante a fé estais guardados na virtude de Deus para a salvação, já prestes para se revelar no último tempo, Em que vós grandemente vos alegrais, ainda que agora importa, sendo necessário, que estejais por um pouco contristados com várias tentações, Para que a prova da vossa fé, muito mais preciosa do que o ouro que perece e é provado pelo fogo, se ache em louvor, e honra, e glória, na revelação de Jesus Cristo;"
Este Pedro aqui não parece ser o mesmo Pedro de outrora, o qual frouxamente havia negado o seu Mestre. Este Pedro aqui reverbera com a ousadia espritual  dos antigos  profetas,  a Palavra da Vida em amor  Ágape visceral!
Embora louvar, honrar e dar glorias a Deus em momentos de perseguições e aflições não seja uma boa idéia para o inimigo – posto que seja na nossa fraqueza onde o poder de Deus se manifesta em nós na certeza de sermos então aperfeiçoados por ele..., Diga o fraco, sou forte Nele!
"Ao qual, não o havendo visto, amais; no qual, não o vendo agora, mas crendo, vos alegrais com gozo inefável e glorioso;"
Jesus certa feita disse para seus discípulos que o seguia: “Bem aventurados são os que não viram mas creram!” E ai estamos nós, na mesma toada, na mesma ação e esperança do sermão da montanha!
"Alcançando o fim da vossa fé, a salvação das vossas almas."
O alcance de nossa salvação está na relação de Cristo ter nos alcançado do inicio ao fim de nossa fé, ou seja, o que valha não é a forma que iniciamos a nossa "peregrinação" de salvação, mas da maneira que a alcançamos em término espiritual, ou seja, Ele é o único Autor e Consumador da nossa fé. E quanto a isso não poderemos reter dúvidas! Ou Ele é ou não é a nossa prosperidade de vida eterna, não poderá haver meio termo, e não haverão barganhas a fazer. Você não precisa pagar mas nada e a ninguém que já vendeu a sua alma a MAMON (deus do dinheiro), e que como disfarçado de apostolo de Cristo tenta negociar a sua estada no céu!
"Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas que profetizaram da graça que vos foi dada, Indagando que tempo ou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava, anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e a glória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi revelado que, não para si mesmos, mas para nós, eles ministravam estas coisas que agora vos foram anunciadas por aqueles que, pelo Espírito Santo enviado do céu, vos pregaram o evangelho; para as quais coisas os anjos desejam bem atentar."
O Evangelho foi pregado primeiramente a Adão em Gên.3 (minha opinião) , mas Paulo dizia que foi a Abraão que Deus notificou primeiro...,E tendo portanto Abraão crid em Deus, isso foi-lhe imputado comojustiça, ou seja, Abrãos foi justificado pela sua fé e não por suas obras meritorias. Coisa hedionda que acontece em nossos dias de loucuras...Tem alguém negociando a sua alma com o INFERNO!
"Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios, e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo;
Como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver;
Porquanto está escrito: Sede santos, porque eu sou santo.
E, se invocais por Pai aquele que, sem acepção de pessoas, julga segundo a obra de cada um, andai em temor, durante o tempo da vossa peregrinação,"
Jesus como um verdadeiro hebreu-judeu  abraamico não escapou da morte. Isso serve para todo aqueles que se sente também um hebreu existencial neste chão, ou seja, um peregrino em terra estranha a sua!
Em Hebreus 11 apresenta uma lista de pessoas fiéis que viveram em épocas variadas, cobrindo vários séculos. Algumas receberam livramento miraculoso: Isaque, Moisés, Raabe, Gideão, Davi. Mas outros foram torturados, presos em correntes, apedrejados, serrados ao meio. O capítulo apresenta detalhes vivos sobre o último grupo: andaram vestidos de peles de ovelhas e de cabras, foram desamparados, vagaram por desertos e montanhas e habitaram em cavernas. O autor conclui com um comentário enfático: “Todos estes que obtiveram bom testemunho por sua fé não obtiveram, porém, a concretização da promessa” (He.11.39).
Ora, “Todas as coisas cooperam para o bem”. Esta famosa frase de Romanos é distorcida muitas vezes. Algumas pessoas pensam que ela significa que só coisas boas acontecerão para os que amam a Deus. Ironicamente, Paulo quer dizer exatamente o contrário. No restante do capítulo, ele define de que tipo de “coisas” está falando: lutas, dificuldades, perseguições, fome, nudez, perigo e espada. Paulo enfrentou tudo isso e, por fim, sucumbiu. Não foi “livrado” (segundo o olhar dos crentes infantes). Mesmo assim, ele insiste: “ Em todas as coisas somos mais do que vencedores.” Creia, não há dificuldades que possa separar-nos do amor de Deus.
"Sabendo que não foi com coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados da vossa vã maneira de viver que por tradição recebestes dos vossos pais, Mas com o precioso sangue de Cristo, como de um cordeiro imaculado e incontaminado, O qual, na verdade, em outro tempo foi conhecido, ainda antes da fundação do mundo, mas manifestado nestes últimos tempos por amor de vós; E por ele credes em Deus, que o ressuscitou dentre os mortos, e lhe deu glória, para que a vossa fé e esperança estivessem em Deus;"
Pessoas fiéis podem ser chamadas a sofrer. O apostolo Pedro é expert na sua explicação teológica deste desdobramento da tribulação. Algo bem diferente do que traduz a teologia da Prosperidade neopentescostal, onde os justos presumem uma imunidade contra o sofrimento, esta Teologia Pedriana assume a existência da perseguição. Aqueles que seguirem as pegadas de Cristo sofrerão injustamente, assim como Ele sofreu. A história confirmou as palavras de Pedro. A maioria dos apóstolos morreu martirizada, e o sangue por eles derramado foi a semente do crescimento da Igreja (ou você coleciona dúvidas que para se ser de fato cristão nada disso importa?).
"Purificando as vossas almas pelo Espírito na obediência à verdade, para o amor fraternal, não fingido; amai-vos ardentemente uns aos outros com um coração puro; Sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva, e que permanece para sempre. Porque Toda a carne é como a erva, E toda a glória do homem como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; Mas a palavra do Senhor permanece para sempre.”
Aqui Pedro escancara a Palavra como o espírito da Escritura para o entendimento de toda a verdade no intuito de formar verdadeiros discípulos do amor de Cristo!
Todavia a indiferença santa seja o joio em meio ao trigo em nossos entremeios. O apostolo Paulo alcançou um estado de exaltação descrito em Filipenses 1, no qual encontrava dificuldade em decidir se era melhor morrer e estar com Cristo ou viver mais um pouco e continuar o ministério. Sua escala de valores parece estar de pernas para o ar. É claro que vê sua limitação na prisão como agradável, porque esta “tribulação” acarretou muitos resultados bons. Riqueza, pobreza, conforto, sofrimento, aceitação, rejeição, até mesmo vida ou morte, nada disso interessa muito a Paulo. Só uma coisa importa para ele: o alvo maior de exal(t)ar a Cristo, que ele pode alcançar sob quaisquer circunstâncias.
Posto isso convido a todos se arrependerem até aqui desta teologia burra e abortiva, que desfaz o escândalo da cruz, anula a Graç de Deus em favor dos homens; aleija a consciência do fiel cristão e o põe num enorme novelo uma massa de pessoas que há muito tempo não sabem discernir a verdade da mentira!!!
Se nos contentássemos tão somente com a Sua salvação já seria uma dádiva. Eis aqui um formidável convite de se viver em pura gratidão a Deus e para um bem estar para a alma ....,
Em nome de Jesus diga não a esta TEOLOGIA HEDIONDA DA PROSPERIDADE MERCANTILISTA!
Conhecer a Cristo Jesus é TUDO!
Mano Serafim