terça-feira, 8 de abril de 2014

Deus meu...


Não, o meu Deus não se esconde de minha face...mas misericordiosamente faz com que a sua luz resplandeça sobre o meu rosto.
Não, o meu Deus não cospe raios e arrota trovões tempestuosos...,
Não, o meu Deus não anda mau humorado e com ódios de morte voltado para a humanidade caída...
Não, o meu Deus não deseja ser idolatrado e nem venerado, mas apenas amado de perto na/pela graça em Cristo Jesus...,
Não, o meu Deus não cabe em nenhuma religião e templo...
Não, o meu Deus não é um deus desconhecido do qual Nietzsche se escondeu por toda a sua loucura de vida racional, logo Deus me pareceu ter-se escondido dele e dentro dele tendo morrido aos poucos...
Não, o meu Deus não brinca com a criação e nem mexe seus pauzinhos para mostar e provar com poder esmagador quem eh quem manda no pedaço...
Não, o meu Deus não é o deus dos montes, montantes, malantes (risos)...
Não, o meu Deus não é um deus tribal e sanguinário...
Não, o meu Deus não é homofóbico...
Não, o meu Deus não criou raças humanas...
Não, o meu Deus não é o mesmo deus dos religiosos fanáticos...
Não, o meu Deus não projeta medo e nem manipula a vida de ninguém...
Não, o meu Deus não se vende por um prato de lentilha$ ...
Não, o meu Deus não é gospel...
Não, o meu Deus não precisa das pregações dos ungidos para se converter aos seus caprichos masturbatórios...
Não, o meu Deus não é um deus deísta, Ele é o Deus de perto e é também Deus de longe - é Deus ontem, hoje e eternamente - é Deus de amor hoje e sempre.
O meu Deus nunca foi criado pelos homens, porém em relação aos homens os seus desejos e pensamentos são de paz.
O meu Deus vive e reina eternamente!
O meu Deus é o mesmo Deus de abraão. O Deus de Isaque. O Temor de Jacó.
E este Deus a quem chamo de "meu", me permite com temor e tremor amá-lo. Conquanto é o Deus em Quem eu em cuja presença canto, danço e adoro!

Mano Serafim