quinta-feira, 29 de dezembro de 2016

Renunciar-se? Para muitos isso soaria como um absurdo!


Sim, Nietzsche disse o que disse com toda certeza e verdade reveladora que ele poderia conferir aos seus pares e semelhantes.
E uma dessas verdades foi que os homens assassinaram a Deus.
Dos 23 anos pra cá (45), tenho matado todos os deuses dentro de mim...
Seja ele fabricado pela designação da religião, seja ele oriundo do inconsciente coletivo humano.
Ser ou não-ser muitas vezes tenha sido o questão para mim.
Mas deixou de ser por eu entender que...
No caminho para eternidade, muitas vezes as pedras são as mestras no nosso ensino existencial.
Poucos são aqueles que sabiamente as ajuntam e delas constroem do seu alicerce ao cume da sua torre existencial laboriosa...
E aqui eu entro naquela questão individual do se "negar a si mesmo".
Pela qual muitos mal discernem o que seja tal proposta do Evangelho.
Jesus não está exigindo que ninguém negue a si ao ponto de anular-se, e passe a viver uma persona, uma identidade que não seja a sua personalidade única e real.
O Ser só poderá ser, sendo.
Não se deve perder-se de si e nem tampouco deixar-se de ser.
Não, pelo contrário de tal idiossincrasia, quem sabe o preço de pertencer a si mesmo jamais abrirá mão de si mesmo, para loucamente tentar viver o que pareça ser, tentando trilhar no caminho de uma eternidade do "eu" do qual nunca se chegará!
A vida cristã consiste em renuncias próprias. Correto.
O convite confere aos corajosos na existência de mortes, ou seja, somos desafiados pelo Mestre a renunciamos o egoísmo, o desamor, o preconceito, as indiferenças, rejeitar a nossa rejeição em relação aquelas pessoas que são diferentes de nós .
Simples assim quanto mui eficaz para quem abraça tal empreitada (o Evangelho) na existência.
M S

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

O sol voltará amanhã



Mas é claro que o sol vai voltar amanhã...
Ainda hoje pela manhã me vi flagrado fazendo coisas que meu velho fazia, inté nos trejeitos.
Meu papai tudo bem, me vi como uma meia-cópia dele; a genética e os laços de família explicam, e nós podemos compreende.
Mas quanto a outros, eu digo, quantas vezes você (eu também) já não flagrou-se desejando ser outra pessoa menos a você em seu próprio lombo? 
Desejou ser um amigo; desejou ser seu inimigo (ainda que você o odeie); desejou ser o seu professor; ser o seu mentor; ser o Trump (risos); ser o Brad Pit....
Há saúde na admiração sensata e limitada sobre tais virtudes do próximo.
Sim, não há nada de errado nisso!
Porém, as compilações, os plágios existenciais, é impossível a alma "durar" saudavelmente.
Ora, e necessariamente eu não preciso traçar aquele mesmo caminho que foi o de meu pai, avô e bisavô!
Quem escolhe o seu caminho é você mesmo (a) e não os plágios da persona....
Você encontrar-se-á com seu "eu" real e tão verdadeiro.
Você ao passo que se ASSUMA como você é e a mais ninguém, obterá uma enorme chance de resgatar-se consigo mesmo.
Fuja do desejo indesejado, porém, latente de representar a vida e viver a vida representando sobre um palco, e diante de um público que não sejam os seus.
Fuja da tentação de ter-que-ser feliz a todo preço, posto que isso é muitas vezes nos imposto como um inferno para alma!
Desça do pedestal e se abraçará com você mesmo(a) no chão da realidade com amor ao próximo, mas antes de tudo, ame-se!
M S

sábado, 22 de outubro de 2016

Bem simples assim?



A Ciência descobriu que o Universo ora se dilata, ora se contrai. Semelhantemente seguindo na mesma toada do coração humano num processo indeterminado de diástole e sístole, embora isso também seja ciências. E isso é simplesmente magnifico.
Nesse mar cósmico negro viaja uma luz em direção ao infinito, gerando duvidas e mais duvidas nas mentes finitas dos cientistas...
Vibrações, energias, gravidades e extremos.
Vivemos num universo que nos atrai e que ao mesmo tempo estamos interligados a ele por força, por energias e por emoções.
Quantas dimensões envolvem o Universo em que habitamos?
Os extremos se tocam, se repelem, ou, se conectam?
Em qual ponto ou polo estamos agora?
Interagimos com outros universos paralelos ao nosso?
Por qual razão existimos?
Qual é a lógica de tal Sistema Solar?
Num tempo espaço onde as leis da física tradicional não fossem fixas, a quebra de qualquer protocolo nos traria um caos...
Aliás, de caos em caos, o Universo vem sendo formado.
Imagina se um "dia" o Sol resolvesse não dá as caras?
Do que seria de nós?
Dos seres vivos deste Planeta água?
Lembrei-me do maluco beleza, Raul Seixas - "No dia em que a Terra parou". Mas foi um sonho.
Você já observou abaixo da plataforma continental?
Onde os raios solares não alcançam?
Negritude total. E oxigênio zero (força de expressão).
As criaturas que habitam essas regiões abissais nada nos agradam a retina...elas são esteticamente abomináveis em relação a beleza das criaturas 'produzidas ao Sol'...
Deus dadivou ao homem o dom da apreciação artística, o da contemplação filosófica e do raciocínio cientifico...e não lhe negou a fé.
Embora, a nossa vida aqui na Terra seja de uma ameça imensa, nas profundezas dos mares a vida segue de gênesis a gênesis...
Deus não parou no tempo; ele não findou a sua criação, ele apenas deu uma pausa e continuou a criar...e por conta disso nos exige fé.
E é o que é mais importante e o que nos faz viver.
Sem fé é impossível agradar a Deus e a Ciência.
De onde vem o alento para continuarmos lutando e vencendo as adversidades do próprio existir?
Eu sei, muitos de nós não pomos a cara na janela e nem os pés da porta para fora de casa antes de consultar-se o horóscopo na net...
Viver é um perigo.
Mas é ótimo!
Já que a vida é comprovadamente curta em relação a existência do Paneta Terra, seria bastante salutar observarmos um modo simples, saudável e suave de se viver a vida sem muitos nós, embaraços e novelos...
Levar a vida com um pouco de desvelo, descompromisso e despretensiosa alegria, faz bem para a alma e a nossa mente agradece.
Eu sei, existem muitas responsabilidades sobre o nosso lombo, mas isso não significa que devemos buscar fardos e jugos maiores que nós e que os nossos...cada um deve saber e conhecer as tralhas que têm...,
Veja a vida que leva uma cabra montanhesa; a vida de desfadiga que um golfinho leva...e também atente que um balão só consegue alçar voo e manter equilibrado nos ares quando o mesmo consegue desvencilhar-se de alguns sobre pesos.
Deixa, permita que o sol pela manhã bem cedinho beije o seu rosto e te dê mais uma chance de trabalhar, produzir e construir enquanto é dia.
Agradeça mais a vida.
Se der para fazer tudo que tenha programado ou previsto, amém. Mas se não deu tempo, deixa para amanhã, mas não desista - isso é importante.
Apenas seja consciente, paciente e viva um dia de cada vez. O futuro te presenteará com saúde e sem ansiedades.
Protelar, talvez, seja um dos pecados capitas de todos nós.
Permita ser refeito, deixa a correnteza levar o que ficou de escombros em ti. Tsunami, furações e vendavais acontecem com todo mundo e no Mundo.
Fuja da ditadura social de ser feliz sempre..., como que para ser feliz consigo mesmo e com a vida exista um método para todos.
Uma hora dessas, um "apocalipse" emocional nos pegará de surpresa, e aí?
Sobreviverá quem estiver firme no "conhece-te a ti mesmo"!.
A gente começa a ser feliz ou se dá conta que é feliz, sendo.
Simplicidade no viver e amor são "fórmulas" exatas.
M Serafim

quinta-feira, 4 de agosto de 2016

No caminho


Onde eu encontro o Caminho?
Por onde ando pelo caminho?
Existencializando o caminho...
Conforme disse o Senhor, e quem tem ouvidos, ouça: “Entrem pela porta estreita, pois larga é a porta e amplo o caminho que leva à perdição, e são muitos os que entram por ela.” Mateus 7:13
Jesus fala de uma "porta" e um "caminho".
A porta-que-dá acesso a nossa "casa-coração" é como a nossa conversão, abre-se de dentro para fora.
É um momento transitório.
É algo pelo qual passamos.
É o cômodo de nossa casa que mais visitamos, porém, pouco o conhecemos.

Depois de tomar aquela decisão existencial, ainda há um longo caminho pela frente.
É como falamos aqui no Nordeste - É muito chão para pisar, meu fí.

O caminho amplo e espaçoso nos chama.
Nesse caminho há muita liberdade.
Dá para descansar, relaxar, se divertir.

Por outro lado, alguns dizem que há várias maneiras de seguir a Jesus e agradar a nós mesmos.
É comum hoje em dia declarar que todas as religiões são válidas.
“Deus é um só”, é o que muitos proclamam.

Mas, por "aquele" caminho não chegaremos à vida.
Jesus não se chama “um dos caminhos”. Jesus é “O Caminho”, discirna em seu coração. (João 14:6).

E este caminho tem que ser existencial, é o único que leva à vida.
É um caminho de abnegação e obediência.
Chamado pelo Apóstolo Paulo de o "deposito" da fé.
Andando no Caminho a gente aprende que a disciplina se culmina em liberdade.
Há perdas e privações. É por isso que ele é descrito como "estreito" conforme com o tempo andando Nele preenchemos todos os "espaços".
Mas, não há só isso. É neste (C)caminho que andamos com e em Jesus que a decisão de trilhá-Lo já está decididamente interiorizada, onde começamos a enxergar cada vez mais o Pai nos esperando adiante.
E olhando nós para Ele descobrimos que ter compaixão é ser forte.
É caminhando neste (C)caminho que descobrimos uma nova vontade nascendo em nós, impulsionada pela Graça e presença do Espírito Santo.
Foi por este caminho que nosso Senhor andou e frutificou vida.
Para quem realmente conhece a Jesus, não há outro caminho.
Pois, Ele é o próprio Caminho!

Portanto, Nele continue caminhando.
Não desista.
Há dias cada vez melhores lhe esperando pela frente.
E não tem companheiro melhor do que Jesus ao seu lado no caminho da vida para a Vida.

Sem o Senhor não há o Caminho, mas somente os pseudo-caminhos, na verdade, aqueles atalhos que muitas vezes o tomamos soterrados numa vidinha medíocre!
M Serafim

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

Segundo os evangelhos ou segundo os evangélicos?


Sim, Deus tem sido a "alma do negócio".

É inegociável o não ensinamento de não barganhar com Deus.
É inadmissível interpretar a divindade amorfa, assexuada ou transgênera (ela é cisgênera).
É abominação não discernir a Deus como um Ser Supremo e inexoravelmente sistemático quanto punidor moral.
É loucura humana peitar a Deus em busca de respostas em detrimento da dor; da perplexidade e das aflições humanas.
É impensado atribuir a Deus enfermidades, o sofrimentos e a tão renegada pobreza.
É sinônimo de pureza o engendramento doutrinário de anos a fio sob a tutela do deus-igreja institucional manipulador e viciador de almas.
É tida como saúde mental quando o indivíduo anula-se ao máximo de si mesmo e adere a uma discípulo-imagem maximizada de seu líder, guru ou sacerdote espiritual. 
É manifesto como poder absolutamente de Deus nestes ambientes - a figura do pastor ungido - onde se é proibido pensar, questionar e discordar da proposta do Ministério tal.
São aceitas todas as formas de negociatas com o dinheiro melado de suor do próximo quando a causa tem raiz no chamado profético de fulano (dá,dá, dá e dá o tudo de si e o que no bolso tiver para si, sem ao menos pensar em si).
É salutar para os que creem em estado letárgico da razão que quanto mais acéfalo for, mais Deus usa com poder espiritual.
É ensinado em tais convívios emaranhado de gente que iníquo é todo aquele que não aderiu a religião cristã como discípulo do Sistema Religioso.
É assombroso o estado emocional e psíquico que muitos destes indivíduos são jogados e abandonados nos manicômios do Brasil (pesquise).
Será que não existe nenhum ambiente em comunidade que se salve saudavelmente?
Claro que há, em tudo existem exceções, embora, contados a dedo...
Mas na maioria esmagadora, Deus tem sido a moeda de comércio tanto para a vida como para a morte de muitos em tais instituições que levam o nome de igrejas. 
Por favor, pare um pouco com essa paranoia e reflita sobre você mesmo (a) dando uma chance a si.
Descubra lendo e discernindo nos evangelhos o que de verdade Jesus exige de você.
E se exige, exige que se amem uns aos outros, sem exceção.
O que ele deixa claro é que você o ame amando e respeitando o ser humano.
É aí que estão postos: a Lei, os profetas e o evangelho.

M Serafim

quarta-feira, 27 de julho de 2016

"Nietzsche está morto!"

A frase: "Nietzsche está morto"
Não seria uma antítese à frase: "Deus está Morto" (aforismo) - F. Nietzsche
Somente lendo o "Pensa-dor" e discernido-o que, encontraremos nele algo ou alguém que estava para além do "bem e do mal"...
Eu entendi claramente a sua critica filosófica e a sua critica a moral religiosa.
Nietzsche "bateu" muito numa geração ocidental de pensadores que se escondera gravemente por detrás de vossas máscaras ("Genealogia Moral")...
Estudar filosofia e não "consultar" a Nietzsche seria o mesmo que estar-se perdido num "elo" perdido da história pós-moderna, entre um período "antes" guerra e do "pós" guerra.
Aliás, estuda-se filosofia ou aprende-se a filosofar?! (risos).
Obrigado Nietzsche por me ter ajudado a "assassinar" dentro de mim dezenas destes deuses objetos/estereótipos, arquétipos/produtos da mente humana!
Nietzsche deixou um legado para a humanidade que necessita pensar...melhor, que necessita "funcionar".
Deus é, e, Nietzsche existe. Logo, Nietzsche não morreu. Mas permanece vivo na psicologia, filosofia e teleologia dos humanos.
Há quem diga que o Filosofo era um fascista, sua irmã principalmente disse isso distorcendo seus escritos depois de sua morta.
Há também quem afirme de que ele era um niilista...assim como todo religioso o "acusa" de ateu.
Eu as vezes o considerei mais crente do que eu, é sério!
Se o "deus" desconhecido ouviu a minha oração porquê não ouviria a do psicólogo filosofo?
Jesus disse que Deus é o Deus dos vivos e não dos mortos.
Ora, o Ecce homo.
Ora, o Anticristo.
Tenho por certo que Deus se revelou para ele.
Naquela mesma perspectiva do "Übermensch".
Porém, humano, demasiadamente humano.
Tenho consciência, eu fui convidado para o evangelho e para noticiar o evangelho para todos quantos cruzarem no meu caminho.
A minha condição humana não é a de réu, e eu não posso julgar a ninguém enquanto a isso, pois, todo ser humano está na minha mesma condição, caída...
Não fui comissionado a juiz dos homens.
Ora, eu nunca li do Nietzsche algo escrito falando de que Jesus não era quem ele disse ser.
Não existe sequer uma critica feita acerca da pessoa do Nazareno em seus escritos, porém da cristandade; do cristianismo existem centenas bem-aventurados delas!
Essa ideia de que os outros que são sempre "o inferno", não coaduna com a pessoa do Cristo e nem com o seu evangelho de amor.
A minha missão é a de não julgar, porém acolher o próximo.
Abraão, Isaque, Jacó e Nietzsche - que festa , hei
Eu quero estar lá também, mano (a)?
Manter uma uma ideia inexoravelmente santa de que o Céu será povoado de gente totalmente sã é de uma chatice doentia só...
Que morram todos estes arquétipos endeusados dentro de todos nós!
Abraão, Isaque, Jacó e Nietzsche - que festa , hein?
M Serafim 27-07

terça-feira, 19 de julho de 2016

Com ou sem religião, Ame!


Advindo do nada e moldado por uma consciência da gênesis da uma eternidade de coisa nenhuma, secularmente e a passos largos de Deus, caminha a "medíocre " humanidade.
Ao toque da ficção que sobe ao seu pensamento tendo o homem o homem como a medida de todas as coisas, a visão torna-se mais turva ainda, na medida que se põe Deus sob o seu senhorio egoístico.
Narcisisticamente, é essa a autoimagem do homem que acha sentido na ficção que o apavora há milênios diante da projeção de sua própria imagem almática no espelho d'agua.
Penso, logo existo.
A filosofia pediu durante séculos, reticências.
Depois de Descartes nós sofremos a segunda "queda adâmica" - pensamos que vivemos , portanto existimos de qualquer sentido que convenhamos viver egoticamente.
Boa é a estética quando da má estética do bom viver, nos iludimos como bons samaritanos cristãos.
Todo homem que em mim habita é naturalmente mal. Não há nada que se possa fazer para que ele se torne bom.
Tolo homem que sou, se eu bem soubesse, quem grita com voz de desespero é o meu ego inflado pela razão da minha justiça própria definir-me como um bom homem que não sou.
Bom só existe um, Deus - disse Jesus.
Abduzido pelo egoísmo que lhe seja peculiar, segue o homem na existência a procura de um sentido que o faça continuar caminhado em busca de respostas e de verdades, e de não poucas alegrias.
Ora perplexo com o seu mundo interior, ora desligado do mundo exterior.
É a máscara do egoísmo que faz com que aquele indivíduo esteja sempre solicito para querer ajudar.
É o auge do egoísmo humanizado por todos nós pecadores por natureza.
Uns procuram loucamente, porém sem razões, um espírito que lhes fale como proceder diante do mistério e do desconhecido.
Outros fingem ver a Deus nos lampejos dos fenômenos que mal podem discernir.
A humanidade ficou refém não somente dos filólogos e dos filósofos, mas sofisticamente dos teólogos de Deus
Mas nas relações humanas (interpessoais), os deuses se despem aos flagelos dos reles mortais.
Justamente para ensiná-los a exercer o vosso papel no teatro do mundo ora real, ora virtual.
Tudo acontece na mente. Seja o tempo consciente, seja a descoberta de tudo aquilo que ainda não se tornou em nós, consciência.
Se há uma consciência de quem se é.
Há também uma enorme consciência de quem Deus seja.
Surgem os arquétipos, figuras capazes analogicamente de construir pontes com o inconsciente.
Ciente disso, o homem esbarra na incapacidade de poder gerir a si mesmo num mundo permeado de seres, objetos, universos e mundos não palatáveis.
Sim, o mundo para o homem torna-se fictício ao passo que da existência o mesmo se mantenha distante sensivelmente do elo que une o universo da sua realidade com o mundo da ficção, na maioria das vezes, mal interpretado.
Há de se conhecer coisas novas, a vida vem sendo para nós repleta de descobertas, e cabe ao homem prosseguir em conhecer a si mesmo e ao mundo que o cerca do inicio ao fim.
Porque só assim há sentido.
Dissociar-se deste mundo e espaço é romper com o mundo do contato físico, químico e biológico.
E isso só poderá ser gerido por nós sensitivamente, sensivelmente e perceptiva-mente (antes que morramos).
Muitos chamam tal rompimento involucral de morte. Mas Deus chama isso de eternidade para os que Nele vivem - em Deus não há morte.
Ora, quando Deus deixar de ser visto pela maioria esmagadora como uma entidade que proporciona dinamicamente bênçãos e bênçãos intermináveis para "ganhar" a atenção e a obediência do homem, nasceremos para o amor.
O amor brotará na humanidade banindo todos os seus medos.
Deus tocará com as suas mãos a mais longínqua alma de sua santa presença.
O muito que conhecemos do nosso inconsciente não perpassa dos 10%.
Acredito que a qualquer momento Deus virará a mesa e nós seremos vitoriosos contra todos os nossos inimigos mortais.
A começar, derrotando em nós a nossa caída natureza humana.
Não há nada de novo no Mundo, mas é notório que muitas coisas estejam fora do lugar.
O mandamento nunca foi novo.
"Ame"!
Se para nos tornamos seres humanos bons, sob a pena de irmos para o inferno, morreremos desesperados por termos alcançado o céu pelo medo?
Se não conseguimos sermos bons na essência, na prática do amor já começamos a melhorar.

M Serafim

quinta-feira, 14 de julho de 2016

Você?

VOCÊ?

Você é síntese de todo o uni-verso.
Você?
Você carrega gametas, ovários, testículos, sementes, terra, química, alma, energia, sensores, forças...e um aglomerado de ideias no campo da subjetividade ímpar.
Você?
Você é prole; é pai, é mãe; é pai sendo mãe, é mãe sendo pai...é a sua família em si mesmo (a).
Você?
Você eh o tudo ou o nada, o nada já eh alguma coisa, agora imagine sendo tudo. O tudo repleto pelo todo da vida. Digo: Tudo passa; tudo suporta; tudo crê; tudo ama; tudo agrada; tudo espera com doce esperança de vida e saúde.
Você?
Você é a expressão da bondade de Deus em diagramação celular, bem mais resistente que o aço e do que a fibra de carbono. Aliás, você tem alma de bronze.
Você?
Você não apenas existe para compor um joguete de xadrez. Você descobre-se aos poucos que anda na direção da Luz com olhar iluminado e por onde pisa acende luzes de fé, esperança e amor!
Você?
Você é o ponto pivotal de toda a Criação. Sim, você é uma fagulha provocada pela centelha divina - é espírito.
Você?
Você é a pessoa mais humana que existe - na sua segura e consciente existência você vive para semear a paz, a justiça e a verdade de Deus nos corações áridos pela justiça, graça e compaixão.
Você?
Você e em você a Graça da criação não termina, ela apenas acaba de começar, logo exige que Deus a continue criando.
M Serafim

terça-feira, 28 de junho de 2016

Acordem!


Ler e compreender o que Nietzsche escreveu desemburrifica o ser; discernir o que Kierkegaard discerniu existencialmente ajuda-nos a menos sofrermos com as ilusões do existir...
Engolir o que os Após-tolos pregam e incitam ao povo desorientado a fazer, só os fazem se perderem mais ainda da Graça de Deus.
Outrora, nos tempos"antes" Apostólicos, a Le(i)tra matava o transgressor (isso sim era o sentir o peso esmagador da Lei sobre alma sem misericórdia ).
Mas hoje, na era Após-tolos, a Le(i)tra execra-os somente dos círculos eclesiásticos dogmáticos.
Isso seria sinônimo da Graça?
Não!
É apenas uma seleção para o que se possa praticar (mesmo sabendo que não se pode) e o que não se pode praticar em termos "le(i)gais" da cristandade.
A moral constituída pelo senso de valor destes, julga condenatoriamente os atos daqueles.
Nivelando todos debaixo de tudo, a maldição da Lei é a cristificação do que se tem mais de hipócrita nos entremeios dos crentes legalistas institucionais.
Se a doutrina cristã não os justifica, não será Deus quem o poderá justificá-los, correto?.
A interpretação do amor sobre toda a fraqueza da carne só dá direito aos ungidos pelo sistema religioso.
Amar ao próximo sem nada em troca, é tão simplório quanto acreditar eficazmente que o Diabo já foi vencido pela Palavra cravada em nós, (os) que cremos.
A dúvida que bate no indivíduo que desconhece o valor de pertencer a si mesmo, assalta a alma sem direito a misericórdia da sua própria consciência.
Deus é visto como tão truculento como um carrasco movido pelo ódio mortal, pelo qual se compraz na morte dos homens "maus"(aos olhos da religião).
Eu sei, ainda vai durar mil anos para que a Igreja compreenda a que espírito pertença.
Nietzsche se foi e de igual forma e maneira temerária Kierkegaard também, mas ambos deixaram seus legados para a humanidade.
E os Apóstolos de Cristo?
Ah, eles também deixaram o seu legado de fé através de seus Atos.
E o que há em comum entre: Nietzsche, Kierkegaard e os Apóstolos?
O legado?
Não.
Nenhum deles mais existem e também não deixaram SUCESSORES!
Retornando ao caminho de salvação descobre-se também que ´o único Pastor ungido e o próprio caminho se definem em uma só pessoa, Jesus.
Graças a Deus que muitos já tenham-se de alguma forma auto-percebidos espiritualmente!
M Serafim

sexta-feira, 10 de junho de 2016

Feio, rebelde e das ruas


Jesus foi o primeiro homem "despolitizado" a suavizar as leis...
Jesus foi o cara a-machista que mais valorizou o universo feminino em todos os tempos, como também as mulheres machistas sob uma sociedade judaica patriarcal.
Quem lembra de Dorcas, Junia, Maria Madalena?
Imaginem aí, Jesus recebendo a ajuda financeira de mulheres que o ajudavam em seu ministério?
Aliás, as sociedades sempre foram patriarcais.
Há quem negue?
Sob a ótica do politicamente correto de hoje, Jesus não escaparia da figura de um anarquista de mão cheia (para quem não sabe, antes mesmo de me xingar, anarquismo tem múltiplos conceitos, tá?): Ele fez secar uma figueira acendendo a ira dos guardiões do meio ambiente cometendo assim crime ecológico; Ele invadiu uma propriedade particular e saqueou espigas de milho para saciar a fome de seus discípulos; foi radicalmente contra todas as estruturas de poder e sistemas religiosos que fizesse do ser humano o seu papel de mercado, capital e exploração.
Em Jesus quem não aprende a ser a si mesmo e liberto de todas as possíveis amarras ideológicas, idolatras e religiosas.
Apenas não entendeu nada sobre-e-sob o Evangelho e do Cristo passou batido!
M Serafim

quinta-feira, 12 de maio de 2016

O Jesus marginal


Acolhendo as "putas"; no meio dos "maconheiros" e muitas vezes flagrado (pela policia religiosa judaica farisaica) sentado com os "corruptos" do Governo.
Lá estava ele, o Nazareno Rabôni, chamando a todos para fazerem parte do Reino de Deus podendo os mesmos obterem o direito de um dia se assentarem a mesa com Abraão, Isaque e Jacó na Casa do Pai, pela via do arrependimento.
Diferentemente como se pensa, que seria através de uma moral religiosa imposta que se chega ao conhecimento do amor de Deus...
Seu tempo fora todo usado e consumido em fazer a vontade daquele que o enviara às ovelhas perdidas da casa de Israel.
Batendo de frete contra o sistema religioso erguido em sua época, Jesus optou pelo discurso público e em locais diversos, onde o povo poderia vê-lo desvencilhado de qualquer poder político, religioso e idealista.
Seu propósito consistia em revelar a graça de Deus indiferentemente para todos.
Seu lema era o perdão; a sua bandeira era o amor e o seu propósito o de gerar uma conscientização humana nos desumanos homens .
Longe de qualquer conluio (Estado ou representantes religiosos), distante de qualquer partidarismo e acima de qualquer organograma moral e filosófico.
O Messias traduzia facilmente a linguagem divina e espiritual para aqueles que num breve momento de parada na vida, discernia-o com amor e com o coração quebrantado...
Ávido em fazer discípulos do amor, o seu maior prazer era lançar luz nas (se)mentes dos homens simples e de corações perplexos.
A sua objetividade e conhecimento sobre as coisas da vida o fazia um indivíduo de poucas "le(i)tras", porém sábio e prático. Facilmente lidava com os dramas dos homens trazendo para eles paz, leveza, verdade e libertações.
Qualquer sistema ordinário filosófico se reduziria a pó diante de sua solicitude e serviço ao próximo, ele possuía uma disposição incrível, atraia gente de todo perfil para junto de si, aliás, o conteúdo que nele era repartido com eles, era o suficiente para que a fé, a esperança e o amor permanecessem até hoje como os três pilares do evangelho .
Os gregos também desejaram conhecê-lo.
Mas foi o peso da sua simplicidade de ser e o seu trato para com todos que fez dele o mais sensível, fraterno e amigo humano já conhecido.
Desde já nenhum homem poderá julgar a Deus quanto a sua distância de se sentir gente (sofrer, padecer e morrer).
A humanidade de Deus estava escancarada na pessoa de Jesus de Nazaré.
Deus foi revelado em Cristo.
O cremos e o recebemos.
Cristo é a manifestação pessoal de Deus na Terra.
Daí, a satisfação que temos dele ter nos agraciado pela sua graça.
M Serafim 17-02

quarta-feira, 13 de abril de 2016

RASGA O "VÉU", IRMÃ(O).


Você pode até imaginar como Jesus seja ou para quem Jesus seja.
Você pode até tentar criar acima de tudo uma posição adequada para Jesus na História.
Você pode até acreditar que Jesus veio apenas para morrer pela humanidade e assim redimi-la.
Você pode até defender o cristianismo com unhas e dentes.
Você pode até crê que o inferno não seja aqui e a verdadeira e completa felicidade só há no céu dosada de santa inércia.
Você pode até doar aos pobres tudo o que possui materialmente.
Você pode até comungar com seus manos de fé em torno da Bíblia e em algum ponto geográfica na face da Terra - e chamar tal ambiente de igreja.
Você pode até estudar teologia sistemática, cristologia e missões.
Você pode até repreender os demônios em nome de Jesus.
Você pode até unir pessoas de baixo de um mesmo teto sem um CNPJ e cantar hinos e invocar a Jesus.
Você pode até ser um cidadão de bem que faz sempre o bem sem olhar a quem.
Você pode até ser fiel a doutrina religiosa que professa e dela fazer-se de um ente-membro discípulo institucional.
Você até pode crê no que quiser e chamar de vida o que você vê, sente e toca.
Entretanto, você jamais poderá saber porque Jesus ama a você!
Jesus é. E não há Outro semelhante a Ele e nunca que haverá - Ele é o melhor de Deus para ...Existência!
Ele é...
A verdadeira expressão da imagem do Deus invisível e Eterno.
A cruz foi apenas uma representação nesta existência do que Ele é. O Cordeiro Eterno de Deus.
Antes de qualquer ato, vibração, criação, explosão e surgimento atômico no Universo, Jesus é Deus.
Tudo foi gerado por intermédio Dele. A existência celebra Ele. A sabedoria se encontra nele. Todos os mistérios das ciências se escondem Nele. Jesus é.
Deus é Jesus e Jesus é Deus. É Deus em Deus se revelando ao Mundo e ao Mundo se reconciliando com Deus (Deus é corporalmente TODO DEUS em Jesus).
Antes de todas as Gênesis Jesus é.
É tão absolutamente que se faz salutar afirmar aqui que quando Deus pensa, pensa Jesus, e quando o logos pensado sai da eternidade e penetra nas paginas da História, mais um mistério se revela, a encarnação de Deus.
O que era sempre o logos e o verbo se faz homem (carne).
Portanto, Jesus é Deus conosco, o Deus Emanuel. Presente em espírito e em verdade.
O Verbo (palavra) se fez gente para que como gente sem pecados nos fizesse entender que o amor de Deus pelo Kosmos (universo, mundo, criação) é perfeito!
Quando alguém diz ser um cristão mesmo que relacional e relativizado, ele apenas diz pertencer a história e em última análise ao fenômeno, igreja.
-- Jesus é Deus e Deus não cabe em religiões, nem mesmo nas monoteístas.
Jesus veio para morar em você e não numa instituição feita de tijolos e concreto.
Jesus é o tudo do que precisamos.
Por favor faça um favor a si próprio, deixe de relativiza-lo a sua doutrina, a sua crença, a sua igreja, mesmo que cristã. Ele é Deus e Deus está livre, pois, Deus sempre foi quem ele é, Deus.
Não busque ter uma comunhão com Jesus e o "tente" dobrá-lo a sua percepção, capricho ou coisa parecida.
Leia-o nos evangelho e só.
Creia-O de todo o seu coração e ore pedindo que Ele se revele a ti.
Tem que ter fé e não medo.
Portanto, coragem!
M Serafim

quarta-feira, 6 de abril de 2016

Há tempos


Há algo quase sempre a se dizer; existe tempo para quase tudo que não se foi dito. 
Escreva algo.
Há algo para se escrever; mas há também tempo de não se escrever nada além de nada.
A vida cheia de certezas, onde se faz tudo certinho,ou, fazendo-se tudo desse jeitinho dará certo - quem possui alma perfeccionista sabe do que estou falando - ela é paradoxalmente repleta de incertezas certas.
Há tempo que pára tudo, inclusive o tempo perece parar para deixar de fazer tudo aquilo que seja dúvida em nós (tenho dúvidas quanto a isso), mas que não funciona bem no nosso cotidiano imediato (isso quase todo mundo o sabe).
A dúvida é o preço de nossa pureza e seria inútil ter certeza?!
Há tempos...
Tempo de apagar o que foi escrito no bloco de notas; tempo de rabiscar a lápis o que escrevemos eternamente no diário da semana passada, e por uma única razão, nada se concretizou, portanto apaga-se com borracha...
Uma mudança de hábito, um viciozinho mental nunca deletado ou a imagem daquele namoro da balada que das entranhas não se apaga facilmente.
Vai o tempo, passa-se o tempo, há tempos.
Sopra o vento e as lembranças retornam a nós como se o tempo passasse num sonho e em outro sonho retornasse para nós num piscar de olhos.
Quem irá pagar para ver?

M Serafim

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

A portenta igreja


A igreja chegou ao seu nível máximo de embriaguez.
Como não bastasse usurpar o poder e a glória do divino.
Agora ela se considera a pedra de esquina para quem não se submeter a sua doutrinação em nome de Jesus.
Ela, a instituição religiosa, age como uma portenta potestade.
Ela detém em seu próprio cenário político-religioso o poder de acrescentar, excluir, renovar e manipular qualquer outro infra-poder.
Ela se coloca acima do "pináculo do templo", ela se autointitulou através dos tempos a autoridade divina e a salvadora da honra e moral divina usando como pano de fundo a alienação espiritual.

Deus que se cuide, aí vem ela (igreja) com seus sete chifres para enfentá-Lo:

1 Chifre - Exerce poder diretamente sobre a massa ignora que idolatra seus sacerdotes, locais de cultos e Bíblias Personificadas com instruções temáticas sob teologias aplicáveis.

2 Chifre - A estratégia de grupos em células e a neurobiblialinguística onde todos devem falar a mesma língua, insistir no mesmo tema (exaustivamente) e objetivo em todas as igrejas sob o cajado de um Após-Tolo unxido.

3 Chifre - As igrejas têm exercido a função de Estado na vida e na família dos indivíduos que a elas estão filiados como membros (induzindo, manipulando e convencendo a votar nos candidatos que as mesmas apoiarem).

4- Chifre - A instituição que deveria estar orando e realizando encontros, palestras e dando incentivo para que a Nação se converta ao evangelho e que o país seja abençoado.
É a primeira a ir contra a taxação tributaria das instituições religiosas.

5 - Chifre - A instituição religiosa faz marketing de curas, prosperidade financeira e da tão almejada felicidade. Pois, esse tem sido o seu lema e negócio bastante lucrativo (o que a tem feito potestade financeiramente social no mundo capitalista). Mas há muito tempo ela não pode mais ofertar ao indivíduo que a procura por alguma solução, Jesus Cristo.

6 - Chifre - Os símbolos, as barganhas e suas doutrinas com caricaturas divinas são o que se têm mais sido vendidos em nome de Jesus e pela salvação imediata dos fiéis.
É a marca da Besta-mãe nas frontes dos bestas-filhinhos do engano, cujo pacto fora feito com o Diabo no deserto das tentações da Teologia da Prosperidade (Ler Mt.4)

7 - Chifre - A customização de uma igreja local ao gosto do fiel-freguês tem inchado as contas bancárias de pastores, apóstolos e agremiações pelo mundo inteiro.
Servir um prato de lentilhas com temperos e culinárias variadas perfaz a ideia de Pequenas Igrejas & Grandes Negócios.
Uma comida que muitas vezes mata a fome de seu "cliente", porém, jamais poderá alimentar um indivíduo para a eternidade.

M Serafim

quinta-feira, 28 de janeiro de 2016

PARA MUITOS, A SUA FELICIDADE ESTÁ NA MORTE?



Todos os dias fazemos alguma coisa - uma viagem mental - que nos proporcione felicidade ou algo que nos empurre para a in-felicidade.

A cada instante podemos sermos mais felizes, ou, mais in-felizes.
Tudo depende daquilo em que acreditamos. 
Na realidade são poucos os que sabem o que é a felicidade e o que não é ser feliz.
Frequentemente pessoas buscam ser felizes onde a felicidade não está, há quem diga de que a felicidade não existe.
Ser feliz está atrelado ao conhecimento que se tem de si mesmo e da finitude enquanto indivíduo que habita neste Planeta.
O não-ser feliz tem causa maior nos modus vivendi importados de outras pessoas... 
Gente que não se conhece, mas capta para si migalhas existenciais, restolho emocional e fluídos negativos.
Vivendo-se na expectativa da morte, aborta-se sempre a concepção de um novo horizonte com o sol brilhante. Este indivíduo jamais terá o seu lugar ao sol - se caso for este motivo pelo qual o faz viver.
Não há nada a lamentar sobre a morte, assim como não há nada a lamentar sobre o crescimento de uma flor. 
O que é terrível não é a morte, mas as vidas que as pessoas levam ou não levam até a sua morte. 
Gente que nunca se sentiu como gente e desconhece a (sua) essência de (ser) gente.
Indivíduos que não reverenciam suas próprias vidas, mijam em suas vidas. 
As pessoas as excretam. Idiotas medíocres. Concentram-se demais em transar, cinema, dinheiro, família, transar. 
Suas "mentes vazias" estão cheias de algodão. 
Engolem Deus sem pensar, engolem o país sem pensar. Esquecem logo como pensar, elas pensam que pensam, deixam que os outros pensem por elas. 
Seus cérebros estão entupidos de algodão. 
São dessemelhados ante a beleza, sim, são feios, falam feio, caminham feio. 
Toquem para elas as melodias de Bach, Hendel, Morzart, Wagner, Tchaikovsky, Beethoven, Vivaldi...cante a maior música de todos os tempos e elas não conseguem ouví-la. 
A maioria das mortes das pessoas é uma desgraça, não por ser uma fatalidade pela qual ninguém esteja imune, mas pela ignorância do infinito. 
As paixões humanas gastam, encurtam a vida.
Não sobra nada para morrer.
M Serafim

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

FELIZ ANO NOVO?



FELIZ ANO NOVO?
Explico:
Hoje pela manhã um amigo cruzou comigo no caminho...
Ele me desejou felicidades a serem alcançadas em 201...,
Eu educadamente o agradeci....E segui o meu trajeto.
Pensei, mas eu já sou feliz com o que sou e desisto do dever-de-ser feliz com o que tenho ou com o que eu hei de conquistar....
Antes de chegar em casa refleti novamente.
EU SOU!
E se sou o que sou, eu apenas sou, não sou mais um na fila da vida em busca de felicidades efêmeras e cristalizadas...mas sendo eu em mim mesmo do jeito que Deus felizmente me desenhou.
Vejo que a minha autoestima anda saltitando pelas nuvens...
Todavia, eu nunca refleti sobre uma felicidade senão a minha própria existência vivida aos bagos de felicidades. 
Felicidade de ser, felicidade de ter a mim mesmo como indivíduo que prioriza a relação pacifica e solidária com o próximo, respeitando-o. 
Feliz por ter me encontrado comigo mesmo num lance que eu em mim mal me cabia como gente.
Pronto, eis aí o meu discernimento sobre felicidade. 
Felicidade não se encontra nas gandulas do supermercado, felicidade a gente vive do nosso modo exclusivo e existencial de ser, de viver, ou seja, apenas se é feliz sendo!
M Serafim

quinta-feira, 14 de janeiro de 2016

Fly


Finja que a dor não existe e mate-se aos poucos...pois, quem aprendeu a somente receber rosas se espetará com os seus dadivosos espinhos.

Finja que o amor é fugaz e verá uma rosa ser transformada em espinho.
Finja ser grande e o mundo lhe mostrará pequeno. 
Torne-se humildemente pequeno em espirito e entenderá que é descendo que se sobe.
Finja enxergar tudo e o cego lhe mostrará o caminho da sensatez...
Finja ser bom e o vento te levará ao inferno das boas intenções.
Finja ser e a existência lhe revelará o que você apenas parece...
Finja viver e o acaso lhe roubará os sonhos.
Finja discernir o bem e o mal lhe cobrirá de trevas...
Finja, finja, finja e finja...
Enquanto não cansares de ser um "fake" e então refletir olhando para dentro de si. 
O que é já se foi e o que se foi já não é mais.
todavia, o tempo presente cobrará mudanças radicais para a sua alma, visto que o fingir fazendo de conta, foge de toda e qualquer autenticidade de ser você e de possuir a si mesmo com vera autenticidade.
Pare de fingir, quem muito finge foge de sua realidade existencial, mas pare antes que de si, te percas totalmente.
M Serafim

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Homossexualismo




"Mas Mano, o homossexualismo é pecado e a Bíblia condena a sua prática".

Eu sei e daí?
A Bíblia também condena que o Judeu coma carne de porco, que se aproxime de sua mulher quando ela estiver menstruada; manda que apedreje quem for pego praticando adultério; que apedreje os adivinhadores...condena isso e aquilo...
Mas faça uma coisa, quando doutra vez você me apresentar um "pecadão" de magnitude abominável para Deus, siga a lista toda, sem fragmentos, sem causar seletividades, mas a rigor, como deve ser para quem deseja seguir a Lei - se tropeçar numa dessas coisas ou não CUMPRI-LAS, estarás pecando (risossss).
Cá entre "nóis", quando na Lei (AT) um indivíduo a transgredia sem adquirir o perdão divino, ele era ELIMINADO juntamente com o pecado cometido (sim ou não?)!
Quem teria a coragem de apedrejar (ontem e hoje) um gay sendo este seu parente, ou, um ente querido?
Hum, o inferno são sempre os "viados" filhos dos outros, né?!
Cuidado, pois, o "dizimo" que vocês evangélicos dizimam nas igrejas não é o Dizimo. 
Além de ser OBRIGATÓRIO por parte dos seus líderes eclesiásticos, quem desobedecer irá para o inferno, em ultima análise, estará roubando a Deus (é isso ou não é o que se ensina por lá?).
E tal prática para você não CONFIGURA também uma ABOMINAÇÃO para Deus?
Hehe, sei não, sempre me sobe ao pensamento as palavras de Jesus: "Eles coam um mosquito e digerem um camelo". Sempre!
Imagina se Deus nos desse ouvidos a nossa religiosidade insana e segregadora anti-Graça?
Jesus consumou tudo nele, meu mano.
Tanto o pe-ca-do quanto o pe-ca-dor!
Cada um dará conta do agravo que tenha feito ao (seu) irmão (gente).
A única coisa que ele nos ORDENOU foi: "Amai-vos uns aos outros como eu vos amei."
Ou seja, ame o seu semelhante incondicionalmente.
M Serafim

sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Desigrejando-se de Si mesmo


Desvencilhar-se de um padrão religioso instalado como um software n'alma é mais difícil do que formatar a própria consciência hominal para uma só verdade absoluta no Espírito (no espírito, ensino, mente de Cristo)...

Não está entendendo não? 
Sei, eu bem sei o que isso seja e o veneno que isso causa para a vida espiritual e física de quem está "dentro" e por dentro carrega uma instituição endeusada...
Mas ao passo que se morre para tudo ou mais, o indivíduo se renova para a liberdade de ser somente de Jesus (tal luta ocorre dentro de nós diariamente), quando ao evangelho somente se escancara em vida "morta" pelas doutrinas com boca, mãos, pés e com cara de deus, a (sua) libertação chega.
E quando chega, chega de forma consciente e consistente.
O indivíduo enxerga que o cativeiro existencial e religioso que o abrigava (que ele vivia muitas vezes confinado) e que ele outrora carregava dentro de si, esfacelaram-se pelo Verdade (Cristo). 
É, a alma começa a andar suave-Mente e leve-Mente para a vida sadia; para a alegria de ser e de pertencer ao que se é, ao que se é absolutamente.
Ao que se tem como vida em nova consciência subjetiva e subjetivado-a somente Nele, pela qual (alma) se abre e se agrada na graça.
Daí, o desabrochar do amor, logo surgem as forças e as habilidades do Reino, do despertar do reino de Deus dentro de nós humanos...
Vejo saúde em se tornar um discípulo de Jesus e só. Desinstitucionalize-se (mesmo comungando/congregando com gente feito vc, imperfeitas, porém sinceras espirituais), doerá, mas lá na frente você descobrirá de que valha a pena todo desapego com o "sistema de cotas" que se alimenta de almas desesperadas e cativas pelo medo, pelo desespero humano e pela famigerada santa ignorância espiritualizada que interpõe a sua comunhão com Deus.
Quem aprendeu a amar cedo ou tarde emancipou-se do jardim de infância no fator egoismo padrão - e neste habitam espiritualidade e evangelho sempre.
E o Inferno e o Céu, como ficam?
Eu em particular não possuo nenhuma demanda contra OS INFERNOS e OS LIMBOS pós CONSTANTINO-CRISTÃOS.
Eu não vivo num deles...!
Eu não falo do amor de Jesus escandalosamente descrito nos evangelhos por medo ou por meras imposições teológicas.
Eu anuncio a Jesus por amor e por causa de seu perfeito amor por (mim) nós!
Medo possuo, mas não o de ir viver eternamente num Inferno, posto que para mim os infernos que abrigam gente, faz tempos que deixou de existir para mim, pois há mais de 20 anos que eu habito em Cristo, digo, no Céu.
Jesus me falou ":Caminhe e anuncie as Boas Novas". Mas nunca disse "Corra e desesperadamente pregue o evangelho".
As coisas são mais reais, mais simples e menos complexas quanto imaginamos.
Se há alguma Lei ou Mandamento no Evangelho, é esse: Ame!
O amor é a prova cabal de que Deus existe em nós diante de um Mundo perdido.
M Serafim

quinta-feira, 7 de janeiro de 2016

Simplifique-se


Não é que as (minhas ou as suas) palavras sejam/estejam "mal-faladas"; "mal-ditas"; "verbo-escritas"; "verbor-ragiadas"...
Eu posso saber o que falo e como falo e porque as falo, mas não posso jamais fazer com que quem me ouça, entenda.
Então,
Sempre haverá um tolo com tamanho desejo de manipular a tua alma, pois, a sede de possessão humana sobre o seu próprio semelhante, como que esse fosse um objeto de seu prazer doentio, advém desde os primórdios das mais antigas civilizações...
Conscientize-se que tudo que fizermos para Deus e em seu nome, devemos o fazer por vínculo de amor e nada mais...
Ora, Deus é puro amor em tudo e até no seu justo juízo ele é amor.
Somos nós seres limitadíssimos em discernimento que não compreendemos a fundo a sua maravilhosa graça.
Fuja. Fuja do louco dever de ser alegre o tempo todo, mas pondere-se para que a tristeza não lhe seja por perene companhia.
Acostumar-se com a tristeza é desfalecer para a alegria de ser somente você.
Dica: Seja você tudo no que faz.
Faça aquilo o que você é.
Não importa se o teor passará pelo crivo da consciência alheia julgadora.
Evite a "dramaturgia" sob várias "personas" - caso contrário correremos sérios riscos de perdermos algo que possuímos de maior estima, o (nosso) ser.
Faça o que de si julgue ser essencial seu.
O ingênuo e entusiasmado Salmista disse: "O que eu possa te dar pelos benefícios que me tens feito"?
Eu respondo conscientemente no Espírito Santo: NADA!
Seria tudo uma questão de graça e da Graça, a Graça não é uma doutrina cristã, não se veste de nenhum dogma, ainda que a Teologia usurpe para si, quanto "ciência divina", a graça de Deus é TUDO o que há na existência e para além dela...
Deus nos abençoe e nos conceda a alegria, a (sua) paz e quietude mental.
Jesus nos ensinou que não deveríamos ter medo de Deus.
Ele disse que Deus é Aba, é Pai.
Ele sempre ama e nunca odeia, o seu amor por nós não acaba, não caduca, pois um Deus que odiasse não poderia ser um Deus de amor, Todo-amor!
Bjo
M Serafim