quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Há Tempos


O que faz acrescentar tempo na vida; o que nos fará acreditar que nos faltará tempo para muitas outras coisas inacabadas e ainda não vividas a tempo; o que nos compensará como tempo se de tempo não dispomos tanto tempo...
Vendo a vida de fora do quadradinho, acresce a esperança de que em algum tempo nos será favorável para que hajam mudanças em nós devido ao tempo que nos foi dado como parametro do imediato.
Desprezível tempo que se faz quando tempo não há para que do que ainda nos resta em tempo de não se gastar muito tempo do pouco tempo que temos, o apagão de nossa mémoria escurece a luz que carrega em si o tempo, todo o tempo que precisamos...todo o tempo do mundo...e até tempo de se dizer que não temos tempo.
Temos o nosso próprio tempo - esse é o tempo que nos resta - estamos há tempos segurando espelhos e dentro e fora de tempo não nos enxergamos por inteiros, definitivamente os espelhos refletem em cada um de nós um mundo doente.
Demandaria muito tempo para que eu escrevesse aqui a tempo tudo que em nenhum outro tempo poderia assim descrever como tempo propicio a essa geração que mata e morre antes do tempo.
Cada um sabe o tempo que tem e o tempo que gasta sendo consumido pelo próprio tempo.
Se porventura nos fosse possível vivermos até a idade de 40 anos e depois disso nos fosse chipado/creditado um determinado tempo e que toda a nossa vida e destino estivessem relacionada a um tempo-moeda determinado neste mundo como você administraria o seu tempo vital de 72 horas?
Mano Serafim