segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Com o passar do tempo...


A gente aprende a ser mais religioso que mesmo evangélico.
Com o passar do tempo, a gente desaprende a ser gente simples, alegre e solicita com toda a sorte de gente.
Basta observarmos quem são aqueles que fazem parte do nosso círculo, cultura gospel e anseios...
Com o passar do tempo, a gente se bestifica com certos ensinamentos que vai nos raptando "o ser" aos poucos.
"Supusitoriamente" somos transformados em "híbridolatras" daqueles que mandam em nossas cabeças.
Com o passar do tempo, a gente não percebe, mas acontece que, a gente vai sendo burrificado racional-Mente por não mais perceber que a manipulação religiosa afeta também o nosso desejo de ser feliz com o que somos; pelo o que temos e pelo o que não temos.
Com o passar do tempo, a gente deixa-se encher de tudo aquilo que NÃO É evangelho para a alma e que evangelho não seja.
Com o passar do tempo, a gente vai morrendo emocionalmente, sensivelmente e sensitivamente através do engendramento psico-mental de que, a doutrina determinista da comunidade é a Palavra de Deus que nos restaura, nos cura e nos liberta.
Com o passar do tempo, percebemos que perdemos um puta-tempo, sendo um tempão enganados, roubados e magoados pelos lobos visíveis do rebanho universal do Bom Pastor.
E com isso, soma-se o número enorme de almas feridas, adoecidas e violadas por este Sistema diabolicamente capitalista e religioso.
Pelo qual vê as almas humanas como: $.
E é com um tempo que a instituição deixa de ser uma célula, um órgão, uma parte de seu corpo dentro de você/nós. É mais fácil livrar-se de uma dependência química da cocaína que da dependência emocional de uma igreja.
Ora, amigos, eu sei do que estou vos falando agora.
A "igreja" durou um tempinho para de mim divorciar-se, aliás, de eu ter me divorciado da mesma.
Encontrar-se com Jesus é encontrar-se consigo na vida. É encontrar um tesouro mais valioso que a própria riqueza material.
O encontro com Jesus resgata a nós de nós.
Resgata a nós de estarmos vivendo a vida de outros.
Resgata a nossa necessidade de sermos exclusivamente propriedade Dele sem perdermos a nossa riqueza essencial, que é a nossa personalidade, o nosso próprio ser.
Isso acontece com todos, os de fora quanto aos que se intitulam "dentro" do aprisco do Sumo Pastor de almas.
Conhecer Jesus é tudo!
M Serafim