sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Igreja-Viva e as igrejas-Instituições


Na longa caminhada cristã, é o próprio indivíduo quem dá o primeiro passo em direção ao destino pelo qual ele acredita que um dia chegará.
Tornar-se cristão requer renuncias de tudo aquilo que neste instante tenha prioridade na sua vida.
Quando captamos que o desejo de Deus é apenas nos fazer o bem, a nossa prioridade passa a ser o Reino de Deus. E as demais coisas nos serão paulatinamente acrescentadas.
Este Reino nos habita, somos convidados a entrar neste Reino, aprendemos habilidades que nos fará servos do Senhor, embora sem constrangimentos, com muita responsabilidade e fé.
A fé nos preenche o coração a fim de nos despirmos de qualquer poder que não seja do amor de Deus em nossas vidas.
Sem fé nada se poderá fazer, nem para Deus e nem para o próximo. Sendo assim, tudo que se é realizado sem fé, pecado é.
O próximo passa a ser, sempre foi e será, toda aquela pessoa que cruzar o seu (nosso) caminho na existência.
Ser Igreja vai além das fronteiras impostas pela religião, é tratar o ser humano com zelo, afeto e respeito.
É fundamental nutrir o respeito com a escolha e com o pensamento do outro.
É de igual modo salutar, a consolidação entre almas no campo emocional, espiritual e com novas amizades.
Nenhum ser humano evolui sozinho, a presença e o apoio moral quanto afetivo de outros é necessário para o crescimento e firmamento de cada cristão no caminho de sua fé.
A base de toda a doutrina cristã deverá ser o amor.
O amor de Deus nos serve e servirmos aos outros com amor divino derramado em nossos corações.
Sem perdão não haveria salvação - Deus nos deu perdão - devemos por amor, perdoar.
Tudo vem de Deus.
A fé, a esperança e o amor.
Penso,
As igrejas institucionais deveriam o mais rápido caírem na real, não é uma santificação doutrinária que nos santifica dentre os irmãos e dos que debaixo do sistema mundano estão, mas é o amor sincero e verdadeiro que nos torna puros diante da nossa realidade caída enquanto gênero humano.
Jesus amou os seus discípulos até o fim - debaixo de traições, abandonos e perseguições - mas os guardou até o fim.
A vida cristã nos ensina que o segredo mais sagrado de ser Igreja do Senhor neste Mundo, é exatamente conseguir ser um discípulo do amor de Jesus Cristo.
Quem se habilita a morrer para as coisas deste mundo maluco doente podendo alcançar a Vida Eterna a cada dia?
Não se canse de amar, a prática do amor no faz mais felizes e livres de qualquer condenação diabólica e humana.
Quem sabe do porquê que porventura não esteja dando certo, não seja a sua maneira de projetar o seu olhar até aqui?
Ore a Deus e tente mudar a sua maneira de olhar o Mundo ( a Criação), pois ela é obra bendita do Eterno.
Deseje pelas obras do amor, ouvir mais, compreender mais, e falar um pouco menos, mesmo quando a situação exija que você grite. 

Apenas ore!
A urgência de se desfazer dos muros de separação entre o ir e o confinamento geográfico institucional - a Igreja requer mobilidade existencial - trata a própria existência como um inferno sem aflições (mas muito bem acomodado) e nos paralisa diante de um paraíso de nostalgias fictícias (se morre assim eternamente - este tem guardado a sua própria vida em função do medo, preguiça e da vitimização).
A alma humana precisa vital-Mente sentir o cheiro de gente; sentir a textura de gente e ouvir do diálogo de gente-com-gente que quer ser gente fina de Deus e gente amável socialmente sentida, aceita e comunitária.
A parada no Caminho é para apenas nos "abastecer" de mais energias emanadas do Senhor.
As igrejas na sua maioria, seguem uma moral criada por seus idealizadores transculturais, mas o evangelho exige ética do indivíduo.
As morais religiosas matam mais que poupam vidas humanas, pois em nome de um deus sagrado, se execram, matam e arruínam tudo.
A moral religiosa exige obediência cega e sem misericórdias, caso contrário elas tratarão seus "infiéis" com punições morais e castra de amor, podendo até excluí-los do rol de membros (as igrejas usurparam de Deus o poder, a glória, o juízo, a salvação, a redenção e o amor incondicional), já o evangelho condiciona tudo ao amor de Deus sobre o homem.
O compromisso de ser ético é o mais elevado degrau que um indivíduo possa alcançar em virtude dele ter adquirido uma consciência santa no Espírito Santo.
As igrejas produzem seres religiosos moralistas e chatos, o evangelho desperta o indivíduo para andar sobre o amor de Jesus como um discípulo psico-ético.
A Igreja se compadece de todos, as igrejas dão atenção a poucos.
Portanto, se em seu coração de carne há alegria de servir.
Sirva-O na medida que fazer o bem ao próximo é louvar a Deus.
Não tenha medo e não conspire contra si mesmo.
Mas tente "abraçar-se neste chamado de amor", amando e servindo a Deus no próximo.

M Serafim 23-01-15