quarta-feira, 21 de março de 2012

Amor?


Se o que há no mundo é resultado da frutificação do amor derramado do Pai nos corações dos homens..., perdoem-me, mas devo confessar que o que no mundo se estabeleceu foi simples-mente um ódio social em camadas de morte...,
Mas se pela inimizade do mundo-sistema-perverso os filhos da “Luz” se fazerem um com o amor do Pai, logo se saberá que quem no mundo habitado pelos homens -, habita também o desejo ardente pela via-do-caminho do amor, embora, tal pessoa do mundo não mais pertença, mas no mundo esteja a viver.
Posto que todo aquele que faz laços de amor-e-amizade com o mundo se torna explicitamente inimigo de Deus – e isso é mandamento pra CRENTE MESMO!
O pedido de oração (em Jo.17) de Jesus ao Pai foi pra proteger o seus discípulos do mundo e não para que os arrebatassem do mundo...,
Eu rogo por eles; não rogo pelo mundo, mas por aqueles que me deste, porque são teus.” (João 17:9). E eu já não estou mais no mundo, mas eles estão no mundo, e eu vou para ti. Pai santo guarda em teu nome aqueles que me deste, para que sejam um, assim como nós. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Estando eu com eles no mundo, guardava-os em teu nome. Tenho guardado aqueles que tu me deste, e nenhum deles se perdeu, senão o filho da perdição, para que a Escritura se cumprisse. Mas agora vou para ti, e digo isto no mundo, para que tenham a minha alegria completa em si mesmos. 

Dei-lhes a tua palavra, e o mundo os odiou, porque não são do mundo, assim como eu não sou do mundo” (João 17:12-14).

Estando o mundo-espírito tão engendrado como está na vida dos novos cristãos que assombrosa-mente as palavras de interseção de Cristo não surtem mais nenhum efeito libertador na vida dos tais neo-crentes mundo-amamos.
Viver no “mundo” é diferente de ser do mundo-espirito-rebelado, cujo sistema de governo e amor já não esteja em linha com a Palavra de Deus – e nem poderia, por que o mundo haveria de odiá-Lo.
Diante do espírito rebelado que opera e está no mundo, surge o surto da incredulidade tomando corpo e dês-consciência petrificado na vida de quem de Deus se alienou por causa dos desejos e ambições dos homens maus que se mutilaram uns aos outros em competitividade do desamor, cuja demanda da vida vivida no imediato apenas vive sem esperança de um novo mundo.
Sim, agora me reporto exaustiva-mente aos que abandonaram a Fé das boas obras; a Graça em saber e receber que tudo é de graça da parte do Deus de amor por amor fiel; aquele que abandonou pelo caminho das flores, a gratidão de ser e viver em santo contente-contentamento existencial sem a sufocação dos espinhos...
Seria salutar que Deus devolvesse-nos a santa condição da ignorância da meninice espiritual para que assim se façam o caminho de volta ao principio universal do amor – entregar a si mesmo e no outro pensar primeiramente antes mesmo que se pense em si!
A religião é especialista em nos fazer seres midiáticos e descartáveis – a hiper-valorização da auto-estima é a porta dos infernos que nos rouba a coroa da vida e da perseverança do amor sólido e eterno..., a desapropriação do amor do evangelho, a nossa ação que implica numa louca resistência contra a graça de sermos gratos todos os dias ao favor imerecido de Deus na vida individual de cada ser inacabado seqüestra-nos os bens da vida abundante, tais: A paz, o sossego;  a alegria e o prazer em não mais temer pelas perdas das coisas do mundo tocado, percebido e cobiçado...,
Na entrega de tudo o que somos ou de tudo que pensamos ser na medida em que possuímos, mas sem nada de fato possuir, desistimos de tudo aquilo que de fato nunca possuímos, e o que é pior, a gana desenfreada pela solicitude desta vida nos tapam os olhos ante a doce revelação do que nos espera do outro lado, sem as mecânicas e percepções da ótica embaçada, do tirano conceito estético e do surto virtual que não preenche o coração espiritual.
Porque o que Deus preparou fiel-MENTE pra os que lhe amam e são amados por Ele não penetrou em mente e em coração algum...!
Aliás, longe de um amor fiel não será possível transcender a loucura de mundo permeado por maus espíritos e maldades as soltas nas esquinas e nos porões da mente humana.
Somente embrionados pelo Amor de Deus no coração derramado pelo Espírito Santo voltaremos os nossos olhos e perceberemos que o amor em que acreditávamos ser a santa virtude, era apenas um amor limitado, condicionado a reciprocidade do Outro, um amor in-fiel.
O amor infiel não é amor livre: é o amor esquecediço, o amor renegado, o amor que esquece ou detesta o que o amor é, e que, portanto, se esquece ou se detesta.
Saiba que o Amor de Deus é o próprio bem. Deus é Bom e Nele não há mau algum!
Daí a bondade do amor de Deus ser o próprio bem de Deus no mundo e na vida dos homens que amam no seu Amor...,
Sim, são os OLHOS VIVOS DE DEUS sobre o mundo!
Sendo assim, quanto mais virtude, menos dever. E quando há o amor, nem virtude; nem dever. A moral sai de campo, porque agora existe o sumo bem do Bom Deus do Bem.
Aquele que só leva ao caminho certo!
O caminho para o amor, no entanto, não é simples, porém, sacrifical. A proposta da oração de Jesus pelos seus discípulos explica tudo quanto se esperavam saber do amor de Deus na vida daqueles que de agora em diante se tornavam espetáculo para o mundo e para o Inferno.
E para quem ainda não sabe isso se chama HISTÓRIA!
Eis ai a fenômeno-BIO-logia do mistério oculto da Graça: a Igreja dentro das “igrejas” na História de séculos a fio na espreita do tridente do Diabo e não obstante, debaixo dos sustentáculos de livramentos do Senhor de todas as Eras, Bendito Deus de amor!
Pense nisso!
E eu Nele, Aquele que até permite o "mal", um mal necessário para o meu próprio bem,
Mano Serafim