terça-feira, 27 de janeiro de 2015

Deus não cabe em nenhuma religião, mas apenas no ser.



Deus não cabe em nenhuma religião, ou para você cabe?.
Qual religião cabe (a) Deus?
O que me cabe, cabe também a/em quem crer.
Você não crê?
Crer que em Jesus a gente cabe, só cabe a nós segui-lo.
Cabe a mim amá-lo, cabe a mim imitá-lo, Jesus cabe em mim...
Ele é a minha referência sempre e para sempre (que) me cabe!
Ele sim, sempre cabe em mim, e em você Jesus também cabe?
Mas cabe a mim cabê-lo em mim, digo, cabe a mim ter do seu mesmo caráter...
Sim, Jesus nos cabe e nos cai bem, cabendo-se nós Nele.
Bem nos cabe nos converter a Ele todos os dias.
Ele quando homem presente foi o modelo dentre os demais homens e hoje nos deixou o exemplo para seguirmos.
Ele é o Caminho...
Dias estes que não nos cabe por inteiro, mas nos cabe fazer destes dias Jesus cabendo em nós a todo momento, situação e episódio, seja na sua doçura com as crianças, na sua delicadeza com os idosos, de seu trato com os tolos, de seu amor para com os pobres, do nosso zelo e afeto para como o nosso cônjuge; da sua dureza contra os mentirosos, hipócritas e manipuladores de almas...
Ah, e o descrever quanto a sua leveza de ser? 
Ele era inigualável. 
Deus é infinito.
Deus é, e quem sabe, intangível.
Deus só nos cabe se Jesus em nós couber . 
Deus em Cristo nos coube e cabendo em nós, nos fez (seus) filhos. 
Filhos que cabem em Deus, todos.
M. Serafim

sábado, 24 de janeiro de 2015

Anjos?


Pouco ou nada notável diante dos atentos olhares alheios.
Os ditos fantasmas são mais visíveis.
Passos a largo, sem muitos gestos, a voz não se ouvia.
Assim ele segue ocultamente neste mundo de cores.
Figura do anônimo, presença não manifesta nos bares, nos centros urbanos e nem nos palcos da vida.
Alguém perturbadoramente o avista, embora de bem distante, o acena com a mão, porém sem sucesso.
A felicidade bateu-lhe na porta, deixe-a adentrar, mas quem dirá: Fui feliz para sempre - The End - frase editada no final de cada filme.
Vai ao longe de permanecer.
Foge da retina a sua silhueta do olhar.
A luz também se foi, se faz noite, mas que lindo o crepúsculo.
O vento sopra a brisa do entardecer, a onda lambe tudo canelas abaixo...
Um grito na escuridão, era um rasga-mortalha vindo na direção do Ocidente, tudo normal, somente mais um dia árduo.
Vinda a hora do agora, descobre-se que o mundo é somente um dia, uma dor, uma calmaria e mais um instante.
Absolutamente, ele se foi, e consigo carregou a alvorada, aliás o tempo quem faz é ele, ele é o próprio tempo, o devir.
Doravante um Outro virá. 

E com ele também virá a alegria, a paciência e a brandura...
Apazigue-se o coração e aquieta-te em tua mente.
O que dirão aos jovens que desejam tudo para ontem?
- Acalmem-se e contentem-se, vocês terão inúmeros invernos pela frente.
Mas era isso, eles não discerniram com lucidez qual era a estação do desanimo. 

Eles tentaram tapar o sol com a peneira.
Dissolveram-se ante o desespero existencial de não saber para onde irão, se darão, se chegarão,  e, se sobreviverão.
O medo de viver tomou-lhes pelas mãos, nem tudo é emoção, mas o medo sequestra a razão de não sentir medo contra o medo de tudo.
Ver eles se foram, meio que invisíveis feito um vento.
Um vapor por um instante.
E quem os notou?
Poucos?
Muitos?
Não, eles não definitivamente se foram, eles não mais se manifestaram partindo. 

Eles não vieram de norte algum, eles não saíram de dentro de nós. 
Sim, eles aqui estão, fomos nós quem não os notamos.
E se porventura algum de vós notastes, deu fé de apenas um dentre centenas de milhares deles.

* rasga mortalha - pássaro de hábitos noturnos.
M Serafim (Fragmento: "Confessionário de um Sedutor"- M.S.)

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Igreja-Viva e as igrejas-Instituições


Na longa caminhada cristã, é o próprio indivíduo quem dá o primeiro passo em direção ao destino pelo qual ele acredita que um dia chegará.
Tornar-se cristão requer renuncias de tudo aquilo que neste instante tenha prioridade na sua vida.
Quando captamos que o desejo de Deus é apenas nos fazer o bem, a nossa prioridade passa a ser o Reino de Deus. E as demais coisas nos serão paulatinamente acrescentadas.
Este Reino nos habita, somos convidados a entrar neste Reino, aprendemos habilidades que nos fará servos do Senhor, embora sem constrangimentos, com muita responsabilidade e fé.
A fé nos preenche o coração a fim de nos despirmos de qualquer poder que não seja do amor de Deus em nossas vidas.
Sem fé nada se poderá fazer, nem para Deus e nem para o próximo. Sendo assim, tudo que se é realizado sem fé, pecado é.
O próximo passa a ser, sempre foi e será, toda aquela pessoa que cruzar o seu (nosso) caminho na existência.
Ser Igreja vai além das fronteiras impostas pela religião, é tratar o ser humano com zelo, afeto e respeito.
É fundamental nutrir o respeito com a escolha e com o pensamento do outro.
É de igual modo salutar, a consolidação entre almas no campo emocional, espiritual e com novas amizades.
Nenhum ser humano evolui sozinho, a presença e o apoio moral quanto afetivo de outros é necessário para o crescimento e firmamento de cada cristão no caminho de sua fé.
A base de toda a doutrina cristã deverá ser o amor.
O amor de Deus nos serve e servirmos aos outros com amor divino derramado em nossos corações.
Sem perdão não haveria salvação - Deus nos deu perdão - devemos por amor, perdoar.
Tudo vem de Deus.
A fé, a esperança e o amor.
Penso,
As igrejas institucionais deveriam o mais rápido caírem na real, não é uma santificação doutrinária que nos santifica dentre os irmãos e dos que debaixo do sistema mundano estão, mas é o amor sincero e verdadeiro que nos torna puros diante da nossa realidade caída enquanto gênero humano.
Jesus amou os seus discípulos até o fim - debaixo de traições, abandonos e perseguições - mas os guardou até o fim.
A vida cristã nos ensina que o segredo mais sagrado de ser Igreja do Senhor neste Mundo, é exatamente conseguir ser um discípulo do amor de Jesus Cristo.
Quem se habilita a morrer para as coisas deste mundo maluco doente podendo alcançar a Vida Eterna a cada dia?
Não se canse de amar, a prática do amor no faz mais felizes e livres de qualquer condenação diabólica e humana.
Quem sabe do porquê que porventura não esteja dando certo, não seja a sua maneira de projetar o seu olhar até aqui?
Ore a Deus e tente mudar a sua maneira de olhar o Mundo ( a Criação), pois ela é obra bendita do Eterno.
Deseje pelas obras do amor, ouvir mais, compreender mais, e falar um pouco menos, mesmo quando a situação exija que você grite. 

Apenas ore!
A urgência de se desfazer dos muros de separação entre o ir e o confinamento geográfico institucional - a Igreja requer mobilidade existencial - trata a própria existência como um inferno sem aflições (mas muito bem acomodado) e nos paralisa diante de um paraíso de nostalgias fictícias (se morre assim eternamente - este tem guardado a sua própria vida em função do medo, preguiça e da vitimização).
A alma humana precisa vital-Mente sentir o cheiro de gente; sentir a textura de gente e ouvir do diálogo de gente-com-gente que quer ser gente fina de Deus e gente amável socialmente sentida, aceita e comunitária.
A parada no Caminho é para apenas nos "abastecer" de mais energias emanadas do Senhor.
As igrejas na sua maioria, seguem uma moral criada por seus idealizadores transculturais, mas o evangelho exige ética do indivíduo.
As morais religiosas matam mais que poupam vidas humanas, pois em nome de um deus sagrado, se execram, matam e arruínam tudo.
A moral religiosa exige obediência cega e sem misericórdias, caso contrário elas tratarão seus "infiéis" com punições morais e castra de amor, podendo até excluí-los do rol de membros (as igrejas usurparam de Deus o poder, a glória, o juízo, a salvação, a redenção e o amor incondicional), já o evangelho condiciona tudo ao amor de Deus sobre o homem.
O compromisso de ser ético é o mais elevado degrau que um indivíduo possa alcançar em virtude dele ter adquirido uma consciência santa no Espírito Santo.
As igrejas produzem seres religiosos moralistas e chatos, o evangelho desperta o indivíduo para andar sobre o amor de Jesus como um discípulo psico-ético.
A Igreja se compadece de todos, as igrejas dão atenção a poucos.
Portanto, se em seu coração de carne há alegria de servir.
Sirva-O na medida que fazer o bem ao próximo é louvar a Deus.
Não tenha medo e não conspire contra si mesmo.
Mas tente "abraçar-se neste chamado de amor", amando e servindo a Deus no próximo.

M Serafim 23-01-15

quinta-feira, 22 de janeiro de 2015

Né-nada-não



 Mas,
As vezes Deus nos tira a "visão" para que a sua Palavra seja luz para os nossos olhos caminho-dos-pés.
As vezes Deus nos tira os ouvidos para que o coração venha ser todo ouvidos em mente-e-espírito Nele.
As vezes Deus nos tira o chão para que todo atalho seja apenas diante de nós, uma escolha para os fracos. Pois o forte se firma no Caminho.
As vezes Deus nos tira a voz para que toda a nossa oração seja inaudível aos homens e audível somente aos Seus ouvidos.
As vezes Deus nos tira as placas de direção, para que o Espírito Santo seja Ele somente o nosso guia (acredito que o Espírito Santo saiba muito bem se comunicar conosco - se não estamos ouvindo é pq não queremos escutá-Lo).
As vezes Deus nos tira o sossego, para que nós possamos doá-lo a outros desassossegados aflitos.
As vezes Deus nos tira a letra, para que olhando nós para nós mesmos, aprendamos a ver o próximo.
As vezes Deus nos tira do nosso ponto de conforto para o confronto, para nos edificar perante os diabos da vida.
As vezes Deus nos tira a poesia, de nós ela é arrancada - muitos veem numa pedra apenas massa, ou seja, pedra - outros veem além de massa, alma.
As vezes Deus nos tira o sono para que oremos pelos desesperados.
As Vezes Deus não nos tira nada. Mas nada justificaria tirar nada de nada.
Na verdade, Deus não nos tira nada, somos nós que inventamos tudo como desculpas para nada.
Nós somos fabricantes do nada.
Nada é tão denso como na vida, o peso da existência, não se assemelhar ao fardo de Jesus.
Nada, é a imaginação que permeia a nossa existência.
Mas nada é tão sério que nada ser, e sendo o nada, nada somos, somos nada.
Somos algo mais que nada - Ele morreu por nós.
Nada nos separará Dele.
Pois Nele seremos tudo.
Jesus é o Tudo do que precisamos.
M Serafim

quarta-feira, 14 de janeiro de 2015

De quantos milagres você necessita para viver?


Quando não se poderia explicar a concepção biológica, a tratávamos como um milagre; quando não se tinham a ajuda dos microscópios, todos micro-organismos eram nossos "inimigos" extremamente furtivos.
A isso cientificamente dá-se o nome de fenômenos naturais.
Mas a gente chama de milagres mesmo, né?
Você já tentou imaginar (tem conhecimento) de quanta força e energia o nosso corpo necessita de "queimar" para nos locomovermos?
De quantos porcento utilizamos para pensar e receber inúmeras informações em nossos neurônios?
Qual a quantidade de sangue que o nosso coração bombeia por dia?
Quanta gordura, toxinas e sais minerais liberamos através da respiração no meio ambiente (expiramos gás carbônico)?
Sim, tudo isso exige um "milagre" - o milagre da vida - viver é um extraordinário milagre.
Embora saibamos por intermédio da ciência se estamos com a saúde em dia ou não, nenhum de nós por mais saudável que esteja deseje fazer uma dieta sem a ingestão de guloseimas entre um mundo imenso de doces e salgados - justamente aqueles que mais nos agradam o paladar.
Restrições, renuncias e proibições são expressões poucos aceitas em nossa cultura consumista e fast food.
Milagres acontecem. Isso vai de uma viajem as células tronco a excreção fecal dos alimentos...
Já pensou na ideia de encararmos com desprazer toda vez que precisarmos de irmos ao banheiro fazer xixi e cocô?
Mas que coisa maravilhosa e bem arquitetada somos nós, hein?!
E o dormir. Todos os dias quando dormimos, além de sermos restaurados psico-e-fisiologicamente, sonhamos.
Quem não sonha não vive - viva os seus sonhos - acorde para vivê-los.
De qual mais milagre você precisa?
De mais um hoje?
Mas qual?
O de crer?
"porque nele vivemos, e nos movemos, e existimos..." (Atos.17.28A)
M Serafim

terça-feira, 6 de janeiro de 2015

Humano, demasiadamente divino .

Por Mano Serafim


"Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar". 1 Coríntios 10:13
Divino, demasiadamente divino.
E porque não, "humano, demasiadamente humano"?!
Em Jesus as tentações des-tenta-nos (ele é a justiça de Deus sobre nós tentados). Não é como se "apresenta" a/em nós, toda tentação - quando por nós vista como "oportunidades" - nos tentam em Jesus (Cordeiro expiatório).

Que divinamente nos seja por fé.

Em Jesus a humanidade divina se assenta conosco a banir todas as párias entres os homens. 
Ninguém mais o tenta, o Tentador tenta, mas quando o tentou, quebrou a cara...
Com Jesus o "papo é reto" my brother!
Nem pense, e só em pensar em tentá-lo você será tentado.
Tal verdade culmina na revelação que Ele mesmo faz do Pai. Deus não pode ser tentado por nenhuma criatura, o homem até que tenta, mas sem êxito algum.
Humano, ente, gente, pessoa, servo, filho. Tudo isso vem da humanidade não-caída de Deus. 
Escândalo?
Nada!
Blasfêmia, muito menos da minha parte.
Paulo gritou: "Ele se esvaziou!".
Quem mais exotérico e isotérico que seja saberia discernir com "perspectivismo" (neologismo Nietzscheano) isso?
Seria olhando de cima ou percebendo de baixo?
O profeta Malaquias disse que Deus visitaria pessoalmente a Terra.
Portanto, o que nos faltou a compreensão?
O Cristo foi tentado em tudo e não sucumbiu.
Deus "sentiu" a tentação na pele do Nazareno, Messias rejeitado antes de nascer. 
Ser tentado é ser provado - independe a origem da tentação - Deus não tenta a ninguém, mas o homem segue sendo tentado e tentando o outro pela sua própria concupiscência inata.
Tanto para o bem quanto para o mal. 
Talvez e quem sabe, nós somos almas e não apenas alma, e nunca uma "alma-palheiro" que vasculha por dentro um "eu-alfinete".
Vontade de potência, natureza e não natureza humana. Já que tudo na vida leva o nome de desejo.
Livre-arbítrio, soberania, determinismos, fatalismo, naturalismo, humanismo - quem se salvará da ala de "rebanho".
A Teologia não salvou o homem religioso do inferno cultural.
A filosofia não detém a absoluta verdade sobre o saber e não-saber, e todo filósofo que faz da sua filosofia a verdade, sofrerá duras penas pelo inimigo da modernidade.
É reducionista também o reducionismo científico. 
Ninguém será tomado por coitadinho, nem tampouco condenado por não corresponder corretamente religioso aos caprichos dogmáticos de um "espírito-moral-religioso" de uma época.
Quem nos vencerá no final?
A tentação de cada dia de nos tentar-mos contra nós mesmos ou a tentação que carregamos como auto-engano de auto-santidade sobre nossos pensamentos, desejos e ações?
Se é pela alienação de um passado que seremos julgados, só nos resta lamentarmos o tempo que perdemos sem nos lambuzarmos no pecado.
Mas já que a morte soa forte aos nossos ouvidos, a verdade torna-se absolutíssima quando a mentira é a ampla matéria em expansão em todos nós ("O que é a verdade?"), pois, nenhum ser sabe o caminho para a Vida, mas a morte sempre a encontramos em qualquer atalho da existência. 
Falar sobre questões da vida no faz morrer diante do fluxo deste mundo secularizado pela tecnologia.
A gente cresce até um determinado tempo neste chão, mas chega a um espaço que só se cresce se o crescimento for para baixo, para dentro da gente. A consciência exige maturidade reflexiva, ela nos dá uma chance para isso...
Nada furtará a alma de nós - nós somos almas - a alma está em nós e nós em Cristo.
De Cristo tudo está pronto e consumado, de nós quase tudo não-pronto e muitas áreas irresolutas - o caminho é longo, e não obstante durará um segundo.
As tentações virão...deveras num desses "vales pela sombra da morte" - uma alma, em nós, sobreviva. Perseveremos!
Conquanto a superação e a perseverança nos tecem de um espírito forjado pela esperança que não-espera, mas que vai, que busca, que refuta; que questiona; que discorda; que concorda; que intui.
A fé que habita no divino-Ser é demasiadamente humana para esperançar - posto que, acreditar no que se espera é não-esperançar, porém crer contra e qualquer esperança que espera algo cair do céu ou magicamente aparecer do nada, é burrice.
Escrito isso, a Igreja nunca deixou de "andarilhar" na existência, seja quando Hebreu, Judeu, escravo, gentio ou livre.
Que o vosso "sim" seja o "amém" de Jesus e o vosso "não", o "não comas" de Deus.
M Serafim