segunda-feira, 9 de abril de 2012

Uma estrada, O Caminho ou os atalhos?



                   Uma estrada, O Caminho ou os atalhos?

Pudesse eu-ver a estrada. Pudesse eu-ter a rota-e-a-ação certa que me levasse até ao Encontro desse caminho dentro de mim...

O que se busca Eu-encontrar no Eu-encontro pela via do caminho dos atalhos dos des-eu-encontros da vida!

Oh! Meu enorme "bem" só vê em mim atalhos que me levam aos caminhos falsos.

Não deveria ser, mas é sempre assim em qualquer estrada pela via da vida...,
O que se busca Eu-encontrar se limita aos des-eu-encontros porque o que se deseja do Eu-encontro é poder Eu-encontrar, e estiver no Caminho (e que é uma pessoa: Jesus) e não numa estrada escura contrária-mente fora do caminho traçado pelo Caminho para o do meu Eu-encontro em que se busca encontrar!

Na verdade, na verdade é sempre assim, a cada ranhura, uma fissura aberta se tem mais sarado em mim...,

Eis ai um mistério, o mesmo que liga a ferida (abre) é o mesmo que a sara (fecha) também!.
Somos os co-autores de nossa História?!
É um pulsar que ao mesmo tempo- lampejo é mistério-instinto!
Como Eu-encontrar a chave desse meu eu-humano-riso?

Que chaves foram dadas a felicidade? Posto que dela se derivassem a(s) alegrias em Eu-mistério?
O Luar serve de luzeiro na escuridão de uma estrada fria, pela esperança de se achar um atalho que se devolva o caminho do EU-encontro consigo mesmo!

Mas entendo agora que este caminho traçada para mim mesmo é estar existencialmente no Caminho!

O que busca Eu-encontrar se se espera ser: denso, largo e profundo - doce amargo e oculto?! ,
E poder decifrar Eu-no-meu  próprio enganoso coração...,
És o Teu-Ser-Ver um luar que me ilumina em meio ao meu escuro caminhar das minhas nobres decisões.
Ao mesmo tempo que Eu-luz e  Ele-mistério a se interiorizar.

O que se busca Eu-encontrar não se revela na luz e nem se esconde nas trevas, porém, se aloca no insondável recôndito de uma alma....,
Terreno onde ninguém pisa!

Somente Eu-encontro comigo em doce mistério de o saber e possuir tal chave em mistério. Mistério que se busca, mas não se Eu-encontra para o lado de fora de quem caminha a procura de Eu-encontrar. 
Abrir-se-ão as portas com ferrolhos e os cadeados de bronze do improvável para quem assim desejar perscrutar...

E ser caminhante feliz
Deverá então assim ser feliz mesmo quem a chave de busca tente Eu-encontrar não se ache pela via do Eu-encontro ao des-encontro encontrar!
Para conseguir ser feliz, não se procura ou se busca se ser Eu-encontrar, apenas se é, sendo feliz mesmo que ainda se viva a Eu-me-encontrar!

Mano Serafim