segunda-feira, 12 de abril de 2010

O Filho do homem

Ler o Cap. 1Co.15 (para entender o texto abaixo).

Eis aí um dentre os filhos dos homens que recebeu um título de Filho do Homem (maior entre os homens)... Jesus de Nazaré nascido de mulher (semente da mulher - Gn.3.15), o único ser que possuiu ao mesmo tempo duas naturezas em uma só pessoa: a natureza de Deus e a natureza hominal, porém sem pecados. Daí o fato de Jesus ser o Filho de Deus nesta existência.
Certamente que todas as prerrogativas messiânicas citadas nos antigos profetas e nos salmos apontavam para o ‘ente’ que haveria de nascer no ventre de uma virgem...,
O abismo que separava a eternidade do homem começa agora ter um fim...
João disse coisas profundas a respeito de Jesus Cristo: “O que era desde o princípio, o que ouvimos o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida, (Porque a vida foi manifestada, e nós a vimos, e testificamos dela, e vos anunciamos a vida eterna, que estava com o Pai, e nos foi manifestada); O que vimos e ouvimos isso vos anunciamos, para que também tenhais comunhão conosco; e a nossa comunhão é com o Pai, e com seu Filho Jesus Cristo.” (1Jo. 1.1-3).
O que João está tentando nos dizer senão, que Ele é a vida eterna dos homens e esteve eternamente oculta no coração de Deus. Ele é o Filho Unigênito de Deus; o Filho do Homem (Filho de Deus), mas que agora e para sempre se manifestara para que como vida, vida eterna ENCARNADA pudesse vicariamente morrer no lugar do homem e sendo assim redimir a humanidade para sempre  devolvendo a vida eterna aos homens.
João Também afirma que Jesus tem uma forma humana palpável (imagem); tem rosto, braços, pernas, boca e olhos... E mais tarde ele vai vislumbrar na visão do Apocalipse de Jesus Cristo (místico), narrando o Cristo glorificado possuindo pés de bronze (latão reluzente), olhos como chamas de fogo, cabelos brancos, uma 'língua' pontiaguda e bigumíca, veste talhares, vozes de muitas águas, e Alguém que esteve vivo e presente no Mundo sempre.
Jesus percorria toda a Judéia e Palestina pregando o Evangelho do Reino. Ele era dantes re-conhecido como o filho do carpinteiro (José), embora, José não fosse seu pai biológico. E o que logo aos trinta anos incompletos aflorou foi a sua identidade cósmica - “Assim como Deus UNGIU a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder!”..., desde então surge o Galileu com aos pés empoeirados pregando as Boas Novas do Reino nas regiões periféricas da Galiléia. Como vaticinou o profeta messiânico, Isaías: “as regiões de Zebulom e Naftali que viviam em trevas viram uma grande luz”...
Apesar de Jesus ter nascido em Belém da Judeia e ter ido morar no Egito e depois iniciado o seu ministério na Galiléia dos Gentios..., ele frequentemente era visto nas sinagogas, nas praças, nas ruas, no templo, nas aldeias, nas casas dos publicanos, e principalmente, no meio dos pe(s)cadores...,
A sua persona-lidade atingia radicalmente a intrasigência dos comerciantes do templo e das autoridades religiosas judaicas da época. Um dia o Nazareno apregoava um sermão convidativo em relação aos pobres, aos humildes, aos desapropriados, aos destituídos, aos desumanizados, a ralé marginalizada... Outro dia ele desafiava radicalmente a apreciação da Lei de Moisés, cujo sistema político-partidário e religiosamente corrompido a transformou em imposições tiranas sobre o povo...
Jesus possuía uma consciência de sua imagem sobre a sociedade de sua época, ele sabia o impacto que havia causado por sua mensagem: “Arrependei-vos e crerdes no Evangelho”. Ora, e tal mensagem provocadora incluia também as autoridades religiosas da época.
 Os seus opositores sabiam da importância de Sua pessoa, como alguém que possuía autoridade e sabedoria jamais vista. A implicância dos religiosos e políticos contra a pessoa de Jesus se culminava na forma que Jesus ensinava acerca da Lei, como alguém que tinha AUTORIDADE ESPIRITUAL, ao contrário da forma e da maneira que os lideres religiosos (fariseus e saduceus) ensinavam ao povo.
Portanto vale aqui salientar ás prerrogativas que faz de Jesus um homém acima da média. O faz: o Filho do Homem respeitado pelos deuses humanizados...
Ele pôs fim a Lei, assassinado-a em Sua própria carne no Calvário.
Paulo disse que o final da Lei é Cristo. Sim, Aquele que é revelado como o MAIORAL dentre os homens, e está acima da Lei, por justamente a Lei não ter efeito sobre Ele, pois, mesmo nascendo debaixo da Lei, Jesus se tornou SUMO, posto que ninguém O pudesse convencer de pecados!
Talvez tentar imaginar Jesus com um ‘estereotipo’ não judeu seria uma blasfêmia não para Deus, mas para nós humanamente falando, pois, a salvação historicamente vem dos judeus, e nós fomos enxertados na oliveira...,
Repito: O que João está tentando nos dizer acima senão, que Ele é a vida eterna dos homens e esteve eternamente oculta no coração de Deus. Ele é o Filho Unigênito de Deus; o Filho do Homem (Filho de Deus), mas que agora e para sempre se manifestara para que como vida humanizada..., e vida eterna ENCARNADA pudesse vicariamente morrer no lugar do homem e sendo assim redimir a humanidade para sempre  devolvendo a vida HUMANA eterna.
A equação divina funciona mais ou menos assim: Deus-homem não réu, se colocando no lugar do Réu-homem = Deus-homem Réu-do-réu morrendo na cruz...,
É Deus contra Deus em favor do homem!
É Deus advogando contra Si mesmo par absolver o homem!
É o Amor Encarnado Humanamente Sacrificado!
É o Filho do Homem x Filho de Deus ma mesma Pessoa!
É o Cristo martirizado e dilacerado da Cruz & o Cristo Glorificado discernido pelo Apostolo João!
A este Jesus feito de uma substância HÍBRIDA fora desta criação, se conclui que a Sua pessoa, a sua imagem e o seu espírito o refaz Senhor dos senhores e Rei dos reis.
E é desta 'Forma', segundo o Evangelho que Ele reinará sobre a Terrra visivelmente.
Portanto, a sua morte e ressurreição são apenas lampejos determinantes de Sua existência, e este mesmo Jesus que foi visto subir acima dos céus, da mesma maneira irá retornar a terra.(Atos.1.11).
Conquanto a favor disso corrobora o escritor de Hebreus: "Ele vive para interceder eternamente pelos santos"(He.7.25).
Penso que para haver um INTERCESSOR(sumo sacerdote), medianeiro, mediador entre Deus e os homens, deveria pelo menos ser alguém que possuise a mesma substância (em parte) dos que esperam tal mediação de redenção. Sim, alguém que já experimentou as mazelas oriundas do nosso próprio existir humano!
Ora, e se não foi Paulo quem escreveu Hebreus foi o que escreveu as cartas aos corintios e no cap. de 1Co.15 está escrito, mas ainda não dito como Palavra final:"Porque todas as coisas sujeitou debaixo de seus pés. Mas, quando diz que todas as coisas lhe estão sujeitas, claro está que se excetua aquele que lhe sujeitou todas as coisas. E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos"(1Co.15.27-28).
E mais: "Mas alguém dirá: Como ressuscitarão os mortos? E com que corpo virão?Insensato! o que tu semeias não é vivificado, se primeiro não morrer. Mas Deus dá-lhe o corpo como quer, e a cada semente o seu próprio corpo. Nem toda a carne é uma mesma carne, mas uma é a carne dos homens, e outra a carne dos animais, e outra a dos peixes e outra a das aves.E há corpos celestes e corpos terrestres, mas uma é a glória dos celestes e outra a dos terrestres. Assim também a ressurreição dentre os mortos. Semeia-se o corpo em corrupção; ressuscitará em incorrupção."
E para finalizar: "Semeia-se corpo natural, ressuscitará corpo espiritual. Se há corpo natural, há também corpo espiritual. O primeiro homem, da terra, é terreno; o segundo homem, o Senhor, é do céu. E, assim como trouxemos a imagem do terreno, assim traremos também a imagem do celestial. Eis aqui vos digo um mistério: Na verdade, nem todos dormiremos, mas todos seremos transformados;"(1Co.15).
Ora, Paulo disse o que disse por que sabia o que estava dizendo na lucidez do Espírito Santo, mas o que foi que Paulo disse?
Disse que o nosso Senhor e Salvador, Jesus Cristo, Ele que jamais deixou de ser Deus, e que continua a ser HOMEM, cujo corpo espiritual revela a sua imagem terrena, porém glorificada...,e o homem-1ºAdão foi formado de matéria e espirto..., Já O Cristo-2ºAdão 'formado' primeiramente de espirito VIVIFICANTE e posteriormente de materia...,
Alguma dúvida?
Mano A. Serafim 04/09/09