sexta-feira, 8 de janeiro de 2016

Desigrejando-se de Si mesmo


Desvencilhar-se de um padrão religioso instalado como um software n'alma é mais difícil do que formatar a própria consciência hominal para uma só verdade absoluta no Espírito (no espírito, ensino, mente de Cristo)...

Não está entendendo não? 
Sei, eu bem sei o que isso seja e o veneno que isso causa para a vida espiritual e física de quem está "dentro" e por dentro carrega uma instituição endeusada...
Mas ao passo que se morre para tudo ou mais, o indivíduo se renova para a liberdade de ser somente de Jesus (tal luta ocorre dentro de nós diariamente), quando ao evangelho somente se escancara em vida "morta" pelas doutrinas com boca, mãos, pés e com cara de deus, a (sua) libertação chega.
E quando chega, chega de forma consciente e consistente.
O indivíduo enxerga que o cativeiro existencial e religioso que o abrigava (que ele vivia muitas vezes confinado) e que ele outrora carregava dentro de si, esfacelaram-se pelo Verdade (Cristo). 
É, a alma começa a andar suave-Mente e leve-Mente para a vida sadia; para a alegria de ser e de pertencer ao que se é, ao que se é absolutamente.
Ao que se tem como vida em nova consciência subjetiva e subjetivado-a somente Nele, pela qual (alma) se abre e se agrada na graça.
Daí, o desabrochar do amor, logo surgem as forças e as habilidades do Reino, do despertar do reino de Deus dentro de nós humanos...
Vejo saúde em se tornar um discípulo de Jesus e só. Desinstitucionalize-se (mesmo comungando/congregando com gente feito vc, imperfeitas, porém sinceras espirituais), doerá, mas lá na frente você descobrirá de que valha a pena todo desapego com o "sistema de cotas" que se alimenta de almas desesperadas e cativas pelo medo, pelo desespero humano e pela famigerada santa ignorância espiritualizada que interpõe a sua comunhão com Deus.
Quem aprendeu a amar cedo ou tarde emancipou-se do jardim de infância no fator egoismo padrão - e neste habitam espiritualidade e evangelho sempre.
E o Inferno e o Céu, como ficam?
Eu em particular não possuo nenhuma demanda contra OS INFERNOS e OS LIMBOS pós CONSTANTINO-CRISTÃOS.
Eu não vivo num deles...!
Eu não falo do amor de Jesus escandalosamente descrito nos evangelhos por medo ou por meras imposições teológicas.
Eu anuncio a Jesus por amor e por causa de seu perfeito amor por (mim) nós!
Medo possuo, mas não o de ir viver eternamente num Inferno, posto que para mim os infernos que abrigam gente, faz tempos que deixou de existir para mim, pois há mais de 20 anos que eu habito em Cristo, digo, no Céu.
Jesus me falou ":Caminhe e anuncie as Boas Novas". Mas nunca disse "Corra e desesperadamente pregue o evangelho".
As coisas são mais reais, mais simples e menos complexas quanto imaginamos.
Se há alguma Lei ou Mandamento no Evangelho, é esse: Ame!
O amor é a prova cabal de que Deus existe em nós diante de um Mundo perdido.
M Serafim