sábado, 7 de setembro de 2013

Tempo...



Não é nada não, mas o nada já se é-era tudo para/na mente do Deus que é. E está além de qualquer teoria que julgue a mente humana finita.
Deus vê o futuro do que para mim ainda seja INFORME . O que para nós seja apenas uma perspectiva do nada, ou do nada sem o tempo e o espaço visto no invisível minúsculo encoberto pelas trevas do nosso nada saber. A luz e as trevas para Deus são as mesmas coisas, assim como a matéria e a não-matéria. Deus pode nos ver como seremos ainda nós informes no ventre da mamãe. Ele detém a essência de tudo e de todos, Ele é o Pai dos espíritos.
A nossa mente capta o tempo a partir de nossa existência de vida probatória.
Saber que, do nada Deus disse "HAJA" tudo (venha existir atômica-mente tudo o que há) é no mínimo racional quanto lógico discernir que, nós seres finitos e de limitada mente, somente Alguém nada limitado em relação a nós poderia chamar a inexistência de existência, antes que tudo viesse a existir do nada. Em Deus o tempo não é tempo (não existe), é apenas o nada (e se há espaço, esse espaço é o nada qual Ele preenche). Deus é o próprio tempo na Criação, não existiu tempo antes de Deus, porque Deus não existiu antes. Deus é Deus de eternidade em eternidade.
Ora, o nada já vibrava alguma coisa, posto que segundo a ciência viemos do nada de uma eternidade do coisa nenhuma. Para simplificar o pensamento. Deus é o Autor do nada completo que inseriu uma volição cosmo-espiritual da plenitude num vácuo composto pelo espaço do nada existente. Portanto, ao afirmar que, o Espírito pairava sobre a face do abismo é porque o nada era a antimatéria divina, ou seja, o amor de Deus foi o combustível que alimentou a válvula motriz de todas as criações até aqui (isso é uma volição inata a criatura). No universo existem leis invioláveis, matemática e física. Em papel e lápis as equações exatas. Acena para um Legislador sábio e ativo.
Logica-Mente, para sobrepor uma mente limitada existiria uma mente ilimitada; para criar um ser finito deve existir um ser infinito. O Universo eclodiu da gestação caótica no espaço eterno de um nada, e se organizou perfeitamente sem uma suprema consciência eternal?
Seria sem lógica sensitiva, sem razão filosófica, sem liberdade de escolha, sem o senso humano no caminho da perfeição que carregamos no âmago. Acrescentaria emoções, desejos e sentimentos que nos identificam como uma imagem e semelhança de um Autor, embora turva e manchada, mas que independente da condição psico-espiritual que estejamos, fomos projetados para dominar, criar, julgar, evoluir. Ao contrário, seria um indivíduo com nolição, contrariando o meu eu que foi "projetado" desde "fábrica" para desejar, sentir, discerni(tendo consciência e vontade existencial quanto indivíduo ou pessoa). Conquanto como poderia eu, eu ser que deseja, não querer desejar de forma que seja a minha condição inata? Não existe ser vivo, pensante e que raciocina logicamente que tenha nascido como "o desejo" de não-desejar? Nascemos desejando, embora devemos filtrar todos os nossos desejos.
E o mais incrível de tudo, Deus ao invés de ser acreditado, espera ser desejado. Mano Serafim