quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Se...



Se...
Se o pai da fé Abraão não obedecesse à voz que lhe impelia que fosse...
Se a hebréia Sara mesmo que depois dos noventa anos não gerasse um filho...
Se o príncipe hebreu do Egito não fosse um homicida e fugisse para Midiã...
Se Moisés não fosse gago e quisesse persuadir os poderosos e sábios egípcios...
Se a proposta de Deus fosse somente para que o seu povo o sacrificasse e o adorassem no deserto...
Se Moisés retrocedesse juntamente com os incrédulos e covardes e não fosse encorajado pelo Espírito de ousadia e jamais dissesse: “Efatá!”...
Se Moisés não batesse violentamente com seu cajado na rocha...,
Se Josué filho de Num não fosse um líder forjado pela sombra do discipulado de Moisés...
Se a prostituta Raabe não fizesse parte da genealogia do Messias...
Se o exercito hebreu [sempre em pequenino número em relação aos seus inimigos] não marchasse por sete vezes em torno das muralhas de Jericó...,
Se no vale de Aijalon o sol e lua não detivessem até que Israel vencesse o inimigo, e possuísse a terra prometida...
Se o ministério Levi-tico não prestasse o serviço no culto do tabernáculo e levasse o povo a adorar diante da nuvem de gloria...
Se não houvesse as expiações para os pecados dos sacerdotes e do povo...,
Se o menino não entrasse neste plano animal e linear da maneira que entrou...
Se o carpinteiro nazareno filho de José (como era conhecido) não tivesse dito pelo que estava Escrito em plena sinagoga e perante os judeus: “Hoje se cumprem estas Escrituras ao meu respeito”...
Se muitas coisas do que foi Profetizado e Escrito acerca dele não se cumprissem com a sua encarnação...
Se a agonia existencial do Getsêmani não acontecesse...
Se os que foram incumbidos para o prender no exato momento da sua prisão no horto não olhassem para Ele e não recuassem como que um “tiro de pedra”...
Se na oração angustiada entre beber do cálice da morte e do recuar da cruz a sua vontade prevalecesse a de seu Aba-Pai...
Se ele invocasse auxilio de doze legiões de anjos para o resgatar de seus inimigos...
Se ele descesse da cruz como foi a sugestão de muitos que o viram transpassado as mãos e os pés...
Se na partes mais baixas da terra, no mundo dos mortos, seol ou hades, inferno, Geena, rol dos mortos, ele fosse esquecido e seu corpo deixado na morte...
Se ao terceiro dia ele não reerguesse ( como ressuscitou) o Templo como afirmou para os judeus que desejaram o matar..
Se a sua morte fosse como mais uma morte heróica e não vicária...
Se o perdão não fosse um dom de Deus...
Se Ele não tomasse as chaves da morte e do inferno das mãos do Diabo...
Se...
Vê amigo(a) , as perguntas movem mais o Universo, a existência, a vida e a própria História mais que as respostas que possamos encontrar!
Se eu não crer, nada mudará, pois, as coisas continuarão a ser o que/e como são...
Mas, se eu apenas compreender que as coisas seriam bem diferentes do que já sabemos como hoje elas são não valeria a pena desacreditar.
Mano Serafim 12-09-12