sexta-feira, 9 de março de 2012

O "Sim" de Jesus é sim para você? E o seu "Não" é não para você?


Se eu fosse indagar aqui quem discernisse ou cresse de que Jesus seja o Logos falado de Deus no Universo, e que do universo das palavras, Deus fez a Cristo, a Palavra Encarnada dentro da(s) Escritura(s) como o espírito do Verbo Vivo de Deus na História -, logo se compreenderia que, o Logos divino significa palavra dotada de sentido, sentido ao conceito das coisas, ao conteúdo do pensamento, modo organizado de compreender as coisas – quem de fato o saberia?
Herdamos do pensar filosófico grego que o logos é o conteúdo que dá sentido a alguma coisa. É tudo o que pertence ao domino da razão. Por vezes este termo denomina a própria verdade. Porém, mecanicamente, a verdade por tantas vezes mal falada tornou-se relativa ao pensar humano!
João chama de logos a encarnação da palavra divina em Jesus Cristo. Para João a Palavra Revelada é o verdadeiro logos.
Daí o Logos-razão de Deus Pai ter gerado o Filho, que é o Verbo de Deus, que é também o Evangelho, e que também é a Palavra, pela via do conhecimento, como Palavra Revelada aos homens. 
Por isso a confusão que fazem da hermenêutica bíblica (qual considero inteiramente Jesus sendo ela em toda a Escritura) quanto a forma e maneira de Deus falar com cada um de modo diferente quanto individual. Isso explica a Sua multiforme graça em ação no mundo!
Jesus carregava existencialmente em Si dois binômios: Revelação-fé e Mente-razão. Sendo assim -, vir a ser possível de maneira que a Revelação-fé implica em religar o homem ao seu criador enquanto que a Mente-razão implica em desvelar o mundo e compreender o homem enquanto ser.
Evangelho pregado é o Logos de Deus in-di-visível-mente separado em Logos da razão (antropocêntrico) e Logos Revelado (teocêntrico).
A Palavra–Verbo de Deus reúne o que seja como figura do imediato e mortal ao infinito – transcendente e eterno.
Jesus o Verbo de Deus em ação no meio dos homens cheio de graça e de verdade. Constrói um elo que permite um novo acesso espiritual com ousadia ao Santo dos santos....,
E se não houvesse esta aproximação de Deus com o homem, as Escrituras Sagradas não passariam de mais um manual cultural da religião dos brancos civilizados...,
Ora, a Le-(i)-tra da Escritura mata, porém, o espírito da Palavra que se manifestou a nós como o Evangelho da Ressurreição, vivifica a alma do pecador fazendo-o transcender para além de um mero existir - REVELAÇÃO! 
Daí se crer que o Evangelho seja espírito e vida na dimensão linear numa perspectiva verticalizada - discernimento espiritual.
Jesus operou sinais, fez milagres e realizou coisas incríveis e tudo isso foi e é importante. Porém, Quando Jesus afirmou que o que estava Escrito acerca dele deveria assim se cumprir, ele estava sinalizando que a única pedagogia celestial só poderia se dá e se consumir discernidos Nele - daí o conhecimento espiritual de que nenhum homem viu a Deus [e que vendo o entendesse como que salva] se linearizar no Jesus - Homem.
De perto me vejo e reflito se em Fé, o meu “SIM” das palavras em que produzo em mim mesmo como fruto-de-obediência-da-Sua-graça revelada, e que ecoam em minhas atitudes para o lado de fora, corroboram com o “SIM” das suas palavras, ou seja, da Palavra, Jesus.
E com efeito de minha antítese as minhas próprias palavras reflito se o meu “NÃO” seja de fato também pra mim a afirmação do Seu “NÃO”. Concluo que o seu "Sim" deverá ser "Sim" pra mim como também o seu "Não" deverá ser um "Não" para mim!
Disse Jesus: “Seja, porém, o vosso falar: Sim, sim; Não, não; porque o que passa disto é de procedência maligna.” (Mateus 5:37).
Se sou discípulo-servo do Senhor  a sua palavra pra mim basta, logo, as suas palavras permanecem em mim como o seu verdadeiro amor me permeará sempre!
É no sermão do Monte (Mt.5) onde todos os mundos se conectam e se estabelecem num só link  : dever de vir @ ser.1em.Cristo...,
Todavia, confessemos que o “SIM” de Jesus muitas vezes não corresponde ao nosso “SIM”, mas a uma subjetiva afirmação do não.
As beatitudes oferecidas por Jesus aos que o serve vêm acompanhadas de perseguições, dores e desprendimentos em amor as coisas materiais deste mundo.
As verdades espirituais e eternas contidas nestas palavras existenciais do evangelho transmitidas por Jesus fez Mahatma Gandhi afirmar: “Se se perdessem todos os livros sacros da humanidade, e só se salvasse o Sermão da Montanha, nada estaria perdido”.
“E, abrindo a sua boca, os ensinava, dizendo:
Bem-aventurados os pobres de espírito, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados;
Bem-aventurados os mansos, porque eles herdarão a terra;
Bem-aventurados os que têm fome e sede de justiça, porque eles serão fartos;
Bem-aventurados os misericordiosos, porque eles alcançarão misericórdia;
Bem-aventurados os limpos de coração, porque eles verão a Deus;
Bem-aventurados os pacificadores, porque eles serão chamados filhos de Deus;
Bem-aventurados os que sofrem perseguição por causa da justiça, porque deles é o reino dos céus;
Bem-aventurados sois vós, quando vos injuriarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o mal contra vós por minha causa.”
Senhor venha sobre nós e por amor ao seu Filho amado Jesus, nos revele a Sua vontade, aliás, para quem pensa que desconhece  qual seja a vontade de Deus pra sua vida, esse também não sabe o que seja amar, visto que  a ciência de se saber de qual seja a vontade de Deus pra si e simultaneamente pra vida do irmão, só se conhece amando ao próximo como a si mesmo!
Posto se há algum mandamento a ser seguido em gratidão a Deus, esse mandamento seja de fato o Amor!
Aba, Pai.
Que o teu "Sim" seja um Sim de aprovação a tua vontade na minha vida, assim como o teu "Naaaão"! seja pra me ensinar que na vida os fortes são os que se humilham diante de ti e resistem ao mal globalizado nas demandas sociais e por trás das potestades deste Mundo.
Nele, a Quem a minha alma diz continua-mente Sim, mesmo que o "Não" Dele seja pra mim uma benção que põe um limite a minha vontade caída.
Mano Serafim