terça-feira, 26 de julho de 2011

Aquele que nos sonda é o mesmo quem diz: “ESTEJAIS EM MIM!


                    
                                      Por Mano Serafim

Aquele que nos sonda é o mesmo quem diz: “ESTEJAIS EM MIM...”
O convite para a Igreja nestes últimos dias é para o retorno a Palavra da Vida mediante a raiz na Oliveira/Videira verdadeira!
O “Estejais em Mim”- nunca fora tão imperativo como denota uma condição espiritual de os ramos-discípulos permanecerem “vivos neste corpo-de-morte” na Videira verdadeira.
Ser um ramo frutífero numa condição que já o traz como caule de pertencer originalmente desde a semeadura a sua própria oliveira (vinde) já o é difícil, imagine o ser enxertado sem geneticamente pertencer a tal oliveira?
ATENÇÃO APÓSTOLOS PÓS-MODERNOS leiam para o vosso próprio entendimento profético: Baseado na história do povo de Israel, o Apóstolo Paulo, vislumbra numa percepção histórico-profética brilhante – “Digo, pois: Porventura rejeitou Deus o seu povo? De modo nenhum; porque também eu sou israelita, da descendência de Abraão, da tribo de Benjamim. Deus não rejeitou o seu povo, que antes conheceu. Ou não sabeis o que a Escritura diz de Elias, como fala a Deus contra Israel, dizendo: Senhor  mataram os teus profetas, e derribaram os teus altares; e só eu fiquei, e buscam a minha alma? Mas que lhe diz a resposta divina? Reservei para mim sete mil homens, que não dobraram os joelhos a Baal. Assim, pois, também agora neste tempo ficou um remanescente, segundo a eleição da graça. Mas se é por graça, já não é pelas obras; de outra maneira, a graça já não é graça. Se, porém, é pelas obras, já não é mais graça; de outra maneira a obra já não é obra. Pois quê? O que Israel buscava não o alcançou; mas os eleitos o alcançaram, e os outros foram endurecidos. Como está escrito: Deus lhes deu espírito de profundo sono, olhos para não verem, e ouvidos para não ouvirem, até ao dia de hoje. E Davi diz: Torne-se-lhes a sua mesa em laço, e em armadilha, E em tropeço, por sua retribuição; Escureçam-se-lhes os olhos para não verem, E encurvem-se-lhes continuamente as costas. Digo, pois: Porventura tropeçaram, para que caíssem? De modo nenhum, mas pela sua queda veio a salvação aos gentios, para os incitar à emulação. E se a sua queda é a riqueza do mundo, e a sua diminuição a riqueza dos gentios, quanto mais a sua plenitude! Porque convosco falo, gentios, que, enquanto for apóstolo dos gentios, exalto o meu ministério; Para ver se de alguma maneira posso incitar à emulação os da minha carne e salvar alguns deles. Porque, se a sua rejeição é a reconciliação do mundo, qual será a sua admissão, senão a vida dentre os mortos? E, se as primícias são santas, também a massa o é; se a raiz é santa, também os ramos o são.E se alguns dos ramos foram quebrados, e tu, sendo zambujeiro, foste enxertado em lugar deles, e feito participante da raiz e da seiva da oliveira, Não te glories contra os ramos; e, se contra eles te gloriares, não és tu que sustentas a raiz, mas a raiz a ti. Dirás, pois: Os ramos foram quebrados, para que eu fosse enxertado. Está bem; pela sua incredulidade foram quebrados, e tu estás em pé pela fé. Então não te ensoberbeças, mas teme. Porque, se Deus não poupou os ramos naturais, teme que não te poupe a ti também. Considera, pois, a bondade e a severidade de Deus: para com os que caíram, severidade; mas para contigo, benignidade, se permaneceres na sua benignidade; de outra maneira também tu serás cortado. E também eles, se não permanecerem na incredulidade, serão enxertados; porque poderoso é Deus para os tornar a enxertar. Porque, se tu foste cortado do natural zambujeiro e, contra a natureza, enxertado na boa oliveira, quanto mais esses, que são naturais, serão enxertados na sua própria oliveira!
Porque não quero, irmãos, que ignoreis este segredo (para que não presumais de vós mesmos): que o endurecimento veio em parte sobre Israel, até que a plenitude dos gentios haja entrado. E assim todo o Israel será salvo, como está escrito: De Sião virá o Libertador, E desviará de Jacó as impiedades. E esta será a minha aliança com eles, Quando eu tirar os seus pecados. Assim que, quanto ao evangelho, são inimigos por causa de vós; mas, quanto à eleição, amados por causa dos pais. Porque os dons e a vocação de Deus são sem arrependimento. Porque assim como vós também antigamente fostes desobedientes a Deus, mas agora alcançastes misericórdia pela desobediência deles, Assim também estes agora foram desobedientes, para também alcançarem misericórdia pela misericórdia a vós demonstrada. Porque Deus encerrou a todos debaixo da desobediência, para com todos usar de misericórdia. O profundidade das riquezas, tanto da sabedoria, como da ciência de Deus! Quão insondáveis são os seus juízos, e quão inescrutáveis os seus caminhos! Porque quem compreendeu a mente do Senhor? ou quem foi seu conselheiro? Ou quem lhe deu primeiro a ele, para que lhe seja recompensado? Porque dele e por ele, e para ele, são todas as coisas; glória, pois, a ele eternamente. Amém.” (Rm.11).
Os Evangelhos narram que Jesus logo no inicio do seu ministério faz um convite a um judeu cobrador de impostos da corte Romana, chamado Levi, o mesmo Mateus que escreveu mais tarde, o Evangelho segundo Mateus- “Vem e me segue!” – disse: Jesus.
Quanto ao chamado direto – vindo do próprio Jesus - o ex-cobrador de impostos Levi não indagou coisa alguma, ele apenas abandonou o tribuno e seguiu os passos do novo Mestre acenado por João batista.
Quem poderá imaginar o que se passou na cabeça deste homem que aparentemente não possuía nenhuma vocação para o Evangelho mesmo sendo um judeu oriundo do caule original da Oliveira/Videira verdadeira de Israel, porém, discriminado pelos fariseus e pelo povo por causa de sua profissão junto à corte romana?
E o que dizer de Lucas (médico grego) que escreveu o evangelho S.Lucas e Atos dos Apóstolos e foi um grande cooperador de Paulo no evangelho da graça aos gentios –  um ramo enxertado na Videira verdadeira?
Acredito que em cada um dos homens a quem Jesus de Nazaré escolheu pra serem seus doze discípulos mais achegados na propagação das Boas Noticias, cada um deles experienciariam uma maneira diferente um do outro do importante significado de ser um ramo-discípulo da Videira verdadeira,Cujo Agricultor seja Deus-Pai, embora, o Evangelho seja o mesmo ponto pivotal para todos. A leitura que fazemos dele é o que realmente nos valha.
Ora, e o que nos valha tão apenas neste contexto?
Se o nosso olhar não estiver aberto e fitado nEle?
Aliás, Aquele que nos sonda é o mesmo quem diz: “ESTEJAIS EM MIM!”
Há quem acredite que para que Deus possa agir e operar através e na vida de uma pessoa, a mesma deva estar preparada, engano, a vontade de Deus é soberana sobre todos e acima de qualquer coisa ou circunstância... Seu poder abrange e sonda tanto gente como pedras, posto que das pedras Ele tenha o poder de suscitar filhos a Abraão, e de gente poderá transformar em pedras – a mulher de Ló.
A expressão verbal Bara, implica que Deus chama a/de existência o que ainda não foi gerado, é trazer a forma visível o que ainda parece ser informe, Ele chama de matéria o imaterial utilizando do caos principio básico inerente ao poder que emanam de suas palavras...,
É preciso entender o que disse Martinho Lutero -“é a natureza de Deus criar algo a partir do nada (enxertar o ramo quebrado na Videira verdadeira - grifo meu). Esta é a razão porque ele não pode usar alguém que ainda não chegou a ser nada (que não está arraigada a Videira verdadeira – grifo meu)." Sendo assim, creia, que nenhum homem poderá se intitular alguma coisa se não for da vontade de Deus no Espírito e se este espiritualmente não permanecer na Sua palavra que o conduz ao NADA SER, senão a um mero ramo enxertado na Videira verdadeira. “Sem mim nada podeis fazer “– disse Jesus.
Alguém religiosamente poderá olhar para você e te rotular como um desprovido de “unção” (Cristo –ungido- unção) um ramo cortado, solto/separado da Videira, outro dirá que você precisa urgentemente se renovar nas águas do Espírito, porém, outro o verá com outros olhos de fé e de amor segundo o evangelho, e o dirá: Ele [a Videira verdadeira] poda os seus ramos para que cresçam e dêem mais frutos ainda!
Crer e ver, assim sucede a fé de quem acredita que Deus age segundo o seu poder e vontade que em nós opera – Graça!
Aliás, testemunhar de Cristo nunca será demonstrações de força e de poder, porém, de amor e de compaixão pela obra de Deus na vida do próximo sendo este um ramo-discípulo-Igreja ENXERTADO ou nascido da mesma Videira verdadeira!
Resultado fantástico de tudo isso se concretiza na certeza desde tempos imemoriais, um masquil do homem na sua intimidade para Deus: “quero a Ti mesmo... porque, sem Ti, me é insuportável o próprio eu”. Este é o grito inaudível do coração humano!
E que deve ser o lema do discípulo-ramo [frutífero] de Jesus em resignação, esperança e compaixão para com o mundo que jaz no maligno.
Ver a Deus na vida do próximo crê-se que já seja o suficiente para que o amor de Deus se torne pleno e extensivo sobre a Terra. Posto que o profeta vaticinasse uma Boa Noticia – “A terra se encherá de sua glória e conhecimento”.
Ora, a convicção dessa importância sugere (ao mais íntimo de cada ser) a certeza de que, após a noite do mundo, despontará o alvorecer de um dia, inundando de luz os caminhos.
Sim, um caminho que nos porá renova-Mente no Caminho e que inevitavelmente nos conduzirá a seiva vital da Videira verdadeira.
Eis aí um grito de liberdade para o ente Igreja dos últimos dias!
E quem pensou que eu iria corroborar para uma nova roupagem para a filha da mamãe católica esfregou a cara na lama!
Somente Nele, Cujo Verbo de Deus se existencializa na(s) Palavra(s) –“Estejais em Mim!” e “onde estiver dois ou mais reunidos em meu nome eu ali também estarei!”
Mano Serafim