quarta-feira, 16 de novembro de 2011

Não há mentira que dure para sempre...

Desde que o pensar humano usurpou a verdade-pelo-amor da Verdade (se é que se pode), o Mundo se tornou tão relativizado como cada cabeça segue seu mundo destino-desatino sem chegar a verdade de sentido algum...,
Por tanto falar e andar, e por tanto pensar em falar relativamente desejaria ter de volta todo o amor que um dia eu canalizei a quem não soube me compreender como nuanças de amor-amizade...,
A minha alma ainda não conseguiu assim me convencer que todo o ouro que eu tinha era bônus pra quem me aceitasse como prova de fidelidade...,
Quem pudera, ao menos uma vez, esquecer que acreditei no que me diziam aos sussurros como prova de amor e de amizade...,
Pudera-se pelo menos, uma vez, que quando eu escrevia os poemas sempre vinham respostas calorosas como sombras de amor em novidades – eu quis correr o risco e até sangrei sozinho entenda, só pra trazer uma resposta de lá de fora de volta pra mim...,
Quem me dera, ao menos UNO vez, acreditar que este sonho acabou e que o vento levou tudo o que não queria e temia - feito pano de pura seda como se fosse pano-de-chão, e os conceitos que eu detinha do puro linho...,
[Eu quis acordar deste sonho muitas vezes e não consentia – era como se fosse um “sonho bom”]...,
Quem me dera, ao menos uma vez, pelo menos por um só instante acordar de novo e ver que não era um sonho e que o amor supera as deformidades de nossas perfei(A)ções...,
Quem me daria uma chance, numa única só vez, entender que o mundo inteiro é Im-per-fei-to habitado por seres i-na-ca-ba-dos...,
Poderia resgatar todo o tesouro que perdi pra quem me ofertasse um amor livre, sincero e verdadeiro, e menos relativo...,
Seria atacado por aprender a ver o simples como o mais importante, e pelas lentes do amor todo ser-humano-perfeito tem defeitos...,
Pediria a Deus, ao menos uma vez, que a simplicidade do amor verdadeiro fosse vista como a bela dentre as mais belas DAS ESSÊNCIAS NOS RELACIONAMENTOS, e como a mais emocionante...,
Em Deus o amor pela verdade que se recomeça sempre no nosso amor obediente a verdade não seja banalizado por ser ele tão inocente!
Eu recuei, então parei e sem pensar, eu disse: pela leitura do amor eu vi como espelho – um mundo tão doente.
E discerni que Não há mentira que dure para sempre, mesmo quando o mundo se oponha a Deus RELATIVIZANDO assim a sua VERDADE...e sim o verdadeiro amor prevalecerá em tudo ou mais como em Verdade absoluta...
Meu Deus -, tentei chorar e não consegui verter uma lágrima.

Feira - BA,
16 de Novembro de 2011
Mano Serafim