sexta-feira, 4 de abril de 2014

Amor


Amor inventado é amor causal, casado, caçado, casual, eh isso mesmo?
Seja acaso verdade, amor causado é amor providencial.
Providencial é o amor sem causas próprias, mas causador de todo o bem.
Bem mesmo são os amores sem causas e sem consequências, porém bom seriam se vivenciados por todos nós...
Acaso vos faltei com a dita verdade?
O ocaso será sempre não causado assim poderia ser o devido amor.
Amor reinventado é amor já vivido, muitas vezes entre um homem uma mulher qual nenhum outro deverá meter a colher. Amor perene é amor conjugal onde o homem já se separou, desquitou/desdesquitou e desamou/reamou a mesma mulher de quem ele jamais se divorciou.
Amor consagrado é amor fla-gra-do. Flagrado amor é um sendo achado e flagrado pela percepção um do outro, amando um ao outro em cumplicidade, romancismo, legalidade, ressito, afeto e simultanea devoção.
Amor é...
É amor quem dele se veste, reveste e traveste. Amor puro é amor sincero mesmo existindo todos os defeitos de quem ama em estado de sólida fraqueza, mas com franqueza sólida na perspectiva amável de desatar todos os novelos das indiferenças, gostos, desgostos, tristezas e felicidades do imediato. Felicidade demais destroi os sonhos; amor demais acaba de vez com a felicidade; o equilibrio da convivência como entes do amor deverá ser dosada semelhante ao romeu e julieta; café com leite; igualzinho a picolé mini-saia (risos)...
A causa primária do amor é o encontro entre dois seres independentes que se unem sem se unificar em amor único, porém com todas as suas singularidades diferenças entre si.
Amor que permanece para sempre é amor que nunca prejudica a vida um do outro, mas refaz a interioridade sedimentando também o amor espiritual. Pois, de amor em amor se edificam laços indissociáveis para uma união eternal.
Eu sei, claro, tem gente que adora inventar um amor, melhor, a nossa maioria age assim. Gente que ama um amor inventado.
Quem poderá inventar um amor sem pôr o seu coração nesta empreitada?
A gente adora criar situações que irão nos colocar aquém do amor verdadeiro. A paixão eh uma delas. Mas já existiu alguém que inventou um amor sem ser precedido de paixões?
O amor é destemidamente sério, apesar de estar sempre sorrindo. O amor é tudo o que a humanidade necessita para viver em paz, união e graça.
-- O amor é de graça, exercite-o, esbanje-o, doe amor. Ele se renova a cada gesto, atitude e palavra que o projetamos em outros...
Venha comigo amigo (a) e invente um amor para dimensionarmos um mundo mais almamente amável e menos humanamente desa(l)mado.

Mano Serafim