domingo, 21 de fevereiro de 2010

As minhas entranhas desejam ver a Tua face...


O texto do profeta Isaías relata:

[...] "Lobos e ovelhas viverão em paz, leopardos e cabritinhos descansarão juntos. Bezerros e leões comerão uns com os outros, e crianças pequenas os guiarão. Vacas e ursas pastarão juntas, e os seus filhotes descansarão no mesmo lugar; os leões comerão capim como os bois. Criancinhas brincarão perto de cobras e não serão picadas, mesmo que enfiem a mão nas suas covas. Em Sião, o monte sagrado, não acontecerá nada de mau ou perigoso, pois a terra ficará cheia do conhecimento da glória do SENHOR assim como as águas enchem o mar.

Naquele dia, o descendente de Davi, filho de Jessé, será como uma bandeira para as nações. Os povos passarão para o lado dele, e da cidade onde ele reina brilhará a glória de Deus.”

Apesar de tamanha graça explícita que sobrevirá a terra nesta descrição profética de Isaías, a grande expectativa de se ver o rosto do Jesus abarca toda e qualquer graça que ao homem ainda não fora dada... “Senhor, mostra-nos o Pai, o que nos basta” (disse Felipe), e Jesus respondeu: “Estou há tanto tempo convosco, e não me tendes conhecido, Felipe?”

Como poderíamos rogar ao Senhor: mostra-nos o Pai para que O possamos crer de todo o nosso coração!

Ora, foi o Pai quem enviou o Filho, e o Filho que do Pai saiu dá testemunho existencial de Sua revelação paternal. (Jo.1.18)...,

Quem dentre nós não desejaria ver o ‘rosto’ do Pai, aliás, em ver o rosto do Filho (hoje)? – “Quem me vê a mim vê o Pai; e como dizes tu: Mostra-nos o Pai?”

Quem recebe o Filho também recebe o Pai, e quem ao Filho viu segundo a carne. Viu a face do Pai no rosto do Filho. E hoje quem não pode ver o rosto do Filho literalmente ,  ver com os olhos da alma a face do Pai projetada no Filho corporalmente segundo o Evangelho discernido no coração pelo Espírito Santo, e nas entrelinhas das Escrituras. Conquanto o Pai e o Filho sejam UM na essência divina do Ser...,
Ao f(é)-nômeno que manifesta a triunidade (Pai, Filho e Espírito Santo). Graça esta que Sir Isaac Newton (arianista) jamais entendeu com seu coração racional...

Entende-se a  trinitate da manifestação assim:

"Façamos o homem"(Gên.1.26)...,
Verdadeiro Deus para verdadeiro Deus - “Tu és meu Filho, Eu hoje te gerei” (Sl.2,7)...,

 Luz verdadeira convergida para verdadeira Luz (Tg.1.17)...,

 De Espírito para Espírito (Mt.1.18)...,

 Do Verbo-de-Deus para a Palavra-de-Deus Encarnado (Jo.1.1)...,

 De Pai para Filho (He.1.5).

Na descrição acima de Isaías mostra que a terra será inundada pela glória de Deus e a criação retornará a harmonia paradisíaca, onde o poder, a glória e o domínio do Messias de Deus serão reconhecidos e obedecidos pelos homens...,

Quanto aos que ouvem o Evangelho e O recebe..., A estes peregrinos em terras alheias é dado o PODER de serem feitos filhos de Deus, estes a quem o Pai chamou são vistos por Jesus como o verdadeiro “Israel de Deus”, ou seja, como hebreus existenciais rumo a Canaã celeste (He. 11

A Nova Jerusalém celestial certamente “orbitará” em algum ponto na atmosfera dando acesso aos moradores da Terra, ela será a cidade da Luz, do trono, da paz, da reconciliação das nações, da alegria, da justiça, do amor e das benevolências divinas em favor da humanidade...,

O Messias vaticinado por Isaías carrega todas as prerrogativas registradas nos oráculos de Deus..., Ele será o STANDART, erigirá a bandeira do Amor e da justiça perene sobre os homens de corações bons que habitarão a terra restaurada pelo Seu poder... O Milênio com Cristo!

Lá veremos o rosto de Jesus como o Sol da Justiça de Deus sobre todo parecer humano e cósmico...,

Sim O veremos assim como somos vistos por Ele e pelos anjos eleitos!

Creio que O veremos da ‘mesma’ forma multiforme que Ele descreveu Deus para Felipe... [...]...,

E sem semelhança alguma com os quadros de Michelangelo (características físicas dos ocidentais), sem nenhuma aparência oriental e totalmente definida pela História, porém O veremos e saberemos que é Ele, e quem Ele é mesmo sem jamais tê-lo visto antes... (imagine-O).

No N.T. não há registros que revelem as suas características físicas quanto as suas aparições aos seus discípulos e por último a Paulo no caminho de Damasco. Embora exista muita gente que diz já tê-LO visto em “visões e sonhos”... Cada um tem a sua subjetividade espiritual!

O próprio João utilizou de tipos, anti-tipos e figuras metafóricas para poder descrever a visão que teve do Senhor glorificado em Apocalipse (Apoc.1). E João disse todo trêmulo: “Me faltou forças”.

É certo que a nossa alma sensorial deseja vê-lo, senti-lo, tocá-lo e cheirá-lo!

Acredito que um dia isto será possível, pois, o próprio Cristo de Deus disse: “Bem-aventurados [felicíssimos] os limpos de coração porque eles verão a Deus! (Mt.5.8). E se Deus é exatamente a Pessoa a quem Jesus afirmou ser, o Ser Oni-potente/presente/sciente, e que é Espírito (Jo.4.24) e em Seu Verso seria a Pessoa do Filho Corporalmente Plena (Col.15,19).

É correto afirmar que Jesus é a expressa IMAGEM do Deus vivo! (He.1.3).

Então O veremos...,

Veremos a Deus, a Jesus...,

Nós O veremos face a face...

Seu Reino e Glória,

Para sempre Amém!

Ele, Que disse que veríamos a Sua glória e dela-Nele nos gloriaríamos!


M-an(j)o Serafim