terça-feira, 13 de maio de 2014

Amadureça...


Todo indivíduo (que) é composto de folhas secas e sendo assim estará a mercê do soprar dos ventos...,
A leveza insustentável do ser muitas vezes é um peso insuportável na alma agora... 
Esmagadoramente, vive todo homem que a si mesmo se perdeu e perdido de si mesmo não consegue reaver o caminho da luz...
Nunca exija de si o que em si não se pode ser nesta vida. 
A exemplo: Ninguém poderá ser um ser perfeito. Pois aqui neste mundo a perfeição não existe, a sua busca torna o indivíduo paranoico, ela é apenas uma utopia humana.
Chuta para bem longe a auto-cobrança insana; divorcia-se da tirania ditadora do dever-de-ser somente para impressionar o olhar alheio, sabendo que na verdade no fundo da sua alma você nunca desejou ser e parecer ao que a mentira diz ser a verdade...
Foge do louco dever de ser alegre o tempo todo, mas pondere-se para que a tristeza não lhe seja por perene campanhia. 

Acostumar-se com a tristeza é desfalecer para a alegria de ser somente a você!
Em verdade, sabemos de tudo e do tudo que imaginamos o saber se define como o quase nada. 

O "quase-tudo" é geralmente o quase-nada, e nada nos preencherá para além de uma vidinha tão vazia.
Sentir a vida de bem perto realça a tonicidade da alma, sim, a do arco-íris da alma...,

A cor que hoje a tua alma veste, revela a dor e a tristeza deste "outono" que logo irá passar.
Então cinja-se da cor da alegria desprentesiosa, dê uma nova nuance a sua vida, pincele de emoção a cada momento com os seus, represe gratidão e extravaze gratidão com todos - não te esqueças de te curtires de montão.
Siga andando e lá adiante saberá que os fortes neste chão são justamente aqueles que em si e dentro de si viram dores, decepções, angústias mil, solidão, tristezas, perplexidades e que beijou o absurdo.
Deixa que o dia soprará em ti "o vento" que varre as desesperanças e traz de volta toda esperença do que ainda não se poder ver, ter e tocar...
Mas deixa que o amor virá com malas-prontas, prontas para te levar em viajem nos braços da primevera dos bons frutos.
Amadureça seus frutos, pois deles dependem um montão de almas, cujas alegrias se renovarão e cujos sonhos brotarão, mas deseje sempre ser você mesmo (a).
Os nossos velhos terão sonhos!
M. Serafim