terça-feira, 28 de julho de 2015

Me procurar...


Hoje eu resolvi me procurar.
Desejei ir além do caminho que tenho trilhado, mesmo que por um tento quanto irresoluto.
Lançar-me no mais profuso e profundo do conhecer a mim mesmo - conheça a Ti somente.
Sair-me da sombra, sentir o sol arder na cabeça e a sola dos pés queimarem.
Translocar-me numa viagem que tem inicio em mim e para mim, permutar do lugar de conforto n'alma para um estado de reboliço no ser.
Fugidia, eu a sempre via, era a minha alma que de mim corria milhas.
Sonhar sonhos bons, é um recanto que desapoquenta qualquer coração em demasia apoquentado.
Quem nunca sonhou um sonho?
A senhora demasia que traz consigo uma falsa aflição, aquela que fustiga a mente, a certeza presente de muita ansiedade.
Ah minha alma, tu que vagas vagabundamente vazia; tu que vazas pela várzea do dia, do dia que chamo de meu consolo.
Pois, é nesta estação que haverão de vir dias melhores, de modo que a vacuidade de minha alma, preencha-se de amores.
Dos amores mais sofridos, mas de amores sortidos.
Dos amores menos falidos, mas de sabores.
Todos eles, amores meus.
Tenho por certo, encontrar-me, sem desesperos surpresos.
Venho a mim ainda hoje, antes que o dia se vá, e leve com ele o sorriso.
Do sorriso que sorri sempre, sorrindo sorridente-mente para mim...
Não se vá de mim, dê-me mais uma chance.
Chancela-me com a marca da vida.
Vida que pulsa em mim - sei lá qual centelha, sei lá se nitrito.
Cada qual trilha por um caminho só.
Só assim se descobre o quanto a subjetividade existe existencialmente num exército de um homem só.
Só eu, já me basto!
M Serafim 4/15