quarta-feira, 24 de março de 2010

Atributos divino...


Caro leitor, leia primeiramente o artigo : Imanência e Transcendência (Pesquise aqui no blog), para uma melhor compreensão do que se segue abaixo.
Depois da imanente presença de Deus em toda a criação e a sua Transcendência em relação às criaturas e Universo formado. Surge a interpretação hominal dos denominados Atributos da divindade. No afã de se interpretar tal ciência que é excelente por demais, entram em cena manifestações dadas ao caráter, espiritualidade, veracidade, mentalidade, sabedoria, invisibilidade, conhecimento, bondade, misericórdia, zelo, compaixão, paciência e amor.
De todas estas propriedades, cuja peculiaridade seja do próprio Deus, dentre todas estas qualidades atribuídas ao Todo Poderoso, o amor transcende os demais.
Tudo se restringe ao amor de Deus para com o homem...,
Apenas uma decisão unilateral Dele!
E o que pensa o homem acerca de Deus?
O homem imagina de que se o mesmo não existisse, Deus viveria isolado, deprimido, vazio...,
Teria que conviver com uma solidão eterna!
Ora, se tal presunção adâmica fosse verdade, digo real, obtivesse veracidade na existência de Deus. Acredite, o Papai do Céu sofreria da síndrome de saudosismo. Explico:
Deus teria que dá um jeito, ou refazer os seus conceitos em relação ao pecado, a redenção, a sua soberania, sobre a criatura, o seu juízo, a sua justiça, a sua equidade...,
Enfim, Ele deveria rever os seus Estatutos.
Todavia, a Bíblia revela a catástrofe de antigas criaturas dominadoras do Planeta: Os dinossauros.
Criaturas imensas e possuidoras de grande força, destreza, e imponência inigualáveis.
E o que aconteceu com tais “super-seres”- dominadores das eras remotas?
FORAM EXTINTOS DA FACE DA TERRA, e hoje conhecemos como: FÓSSEIS.
Portanto, que fique claro para os teólogos liberais: TODA CRIATURA INDOMÁVEL E ALTAMENTE-SUFICIENTE EM SEU EXISTIR, CORREM SÉRIO RISCOS DE SE EXTINGUIREM.
Deveras toda arrogância ser perdoada pela misericórdia de Deus em propriedade do amor.
Entretanto a nudez denominada de presunção humana jamais será perdoada!
Conquanto, se o homem continuar tentando “encurralar” Deus tentando-o pela sua própria Palavra?
Quebrará a cara!
Visto que Deus sente mais saudades dos dinossauros do que mesmo de Adão!
Ora, este texto talvez não mostre explicitamente nada acerca dos atributos divinos supracitados, mas implicitamente contém todas as prerrogativas que apontam para a excelência dos atributos comunicáveis e os atributos incomunicáveis de Deus.
Porque faço esta asserção?
Teoricamente se define e conhece a Deus pela revelação da Palavra reverberada, e pela Encarnação de Seu Filho, o Verbo de Deus!
Daí nasce uma necessidade de se comunicar com o “Inatingível”. O imponente Ser, Senhor de todas as eras. Aquele que era o temor de Jacó, o impronunciável: YHWY (Yahweh). E mais tarde, invocado como: Javé (trad.monge católico).
Segundo a Bíblia, no livro de Gênesis, o contato-conversa entre Criador & criatura ocorria todos os “dias” ao crepúsculo de cada dia...,
A interpretação que faço é que Deus sendo ESPÍRITO e o homem possuindo um espírito, se assenta no entendimento – “Nossa imagem e semelhança”- Diferente de teorias errôneas, que interpretam que Deus seja parecido com os homens-deuses!
A veracidade se desemboca em sermos de fato imagem e semelhança do Criador e não ao contrário. O ponto de referência para TODA a criação é DEUS. Ora, eu poderia desde já encerrar tal comentário e definir tudo numa só frase: Deus “é”.
Se aceitarmos a teoria de que Deus “é” e que somos derivação de Sua essência Plena em Si mesmo..,
Reverberar tais adjetivos compatíveis a pressupostos teológicos seria de fato uma elucubração humanista demais e que foge do raio de percepção de um individuo totalmente alienado de todos os vetores e pontos de tamanha complexidade entre o tempo e o espaço!
Você entendeu o que eu quis fazer entendido acima?
Eu apenas intuo, que se formos aqui neste verbete discernir Aquele que diz que É, i.e., “EU SOU QUEM SOU!”- passaríamos mais duzentos séculos de estudos analisando a Mente, a Transcendência, a Sabedoria e a Eternidade daquele que existe POR SI SÓ!
E apenas teríamos mais indagações e mais dúvidas quanto a Sua Totalidade imensuravelmente insondável. Posto que a teologia como Ciência se sustente nos sustentáculos da ignorância de seus teólogos!
De certo que é sabido - de “todos” [filosofia, antropologia, psicologia, teologia] e até mesmo pelo mais arrogante dos ateus, que Deus existe e habite em algum ambiente “construído” para o “alocar”, desde as partículas subatómicas da vida em expansão até tabernacular-se espiritualmente num invólucro de barro denominado : Homem sapiens .
Moral da estória: A realidade de um Deus na existência perpassa a VISIBILIDADE DIVINA registrado na História (Encarnação) do tempo e do espaço, e penetram na discernível INVISIBILIDADE da física quântica e da astronomia, cujas ciências nos aproximam da mente, sabedoria, invisibilidade, bondade, misericórdia, e Graça do Criador.
E porque não dizer: Da espiritualidade, nos aproxima de DEUS!
Jesus disse a Nicodemos: “Não compreendes as coisa terrenas, como compreendereis as espirituais?”
SE PORVENTURA ENTENDEMOS TAL DESIGNIO?
Podemos assim afirmar a nossa convivência com tal paradoxo:
O Deus que é invisível, mas Real;
Espírito e Gente;
Longínquo e próximo;
Justiça e misericórdia;
Na minha opinião a melhor maneira de se compreender tais atributos de Deus.
É através da sua maravilhosa GRAÇA!
Alfredo Serafim Teologia Sistemática: ATRIBUTOS DE DEUS 13/06/2009.