terça-feira, 17 de novembro de 2015

Jesus vê apenas a nossa humanidade


O discurso de Jesus passa longe da cultura igrejeira, doutrinária e capitalista.
O discurso de Jesus possuía o tempero da vida...
Ele não foi a Grécia discursar filosoficamente para os pensadores gregos e nem Ágora nenhuma teve o privilégio de guardar a poeira das suas alparcas.
Primeiro viver e depois filosofar - se Jesus não fosse um rabino, mas, filosofo, ele seria o pai sobre todos pensadores.
A sua dialética perpassava qualquer estrutura ideológica e filosófica já vivenciadas pelos antigos gregos do Ocidente.
Em Jesus todas as vozes se calam.
Nele, a cada ação de amor humana, a cada ato por fé e a cada pulsão vem de ordem da natureza complexa do homem.
Não, Deus não será responsável por cada ação de ordem moral humana. Deus não poderá ser responsabilizado por cada ato de maldade humana.
A palavra de Jesus era bastante simples e objetiva - ela atingia o alvo certo. A sua atitude diante da calamidade e reprovação dos valores humanos o fez compadecer em misericórdias.
Ele via o homem vitimado pelo pecado, e por isso se compadeceu do mesmo, mas ele também o enxergou religiosamente presunçoso...
O seu olhar de amor e de graça atraia os mais maltrapilhas homens desgraçados rejeitados nus!
Seu discurso não era um discurso, conquanto, um "manda-ali-mento" na praticidade de se doar ao semelhante com todas as forças, energias e amor.
Nem Igreja, nem Israel, nem justos, nem santos, nem povo de Deus...
Não, os seus olhos estão sobre os homens mansos na face da Terra!
Vá e dê todas as suas riquezas aos pobres...,
Vá e ordene que os mortos enterrem os seus mortos...,
Vão e pelo caminho não parem em lugar algum e nem levem sandálias, comida e nem alforjes...,
Vá e negocie com seu credor e perdoe aquele que não poderá te restituir...,
Vá e faça um banquete e convide os rejeitados, aleijados, cegos, órfãos, pobres...,
vá e dê suas ofertas a viúva e ao órfão desamparados...,
Vá, ensine, viva e pregue o evangelho e viva do evangelho...,
Vá e desapegue-se de tudo que porventura tenha te possuído e depois venha, carregue a sua cruz e siga-me.
A consciência que adquirimos andando na vida com Jesus e pondo-a em prática na comunidade congregacional do mundo neste chão, é a nossa cota e porção de felicidade e muitas alegrias debaixo deste sol.
Não, Jesus não tem de fato nada a ver com estas estruturas de poder e "estados" islâmicos ou cristãos que surgem a cada dia.
Jesus tem compromisso é com quem ama o seu próximo (a Criação) sem ou com religião; com ou sem o extremismo religioso ou político.

Mas com quem enxerga a humanidade nos outros.
Amar da boca para fora todos nós amamos.
Mas amar o inimigo que nos persegue a fim de nos destruir, isso que é mui difícil, manos.
Confesso para vocês que, eu estou aprendendo a andar em tal amor.
Ser discípulo não é para todos, mas creio que chegarei lá.

M Serafim